Logo Central do Franqueado2
  • Facebook Central do Franqueado
  • Copiar Link Central do Franqueado
  • Twitter Central do Franqueado
Central do Franqueado »Engajamento »Entenda a importância de um bom relacionamento entre franqueador e franqueado
Engajamento

Entenda a importância de um bom relacionamento entre franqueador e franqueado

9 min de leituraLeonardo Montoya

O sucesso de uma rede de franquias depende do bom relacionamento entre franqueador e franqueado. Entretanto, manter interesses alinhados por um objetivo em comum é algo que não só exige confiança e diálogo, mas muito preparo profissional. 

Visando te auxiliar na missão de melhorar o engajamento entre as principais partes do franchising, a Central do Franqueado preparou este artigo completo sobre o tema. Não perca!

Neste artigo você lerá sobre: 

O relacionamento entre franqueador e franqueado 

Empreender é um trabalho cooperativo. Seria muito fácil se o crescimento de um negócio dependesse apenas do esforço do gestor. No entanto, por mais qualificado que o profissional seja, sozinho, ele não tem como manter uma empresa no mercado.

No caso das franquias, as coisas são ainda mais desafiadoras. Além de precisar gerenciar sua equipe, o franqueado precisa lidar com o franqueador, suas regras e imposições.

A ambição do idealizador de um negócio deve ser compartilhada com pessoas que possam auxiliá-lo no seu caminho para o sucesso. Afinal, é mediante o trabalho em conjunto que qualquer instituição se mantém em funcionamento.

Uma equipe eficiente é aquela que compartilha a mesma visão e objetivos e onde há motivação em grupo. Profissionais que possuem metas semelhantes conseguem suprir demandas de forma muito mais fácil.

Quando tratamos de redes de franquias, devido à natureza do negócio, a relação entre as partes envolvidas adquire uma importância ainda maior. O relacionamento entre franqueador e franqueado é uma parceria que necessita de comprometimento mútuo, pois o crescimento de um depende, necessariamente, da construção conjunta de uma cultura organizacional.

O franqueado precisa do suporte do franqueador para operar sua unidade e ter sucesso nela. O franqueador, por sua vez, necessita do investimento do franqueado para expandir a rede cada vez mais.

A sincronia dos interesses e do perfil profissional de franqueadores e franqueados é algo que surge da constante comunicação entre eles. Há quem pense que o programa de treinamentos e os eventuais contatos para suporte sejam o suficiente para uma parceria de sucesso. Isso é um equívoco.

Na verdade, ao transformar seu negócio em uma rede, o franqueador já deve montar um perfil do que espera do franqueador. Assim, se o franqueado já estiver de acordo com o perfil divulgado pelo franqueador, significa que algo em comum eles já possuem e, consequentemente, a relação tem mais chances de dar certo.

A proximidade entre as parte

A proximidade entre o responsável pela marca e o operador de uma unidade é o diferencial para que exista, de fato, um relacionamento sincrônico. Ela deve ser trabalhada desde o processo de seleção até o dia a dia das lojas. Franqueadores e franqueados devem buscar uns aos outros, a fim de que o feedback sirva para manter os interesses alinhados.

Preparamos este post para que ele funcione como um guia de abordagem do relacionamento entre franqueador e franqueado. O texto é direcionado tanto para franqueadores que querem passar confiança aos operadores, quanto a franqueados que pretendem estreitar vínculos profissionais.

Como desenvolver um bom relacionamento entre franqueador e franqueado

Agora que você sabe como se dá o relacionamento entre franqueador e franqueado, vamos ver o que pode ser feito para potencializar ao máximo esse vínculo tão importante para o modelo de franquias. Confira! 

1 – Sendo sincero 

“Quais os seus objetivos profissionais ao operar uma unidade da minha franquia?”. 

Essa é a pergunta decisiva no processo de seleção de novos franqueados. Todo franqueador deve fazê-la aos aspirantes a franqueados durante o processo de seleção. A partir de sua resposta, ele poderá analisar o perfil profissional do investidor e colocar em cheque suas intenções.

O candidato, por sua vez, deve ter consciência de que a sinceridade é o que definirá seu futuro. Caso sua resposta não seja de acordo com a pretensão do franqueador, muito provavelmente o contrato nem será fechado. Do contrário, isso pode se tornar o início de uma parceria que implicará em diversas responsabilidades.

Ser transparente é algo que pode moldar a relação já em sua fase inicial. A transparência é necessária para que não haja falsas expectativas e promessas para ambos os lados.

O franqueador deve apresentar a rede de maneira objetiva, deixando claro ao investidor o que quer de seu trabalho. Este, por sua vez, deve explicar de forma sincera o que pode proporcionar levando em conta suas qualidades profissionais e o que busca no processo.

As metas só serão estabelecidas se as duas partes trabalharem juntas e estiverem de acordo com suas pretensões. De nada adianta contratar um franqueado que não sirva para o processo de expansão da empresa. 

Da mesma forma, não adianta investir em uma rede de franquias que não vá proporcionar um retorno satisfatório. Novamente, investir em uma franquia é um trabalho coletivo entre franqueador e franqueado e, portanto, os dois precisam saber que ganharão com aquilo.

2 – Desenvolvendo confiança

A sinceridade na relação entre franqueador e franqueado depende da credibilidade, o que, em qualquer relação, só é possível obter com o tempo. Mas, nesse caso, ajuda se a franquia já estiver bem estabelecida no mercado e possuir franqueados contentes e satisfeitos. 

Os treinamentos e o suporte, porém, têm papel fundamental no desenvolvimento da confiança entre as partes. Nos treinamentos, não apenas o know-how de operação das lojas é transmitido, mas também são detalhadas as políticas de trabalho da empresa. Os programas de capacitação moldam a postura do operador de uma unidade da franquia.

A participação do franqueador durante o treinamento é uma forma de deixar a dinâmica ainda melhor. Ele pode atuar como representante profissional, oferecendo ajuda e possibilidades de diálogo.

3 – Utilizando bons canais de comunicação

Talvez o mais óbvio componente deste relacionamento entre franqueador e franqueado seja o estabelecimento de canais de comunicação eficazes e acessíveis para contribuir com a rotina de funcionamento das unidades da rede. 

Isto é, a administração das franquias depende de meios para contato caso seja necessário suporte, e também para que os processos cotidianos sejam feitos com maior grau de qualidade. Afinal, um bom diálogo é essencial em qualquer relação.

Dispor de canais de comunicação eficientes é uma forma de melhorar o relacionamento entre franqueador e franqueado. Mas, mais do que isso, é uma forma de manter o padrão de qualidade da marca.

Os canais tradicionais, como o telefone e o e-mail, ainda são muito utilizados em redes de franquias. No entanto, existem meios muito mais eficientes e abrangentes. A Central do Franqueado, por exemplo, é uma plataforma completa que auxilia nas demandas do gerenciamento de unidades — funcionando, acima de tudo, como um canal de comunicação.

Lembrando que dispor de um local acessível e prático para contato é algo que evita desentendimentos e estresse entre franqueados e franqueadores.

4 – Mantendo a união na relação profissional

É inevitável que interesses profissionais mudem ao longo do tempo. Mas, levando em conta o investimento de um franqueado na unidade, e de sua importância para o franqueador no processo de expansão, a perseverança é algo que fundamenta o relacionamento no franchising.

A união em relação a metas e ao estilo de trabalho, bem como o compartilhamento dos mesmos valores e princípios, mantém e evolui o engajamento de um operador. Ela proporciona mais confiança na relação entre as partes.

Além de ser peça chave para o sucesso de uma franquia, o relacionamento entre franqueador e franqueado é a porta de entrada para novos investidores. Afinal, o sucesso da relação profissional significa o sucesso da empresa, o que é o maior chamativo para novos investidores. Isso, no fim das contas, pesa muito na definição de um padrão de qualidade.

Existem dois métodos tradicionais — e muito eficazes— de manter a unidade no franchising.

  • As consultorias de campo são fundamentais para a análise cotidiana do funcionamento das lojas de franquia, funcionando como meio de avaliação de mudanças que devem ser feitas para a otimização de processos;
  • A formação de um Conselho de Franqueados é extremamente importante para que os operadores de lojas em franquias sejam ouvidos. As reuniões são momentos de exposição e análise de problemas locais, os quais são passados ao franqueador. Em conjunto, soluções são tomadas. Isso torna a relação mais horizontal e faz o franqueado se sentir mais pertencente à empresa.

Por último, mas não menos importante: “relação profissional é relação profissional”. No franchising, isso não é diferente. Qualquer adversidade pessoal deve ser deixada de lado e o bem da rede deve ser colocado em primeiro lugar.

A maturidade e o profissionalismo nas relações evitam desentendimentos desnecessários. Até porque complicações sérias podem acabar na justiça — e isso não cai bem para nenhum dos lados. 

Considerações finais

Por mais que existam diretrizes, você deve entender que pessoas são diferentes e, portanto, devem ser tratadas de acordo com suas particularidades. Assim, as estratégias de engajamento variam. O que funcionou com determinada franquia, mesmo que faça parte do mesmo segmento de mercado da sua empresa, talvez não funcione com você.

Lembre-se: não desvalorize interações cotidianas. Por mais que o profissionalismo seja essencial, uma amizade fora da jurisdição da empresa pode beneficiar — e muito — o andamento de uma marca. Além disso, é importante https://centraldofranqueado.com.br/engajamento/franqueado-satisfeito-em-franquias/manter/ o franqueado satisfeito. De nada adianta cobrar um comportamento ativo e engajamento se você não estiver cumprindo as suas obrigações como franqueador. 

A solução da Central do Franqueado

E aí, parece difícil manter um bom relacionamento com seu parceiro de negócios? A Central do Franqueado pode te ajudar!

Como parte da solução de ‘Engajamento’ do nosso sistema para franquias, a Central disponibiliza dois módulos para auxiliar ambos franqueadores e franqueados no processo de comunicação, recurso essencial para a saúde da sua rede. 

O primeiro deles é o CAF (Central de Atendimento ao Franqueado). Nele, as trocas de informação ficam registradas na plataforma, que envia alertas sobre os prazos para o franqueado não esquecer de compromissos importantes. Com a plataforma, você ainda marca reuniões, envia comunicados e presta suporte à sua rede de forma segura e com toda a praticidade da nossa ferramenta.

O segundo é o Módulo Arquivos, uma ferramenta que permite armazenar arquivos importantes da sua rede em lugares de fácil acesso. Tratando-se de segurança, todos os dias são realizados backups com todas as informações do sistema. Então você não precisa se preocupar! 

Quer contar com o auxílio da Central na tarefa de engajar franqueados? Não perca muito tempo e agende uma demonstração gratuita! Vamos te apresentar a plataforma e tirar todas as suas dúvidas.

Gostou do conteúdo? Então continue explorando nossos conteúdos e descubra tudo sobre relacionamento interpessoal no franchising! Boa leitura! 

Author Avatar
Leonardo Montoya

Redator em Central do Franqueado