Logo Central do Franqueado2
  • Facebook Central do Franqueado
  • Copiar Link Central do Franqueado
  • Twitter Central do Franqueado
Central do Franqueado »Franchising »As principais tendências do mercado de franquias para 2022: saiba como preparar sua rede para o caminho de sucesso no pós-pandemia
Franchising

As principais tendências do mercado de franquias para 2022: saiba como preparar sua rede para o caminho de sucesso no pós-pandemia

11 min de leituraCarlos Griebler

Em mais um ano afetado pelas consequências da pandemia do COVID-19, o mercado de franquias se mostrou resiliente ao apostar na adaptação como chave para um cenário de recuperação. Embora ainda não haja dados sobre o desempenho do setor em 2021, os números até o segundo trimestre já demonstram mudanças significativas e que parecem permanentes dentro do franchising.

Para te ajudar a saber o que esperar do mercado de franquias em 2022, a Central do Franqueado preparou este conteúdo sobre as principais tendências do franchising para o próximo ano. Aqui você lerá sobre:

Como foi o ano de 2021 para o franchising?

No artigo sobre as principais tendências para 2021 no franchising que a Central do Franqueado publicou, os números trazidos já demonstravam uma árdua batalha contra as limitações e dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus. Nesse sentido, com o início da vacinação, das primeiras liberações sanitárias e muitas ideias para contornar esse momento, o cenário de 2021 aponta para uma recuperação conforme números divulgados pela ABF.

No último relatório disponível no site da associação, a pesquisa de desempenho do segundo trimestre revelou que setor de franquias teve um crescimento de 48,4% no segundo trimestre de 2021, atingindo um faturamento de R$ 41,1 bilhões. Mesmo que o valor ainda seja 4,6% menor que o mesmo período em 2019, na pré-pandemia, ele ainda mostra fortes indícios de um futuro de melhora.

Ainda, se comparado ao primeiro trimestre do franchising de 2021, o setor cresceu pouco mais de 3%, também apontando para uma tendência de crescimento neste ano e em 2022. De forma mais específica, os setores de destaque ainda foram aqueles que melhor souberam se adaptar ao novo normal, com o setor de alimentação — aliado ao delivery e dark kitchen — se mantendo na liderança. 

Porém, com as já citadas atenuações sanitárias, setores mais afetados como o de Hotelaria e Turismo começam a se recuperar com o faturamento disparando quase 500% em relação ao período mais crítico da pandemia. Abaixo, você pode conferir os números completos do faturamento no franchising por segmento, entre o segundo TRI de 2020 até o segundo TRI de 2021.

Segmento 2TRI 2020 2TRI 2021 % VAR Unidades % VAR 12M ACUMULADOS
Alimentação – Comércio e Distribuição 10.742 13,6 3,8
Alimentação – Foodservice 32.613  5,6% -2,2%
Casa e Construção 14.159 7,6%   33,0%
Comunicação, Informática e Eletrônicos 6.152  -28,7% 2,6%
Entretenimento e Lazer  2.131 -0,7%  1,3%
Hotelaria e Turismo 6.968  -7,4% -32,7%
Limpeza e Conservação 1.483 1,1% 9,6%
Moda  21.416 4,8% 2,9%
Saúde, Beleza e Bem Estar  37.927 6,9% 11,8%
Serviços automotivos 6.381 10,5% 4,7%
Serviços e outros negócios 28.346 12,1% 9,7%
Serviços educacionais  11.337  1,9% -0,2%
Total  178.950 5,8% 4,4%

Crescimento fora dos polos

Saindo um pouco do faturamento, outra tendência que deve continuar crescendo no franchising é a inauguração de novas unidades em cidades do interior. Ainda segundo a ABF, das 11 cidades que mais cresceram no cenário do franchising, apenas 4 não se tratavam de cidades do interior, o que demonstra um movimento de interiorização do mercado em busca de menores investimentos e competitividade. 

Fatores como custos de aluguel, marketing e mão de obra, menores em comparação com as capitais, atraem os investidores e empreendimentos para o interior do Brasil. Com o mercado cada vez mais competitivo nos grandes polos econômicos, o baixo índice de concorrência nas cidades deve se manter como uma opção cada vez maior em 2022.

Além disso, a região Nordeste do Brasil é outro ponto de atenção para investidores. Em comparação com o primeiro semestre de 2020, o número de unidades no Nordeste teve um aumento de 8%, chegando às 25.457 unidades espalhadas pela região. Além disso, a região também apresenta uma recuperação após o momento mais crítico da pandemia do COVID-19, saltando de R$ 9 bilhões para R$ 12 bilhões em seu faturamento no mesmo período. 

Mais números

Quando falamos em desempenho no franchising, uma das principais métricas para avaliar o cenário são a abertura e o fechamento de unidades. Mantendo a tendência do ano passado, mas em maior escala, o número de lojas abertas no segundo trimestre de 2021 superou o número de lojas fechadas por uma margem de mais de 2%. 

Se compararmos com os números do mesmo período de 2020, onde houve um decréscimo de -3,2%, o setor continua a mostrar ótimos índices de recuperação. Para o terceiro trimestre de 2021, a previsão de potencial de fechamento é de 1,7%, muito menor do que os 4.7% e superando positivamente os valores que as redes previam no início de 2021.

Mudanças e adaptações do mercado de franquias

Como já vimos, a pandemia continua sendo um problema para todos. Aqueles que encontraram soluções e conseguiram se adaptar ainda conseguiram mitigar as perdas, mas muitos negócios acabaram ficando para trás após tantas dificuldades. Nesse sentido, algumas mudanças e adaptações se estabeleceram como necessidades, principalmente nos setores mais afetados pelas medidas contra a COVID-19.

Entre elas, podemos destacar o delivery, e-commerce e as dark kitchens, partes desse novo normal do franchising e que continuarão presentes no dia a dia das franquias pelos próximos anos. As dark kitchens, inclusive, são um dos principais temas da pesquisa de desempenho divulgada pela ABF. Para se ter uma ideia, quase 60% das redes de franquias entrevistadas já possuem ou veem nas dark kitchens uma opção viável para um futuro próximo.

Caso não conheça, o modelo traz uma ideia de cozinha às escuras. No modelo Dark Kitchen, não há estrutura física para receber clientes. A comida é produzida e encaminhada ao endereço do comprador. Geralmente, são usados os aplicativos de entrega como o iFood, Rappi e UberEats. Ou seja, em conjunto com o delivery, as franquias se beneficiam do baixo custo e ainda conseguem burlar as limitações sanitárias para continuar um alto rendimento nas vendas.

Por fim, na questão de adaptações, temos o famoso home-office (ou trabalho remoto). Apesar de não ser uma novidade, o home-office ganhou força nos últimos dois anos. Houve uma adoção em massa por parte das empresas que adotaram o trabalho de casa. Algumas, inclusive, planejam manter o modelo em 2022 ou já retornaram às atividades presenciais com o home-office em certa capacidade, no chamado modelo híbrido.

O que esperar de 2022?

Agora que sabemos como foi 2021 no mundo das franquias e as principais adaptações do franchising, o que podemos esperar do próximo ano? Antes de descobrir, de fato, quais são as tendências para o próximo ano, vamos falar de como o mercado como um todo deve reagir a chegada de 2022.

Melhora no cenário

Em nosso conteúdo sobre tendências do franchising para 2021, consideramos as primeiras levas de vacinação contra a Covid-19 como determinantes para os resultados do setor, o que de fato se confirmou. Agora, a expectativa é que além da vacina, o fim do distanciamento social possa aliviar o mercado ainda mais para voltar aos patamares da pré-pandemia.

A ABF espera um crescimento bastante favorável no setor, acima dos 8% previstos para 2021. A associação, inclusive, já confirmou que sua feira de franquias — a ABF Franchising Expo — será presencial nos dias 22 a 25 de junho de 2022. Dessa forma, mostra o quão confiante está para a retomada total do franchising em um evento que deve reunir mais de 60 mil pessoas e 400 marcas.

O novo consumidor

O consumidor também mudou e agora ele exige certos cuidados e possui outras preferências de compras. Quer um exemplo? O próprio delivery! A modalidade se mostra cada vez mais atrativa para quem procura combinar a praticidade com a segurança, dois fatores presentes em um mundo acelerado e que enfrenta uma pandemia.

Por isso, empresas e franquias em geral precisam entender a necessidade que é criada no mercado. Não adotar alternativas que atendam todas as exigências desse novo cliente de um novo normal é aceitar a vitória da concorrência.

E não se esqueça: o delivery é só uma das mudanças que vieram para ficar, afinal até mesmo fora do escopo da pandemia existem outras tendências de um novo normal como o desuso de plásticos ou uma produção cruelty-free (que não realizam testes em animais). Fique atento a essas mudanças e oportunidades!

Tendências do Franchising em 2022

Apesar de segmentos de franquias terem reagido de formas diferentes a pandemia, muita coisa se tornou unanimidade, como as já citadas formas para contornar o distanciamento social. Por isso, para manter um bom desempenho mesmo em meio a um cenário difícil, é importante entender o que funciona no mercado e o que deve ser a chave para um futuro de sucesso. Confira as principais tendências do franchising em 2022!

O mercado continua seguro

Antes de mais nada, o franchising sempre foi famoso por ser um porto seguro na hora de empreender, por se tratar de uma marca geralmente estabelecida. E isso não mudou para 2022. Investir em uma franquia no próximo ano é uma via de mão dupla ainda maior para franqueado e franqueador. Ambos precisam se recuperar definitivamente da crise e uma expansão da rede deve ser vista com bons olhos por ambos.

1 – Formas de pagamento

A pandemia também consolidou outra mudança importante: a forma como realizamos pagamentos. A segurança e praticidade de não precisar carregar dinheiro em espécie e apenas realizar uma transação PIX ou utilizar o consolidado cartão de crédito cada vez mais se estabelecem como o padrão quando falamos de pagamentos.

Porém, existem exceções, como no caso de uma base de clientes mais velha, desacostumada a usar eletrônicos e cartões de crédito. Em casos como esse, ainda é cabível o uso do dinheiro e de métodos mais tradicionais como boletos bancários e carnês de pagamento.

2 – Delivery

Pode parecer repetitivo o fato de que os serviços de entrega cresceram exponencialmente durante a pandemia, especificamente no ramo alimentício. O crescimento influenciou em uma suavização das perdas do segmento durante o ano e deve ser mantida para o futuro. Optar por um sistema próprio pode ser uma opção, porém, estar presente nos aplicativos irá dar maior visibilidade à sua rede e trazer novos clientes. 

3 – Cuidados sanitários

A pandemia ainda não acabou. O uso de máscaras em locais internos, higienização e algum tipo de distanciamento ainda é fundamental no combate ao COVID-19. Por isso, outra tendência que não deve mudar, por conta do tempo que levará até a imunização de toda a população, são os cuidados com questões sanitárias a partir de decretos do governo. 

Garanta que a higienização dentro das lojas, que pode ser averiguada em unidades por meio de consultorias, esteja ocorrendo da melhor forma. Assim, esse processo também beneficiará seu branding, estabelecendo sua marca como uma empresa que se importa com a saúde de seu público.

4 – LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados está em vigor e busca proteger todos os tipos de dados pessoais de clientes. Ou seja, basicamente será necessário consentimento da pessoa para que as empresas possam obter e tratar seus dados. Além disso, estão previstas penalidades em caso do não cumprimento da LGPD por parte das empresas que realizam o processamento irresponsável de dados pessoais de clientes. 

Então, considerando que no franchising é comum a captação de dados de clientes independentemente da unidade, seja para ações de marketing, possibilidades de expansão ou oferecer um atendimento personalizado, a atenção deve ser redobrada. Dessa forma, caso ocorra qualquer tipo de vazamento de dados, a franqueadora será responsável e poderá arcar com erros de franqueados despreparados. 

A melhor forma de proceder é estabelecer a gestão de dados consciente como política interna da rede, informando as obrigações e responsabilidades quanto à LGPD para os já franqueados, mas também aos interessados com a inclusão do tema em contratos e na Circular de Oferta de Franquia.

5 – O formato de franquias em alta na pandemia

Com o mundo ainda em isolamento social, cresceu o número de funcionários que trabalham em casa. Porém, muitos já faziam esse tipo de serviço nas chamadas franquias home based

São diversas as redes que oferecem o modelo Home Based no mercado de franquias brasileiro. Nela, toda a operação do franqueado é feita remotamente através da tecnologia. 

Agora, o formato cresce ainda mais com a pandemia e a medida que a transformação digital acontece diariamente. Assim, optar por investir em uma franquia Home Based é manter sua autonomia de gestão conforme seus horários e costumes e facilitar o ambiente de atuação. 

6 – Aposta na tecnologia

Por fim, temos outra tendência que auxiliou diversas franquias a se manterem firmes em 2021: a tecnologia. E, como falamos anteriormente, está se tornando uma necessidade, tanto para franqueadores quanto para franqueados que buscam facilitar a vida.

Automatizar e otimizar processos são pilares para a evolução das empresas. Ter ferramentas que facilitem a gestão do seu negócio será um diferencial da sua empresa diante dos concorrentes. Por isso, devemos utilizar a tecnologia como aliada para expansão e crescimento da rede de franquias.

Plataformas online, como a Central do Franqueado, são ideais para gestão de rede e comunicação entre o franqueador e franqueados. Aperfeiçoam até mesmo o controle de qualidade e a expansão da rede. Conheça o sistema para franquias da Central do Franqueado!

Author Avatar
Carlos Griebler

Redator em Central do Franqueado