Logo Central do Franqueado2
  • Facebook Central do Franqueado
  • Copiar Link Central do Franqueado
  • Twitter Central do Franqueado
Central do Franqueado »Gestão de Franquias »5 dicas para você evitar a inadimplência em franquias
Gestão de Franquias

5 dicas para você evitar a inadimplência em franquias

6 min de leituraAndrei Arndt

Segundo a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de famílias endividadas atingiu o maior número desde março de 2010. Desde março de 2020, quando começou a pandemia no Brasil, o país está vivendo uma crise econômica com aumento da inflação e consequentemente do endividamento. Dívidas no cartão de crédito são as mais comuns. 

Por isso, a Central do Franqueado preparou um conteúdo para você, empreendedor, não cair na inadimplência. Afinal, engana-se quem pensa que comprar uma franquia é só pagar a taxa inicial e tudo está resolvido. Muitos valores estão por trás do franchising e, caso não sejam pagos periodicamente, resultam na inadimplência do franqueado. Entenda o que é inadimplência e confira 5 dicas imperdíveis para você evitar a inadimplência em redes de franquia!

Neste artigo você vai ver:

O que significa inadimplência?

A inadimplência ocorre quando alguém não cumpre alguma obrigação financeira. Por exemplo, uma fatura de cartão de crédito que não foi paga ou uma parcela atrasada de um empréstimo. Apesar desses exemplos de dívidas serem voltados para pessoas físicas, a inadimplência acontece também com pessoas jurídicas. 

Pode ser a falta de pagamento de impostos ou até mesmo o descumprimento do contrato da franquia: quando um franqueado não paga as taxas e royalties ao franqueador. Você conhece a expressão “nome sujo”? Ficar com o nome sujo é um dos resultados da inadimplência.  Quando as empresas de proteção ao crédito como o SPC e o Serasa identificam que o CPF ou CNPJ está devendo, pessoas físicas e jurídicas ficam com o nome sujo. 

É importante lembrar que uma pessoa física ou jurídica inadimplente não é uma pessoa endividada. Afinal, nem toda dívida é uma inadimplência. Mas toda inadimplência é uma dívida. Uma compra parcelada no cartão de crédito, por exemplo, é uma dívida que terá de ser paga todos os meses. Se o pagamento não acontecer, aí sim se transforma em uma inadimplência. 

Portanto, a inadimplência é estar em dívida com o pagamento de uma conta. Sendo assim, o ato de dever é o mesmo que estar inadimplente. Desse modo, alguém que está inadimplente com uma loja, rede ou pessoa, está devendo dinheiro a ela. Como você viu antes, no caso das franquias, o não pagamento da taxa de publicidade ou dos royalties pode acarretar na inadimplência do franqueado.

5 dicas para você evitar a inadimplência em franquias

Agora que você aprendeu o que é inadimplência, leia a seguir 5 dicas imperdíveis para você evitar a inadimplência em uma rede de franquias. 

1. Preste atenção na Circular de Oferta de Franquia (COF)

Quando o empreendedor demonstra interesse em abrir uma franquia, existem diversos passos até a finalização do negócio. Entre eles, conhecer bem a franquia e seu perfil profissional. Após esse primeiro passo, vem realmente o início da empreitada, com a entrevista na empresa e a Circular de Oferta de Franquia (COF). A COF inclui exatamente tudo que o empreendedor precisa saber sobre a franquia.

Isto é, as taxas e os valores que precisarão ser pagos ao franqueador, portanto, estão explicados em detalhes na COF. Dessa forma, o franqueado deve analisar friamente todas as nuances do documento. É recomendado contratar uma assessoria jurídica para que o franqueado não deixe nenhuma informação para trás.

A Circular de Oferta de Franquias deve ser entregue ao candidato a franqueado no mínimo 10 dias antes da assinatura do contrato, ou do pagamento de qualquer taxa, para que haja tempo suficiente de análise. Também, é importantíssimo que o interessado em abrir uma franquia leia e estude a COF. É válido também dar uma olhada na lei das franquias. Além disso, conversar com franqueados que já atuam na rede de franquia pode ser uma boa opção.

2. Atente-se as taxas da franquia

Antes de falarmos sobre todas as taxas que englobam uma franquia, é importante deixarmos claro por que elas são cobradas. Como mencionamos, o franchising nada mais é do que a concessão do direito de exploração de um modelo de negócio que deu certo. Entretanto, este sucesso nem sempre é obtido de forma simples.

Para formatarem seu modelo de negócio, os franqueadores acabam tendo que investir muito para que o empreendedor não precise, em coisas como transmissão de know-how sobre Recursos Humanos, marketing, o próprio gerenciamento correto do negócio etc. Todas essas informações vêm como uma espécie de pacote quando a franquia é adquirida, isso é o know-how. E claro, isso tudo custa dinheiro do franqueador. É justamente por deter este conhecimento que elas cobram encargos dos seus franqueados.

A taxa de franquia é uma tarifa única paga pelo novo franqueado logo após a assinatura do contrato de franquia. É ela que dará ao empreendedor o direito de fazer parte da rede e de utilizar a sua imagem para a implantação de uma nova unidade. Essa taxa não deve gerar inadimplência ao franqueado, uma vez que, para ele conseguir acesso a rede ela precisa ser paga inicialmente. Mas há outras taxas que serão cobradas mensalmente.

3. Não esqueça dos royalties

Os royalties são as taxas mensais cobradas para a utilização da marca e do know-how do franqueador e são exigidas durante toda a vigência do contrato. Desse modo, o franqueado não possui o direito de parar de pagar royalties enquanto o contrato estiver ativo. 

Caso ele pare, por qualquer razão, ele ficará inadimplente com a rede e poderá vir a sofrer penalidades jurídicas dependendo da situação e do tempo que permanecer. Logo, o franqueado pode perder o direito de usar a marca do franqueador se não cumprir com a obrigação de pagar os royalties. 

4. Entenda o fundo de propaganda

O empreendedor que adquirir uma franquia também deve contribuir para os investimentos de publicidade da marca. O fundo de propaganda trata de um valor arrecadado pelo franqueador para investir em ações institucionais que promovam a empresa, seus produtos e marketing em geral. Essa taxa também é obrigatória e não deve deixar de ser paga. Como podemos ver, a inadimplência, no meio do franchising, prejudica não só o franqueado, como o franqueador e os demais franqueados que a rede possui.

Isso gera problemas na propaganda da rede e até em seu funcionamento. Se você, franqueador, estiver passando por situações de atraso de pagamento por parte de seus franqueados, busque entender o motivo que está levando-os a atrasar. Esteja aberto para conversar e busque uma forma de pagamento adequada para que o franqueado quite a dívida o mais rápido possível.

5. Aposte na tecnologia

Sabia que apostar na tecnologia contribui para evitar problemas em redes de franquia? A Central do Franqueado é especialista em franchising e desenvolveu o Módulo Central de Atendimento ao Franqueado (CAF) para facilitar o dia a dia dos franqueadores.

A Central de Atendimento ao Franqueado (CAF) vai proporcionar alta performance na prestação de suporte e também vai registrar todas as interações da rede de franquias. Assim, se um franqueado tiver problemas para manter os pagamentos de taxas da franquia em dia, você poderá ser informado de prontidão e negociar para evitar a inadimplência.  Se você é franqueado, saiba que o Módulo CAF também é uma alternativa para você manter contato com o franqueador e resolver problemas com agilidade e praticidade!

Quer conhecer mais sobre o Módulo CAF? Solicite uma demonstração gratuita e comprove todos os benefícios dessa tecnologia! 

E aí? Gostou do conteúdo? Então, acompanhe o nosso site para ficar por dentro das novidades do universo do franchising!

Author Avatar
Andrei Arndt

Redator em Central do Franqueado