Logo Central do Franqueado2
  • Facebook Central do Franqueado
  • Copiar Link Central do Franqueado
  • Twitter Central do Franqueado
Central do Franqueado »Engajamento »Conheça as principais dificuldades no relacionamento entre franqueador e franqueado
Engajamento

Conheça as principais dificuldades no relacionamento entre franqueador e franqueado

9 min de leituraDario Ruschel

Não é novidade o quanto o sucesso de uma rede de franquias está diretamente ligado ao bom diálogo profissional entre franqueador e franqueado. Afinal, o franchising não existe sem confiança, muito diálogo e, principalmente, um trabalho de cooperação saudável entre as partes.

Todavia, existem questões no franchising que podem afetar esse relacionamento, criando dificuldades que comprometem até mesmo a produtividade da rede. Dessa forma, é indispensável que o franqueador esteja preparado para lidar com eventuais crises internas. 

Em vista de ajudá-los a conhecer as principais dificuldades de relacionamento relatadas no franchising e como contorná-las, a Central do Franqueado preparou este guia completo sobre o assunto. Não perca!

Neste artigo você lerá sobre:

A importância do relacionamento no franchising

Franqueadores e franqueados precisam estar em sintonia para que a rede de franquias mantenha sua padronização e qualidade. Porém, quando o assunto são negócios, toda e qualquer relação está sujeita a problemas. Afinal, o ambiente profissional é composto por diferentes pessoas, com diferentes mentalidades e ideais que — muitas vezes — podem entrar em conflito. 

Por isso, é necessário entender que é o diálogo — claro e honesto — que pode sustentar crises internas no franchising

Constantemente batemos na tecla da importância de um bom relacionamento entre os envolvidos em uma rede de franquias. A explicação é simples e pode parecer repetitiva: a base do franchising é uma parceria, pois o crescimento de um depende do trabalho do outro. Isto é, uma relação de ajuda mútua que só é possível a partir de um bom relacionamento.

Nesse sentido, é importante que o gestor tenha proximidade com o operador da unidade para fortalecer um laço de confiança. Ainda, do outro lado, é indispensável que o operador tenha o gestor à disposição para tirar dúvidas, receber suporte e adquirir conhecimento.

Infelizmente, nem sempre isso ocorre, criando dificuldades na relação entre franqueador e franqueado. Inclusive, o principal motivo para o fracasso de uma unidade são as falhas no processo de comunicação interna. Dessa forma, cabe ao franqueador estabelecer um canal de diálogo para promover o sucesso dos seus franqueados. 

Mas atenção: isso não acontece do dia para noite, sendo necessário muitas ações para garantir a excelência em uma relação que fundamenta o modelo de negócio. Com isso, embora não haja uma solução mágica para as dificuldades que podem surgir, é possível preveni-las. 

Como? Bom, a Central do Franqueado preparou uma lista de adversidades comuns do franchising que devem ser evitadas para que a sua rede encontre o tão almejado sucesso. Confira!

Dificuldades no relacionamento entre franqueador e franqueado

Antes de entrarmos — de fato — nas principais dificuldades no relacionamento entre franqueador e seus franqueados, precisamos voltar algumas casas. Problemas na relação no franchising não começam quando há a primeira reclamação, mas sim desde o processo de seleção dos franqueados.

Se ruídos na comunicação interna de uma rede de franquias podem fadá-la ao fracasso, é essencial que haja um alinhamento cultural entre os envolvidos que permita o trabalho em equipe. Por isso, lembre-se: entenda para quem você quer vender. A definição e posterior filtragem de um ‘franqueado ideal’ é essencial para um relacionamento saudável no futuro.

Ainda assim, isso não livra a rede de enfrentar dificuldades nessa questão. Afinal, o relacionamento é um trabalho contínuo e que exige esforços de ambas as partes para funcionar. Sabendo disso, confira abaixo as principais dificuldades na relação entre franqueador e franqueado!

Treinamento e Suporte

Como vimos, muitas das dificuldades entre franqueadores e franqueados tem origem no início do relacionamento. Entre as questões que fazem parte desse período, estão a fase de treinamento e o posterior suporte ao franqueado

Ambos os processos são fundamentais para a capacitação dos profissionais em prol do controle de qualidade da empresa. Afinal, é o franqueado que deve gerenciar a própria unidade, respeitando a padronização da rede. Dessa forma, surge a necessidade de se fazer presente para a solução de qualquer problema que o franqueado apresente, pois é isso que ele espera ao adentrar a rede de franquias.

Com isso, mesmo que o franqueador não consiga estar presente durante todo o período de treinamento, é importante que haja uma certa disponibilidade. É importante ressaltar isso porque, em muitas redes de franquias, franqueadores são totalmente ausentes, tornando a falta de suporte a principal causa de dificuldades e problemas no relacionamento dentro de uma franquia.

O problema central está no fato de eles não proporcionarem ao franqueado uma atenção que pode ser decisiva para o aprendizado do operador da futura loja. É durante a transmissão do know-how que as principais dúvidas poderão ser esclarecidas e o franqueado irá sentir que pode contar com um ponto de referência. Sem isso, começa a surgir uma desconfiança e insatisfação que pode culminar em problemas futuros.

Além disso, pensando pelo outro lado, é indispensável que o franqueado também demonstre interesse em criar um relacionamento profissional sólido com o franqueador. Questionamentos, alternativas e muito diálogo entre as partes durante esse período podem estimular o desenvolvimento dessa relação.

A relação entre franqueador e franqueado faz toda a diferença na hora de solucionar os problemas que surgem na rotina de uma unidade. Quando as partes envolvidas conhecem suas qualidades e limitações, é mais fácil encontrar meios para se trabalhar em equipe.

Comunicação interna

A eficiência entre a comunicação entre franqueador e franqueado é peça-chave para que a parceria tenha os melhores resultados. Porém, vimos também que, às vezes, a comunicação entre as partes é prejudicada pela rotina cheia de ambos os profissionais. Todavia, isso não é desculpa para que existam falhas.

No franchising, a comunicação interna deve ser acessível, rápida, centralizada. Afinal, a falta de clareza na troca de informações podem potencializar problemas e conflitos no dia a dia da empresa e que muitas vezes trabalham a centenas de quilômetros de distância.

Felizmente, isso pode ser resolvido com desenvolvimento e aplicação das melhores práticas de comunicação interna no franchising. Dar a devida importância às ferramentas de suporte, reuniões periódicas e a aproximação entre o franqueador e os franqueados é algo necessário para a sobrevivência da rede.

Nesse sentido, canais de comunicação lentos e desorganizados podem gerar uma série de complicações até mesmo de padronização. Por isso, garantir o melhor canal para realizar essa comunicação é o primeiro passo para quem procura desenvolver um bom relacionamento com franqueados. 

A responsabilidade para isso é da empresa franqueadora. Cabe a ela definir os melhores canais de troca de informação e as mensagens mais adequadas para cada situação. Mas é claro que também existe o papel do franqueado nesse processo, que é o de ouvir o franqueador e estar pronto para prover qualquer informação sobre sua unidade.

Dica: a Central do Franqueado possui um artigo sobre os principais canais de comunicação do franchising. Lá você pode conferir quais são os mais usados, quais funcionam e quais não são os ideais para o mercado de franquias. Mas já adiantamos: o WhatsApp não é um canal adequado para gerenciar uma rede de franquias. 

O motivo? Saiba no conteúdo sobre os principais canais de comunicação do franchising!

O descaso no franchising

O descaso é, sem sombra de dúvida, um grande problema para os relacionamentos em redes de franquias. Além dele poder surgir no papel do franqueador, que acaba não dando a devida atenção às unidades da rede, mas também pode ser culpa do franqueado, que não pensa no sucesso da rede como um todo.

No primeiro caso, é bastante prejudicial aos operadores de loja que o franqueador não dê o suporte necessário. Afinal, vimos que nem toda a rede oferece um bom suporte às suas unidades, impactando diretamente no sucesso do franqueado. Inclusive, a cada 100 processos que põe em lados opostos franqueadores e franqueados, 30 estão relacionados à falta de suporte

Da mesma forma, franqueados que não possuem boa conduta de trabalho podem prejudicar e muito suas relações profissionais com o franqueador e, consequentemente, todo o crescimento da rede. Assim, o descaso com os padrões da rede e suas metas é a pior coisa que um operador pode fazer e pode acarretar sérios problemas contratuais.

Para evitar isso, para além daquela filtragem inicial que comentamos no início deste artigo, é importante realizar reuniões periódicas entre franqueador e franqueado, para troca de feedbacks e definição de metas da rede por interesse conjunto.

Questões contratuais

Se não resolvidos, todos os problemas citados anteriormente podem levar a problemas jurídicos no âmbito contratual. Ou seja, o desentendimento entre franqueador e franqueado pode acabar abordando o que consta no contrato de franquia a respeito das mais diversas questões, como obrigações de suporte, financeiras e de controle de qualidade.

A própria Lei de Franquias afirma que, na hipótese de não cumprimento do disposto no contrato de franquia, o franqueado poderá arguir a anulabilidade ou nulidade do acordo. Da mesma forma, se o franqueador comprovar irregularidades por parte do franqueado, o mesmo pode acabar perdendo seu negócio e recebendo uma multa considerável.

Ou seja, para os dois lados, entrar na justiça não representa algo positivo. Todavia, para a rede de franquias, isso é ainda pior. Afinal, a reputação da franquia é muito prejudicada com esses casos, tornando a atração de novos franqueados uma tarefa bem mais difícil. Por fim, ainda há ainda a frustração de aceitar que o investimento não deu certo.

A melhor forma de evitar problemas quanto a questões contratuais é, além de evitar todas as outras dificuldades citadas ao longo do texto, é realizando auditorias nas unidades de franquia. Assim, problemas entre franqueador e franqueado ou na esfera operacional podem ser detectados rapidamente.

A solução da Central do Franqueado

Com tudo o que foi exposto, fica simples de entender o porquê do firme relacionamento profissional em franquias ser a base do sucesso em rede. Fazer franchising é, acima de tudo, trabalhar em equipe. Para isso, cabe a cada uma das partes o cumprimento das suas responsabilidades em busca do sucesso da rede e seus relacionamentos.

O sistema para franquias da Central do Franqueado, especificamente o módulo CAF (Central de atendimento ao franqueado)’, conta com funcionalidades de comunicação que podem ajudá-lo a pôr em prática o que foi apresentado. Isso acontece, pois a principal função do CAF é buscar resolver os problemas e elevar a eficiência da sua comunicação com franqueados. 

Sabemos que em uma rede de franquias são muitos os envolvidos e a comunicação muitas vezes acaba sendo prejudicada. Todas as trocas de informação ficam registrados na plataforma, que envia alertas sobre os prazos caso o franqueado esqueça de algum compromisso. 

Além disso, você pode marcar reuniões, enviar comunicados e prestar suporte à sua rede de forma segura e com toda a praticidade da nossa ferramenta. Se tiver dúvidas, que tal bater um papo conosco? Teremos o prazer de apresentar nossa plataforma, criada para tornar mais prática e ágil a gestão de franquias. Esperamos você! 

Leia também nosso artigo sobre o Franchisee Success e conheça uma metodologia que pode influenciar no desempenho da sua rede de franquias!

Author Avatar
Dario Ruschel

CEO da Central do Franqueado