Logo Central do Franqueado2
  • Facebook Central do Franqueado
  • Copiar Link Central do Franqueado
  • Twitter Central do Franqueado
Central do Franqueado »Franchising »Conheça o mercado de Food Delivery e suas tendências para 2022
Franchising

Conheça o mercado de Food Delivery e suas tendências para 2022

6 min de leituraAndrei Arndt

O Food Delivery cresceu juntamente com a demanda dos serviços de entrega desde o início da pandemia. Entregar o pedido no endereço do cliente deixou de ser um diferencial para se tornar uma forma de sobrevivência econômica para empresas no segmento de alimentação.

Você vai ver:

O que é Food Delivery?

O Food Delivery é um termo em inglês que significa entrega de alimentos. Ele é um serviço em que restaurantes, bares e lanchonetes entregam alimentos ao cliente. Por meio de canais digitais o consumidor faz o pedido e recebe em casa. 

O isolamento social em função da pandemia transformou a tendência de crescimento do Food Delivery em necessidade e numa alternativa para evitar o fechamento permanente das portas. Segundo dados da Statista, empresa especializada em dados de mercado e consumidores, o Brasil é responsável por quase metade do faturamento do delivery na América Latina, com o setor prevendo arrecadar aproximadamente 6 trilhões de dólares até o final de 2021.

Além da pandemia de coronavírus, os hábitos de consumo da Geração Y estão relacionados às mudanças no comportamento do consumidor, reforçando a conectividade e digitalização das atividades diárias. Isso indica que o Food Delivery tende a crescer ainda mais nos próximos anos.

O crescimento no número de smartphones em uso no Brasil é um aspecto importante que reforça a predominância do Food Delivery. Um estudo da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas divulgou que há 424 milhões de dispositivos digitais em funcionamento no país. Desse montante, 234 milhões são smartphones. 

Não só o número de aparelhos celulares têm aumentado. A cobertura da rede de internet também cresce a cada dia. Em 2020, o país registrou um aumento de 18% na quantidade de celulares conectados. Atualmente, a rede de conexão 4G cobre 97% da população. Os dados podem parecer fora de contexto no início, mas estão relacionados à transformação digital.

Em outras palavras, esses dados apontam uma tendência de consolidação dos dispositivos móveis, principalmente smartphones, o que está relacionado ao Food Service.

Food Delivery em marketplaces e aplicativos próprios

O serviço de Food Delivery é comumente dividido em dois modelos: os marketplaces e aplicativos e sites próprios. Apesar dos aplicativos externos no segmento de Food Delivery cobrarem altas taxas sobre os pedidos, as vendas por aplicativos de delivery cresceram mais de 200% no franchising em 2021, enquanto o uso de aplicativos próprios diminuiu.

O ganho de visibilidade parecem estar compensando as taxas que antes afastavam determinados negócios do segmento de alimentação. Além disso, a logística de ter um aplicativo próprio é mais complexa, pois envolve a gestão de uma frota de entregadores ou serviços contratados por terceiros. 

Nesse sentido, é interessante apontar que uma logística compartilhada entre restaurantes selecionados facilitaria a prestação de um serviço com melhor custo benefício.

Novos nichos e tendências de Food Delivery

As novas demandas do mercado em função da pandemia exigem que o mercado inove e se transforme. Por isso, a abertura de novos nichos é uma tendência do segmento de Food Delivery. 

Groceries

As atividades na área de Groceries ou Mercearia (compras de supermercado) e Farmácia (medicamentos e afins) estão em crescimento no Brasil.

A logística mais comum do Food Delivery é quando o entregador retira o alimento no restaurante e encaminha ao endereço do comprador. Para Groceries ou supermercados, no entanto, a operação é um pouco mais complicada. 

Ao passo que tendências aparecem, novos profissionais são convocados. É o caso do personal shopper, responsável por transitar pelos corredores e gôndolas para compor os pedidos conforme solicitado pelo cliente. Nesse sentido, um amplo porta-malas é necessário e a motocicleta deixa de ser o veículo mais apropriado.

O aumento nos custos, no entanto, resulta no aumento da taxa de entrega e pode inviabilizar a prestação do serviço em marketplaces.

Quick-commerce

O quick-commerce, ou q-commerce, é considerado a terceira geração do comércio. Ele é um modelo de venda com entregas mais rápidas. Se antes, em tempos de e-commerce, o normal era esperar alguns dias após finalizar o pagamento, no q-commerce a encomenda chega ao comprador em algumas horas ou minutos.

Apesar da origem no Food Delivery, são amplas as possibilidades para o q-commerce. A Amazon, por exemplo, entrega qualquer pedido comprado no site em algumas horas dependendo da sua localidade. Ainda no ano passado, a Amazon experimentou a entrega de mercadorias via drones, reduzindo o tempo de espera para aproximadamente 30 minutos.

Dark stores

Uma alternativa para aderir ao q-commerce é o investimento em pequenas lojas com acesso restrito aos funcionários. Conhecida como dark stores, são armazéns em pontos de relevância nos centros urbanos. 

As dark stores mantém estocados os principais produtos. Quando o cliente finaliza a compra, a mercadoria é encaminhada em minutos ao endereço. Feijão, arroz, óleos, massas e biscoitos estão entre os produtos mais vendidos. Em geral, qualquer pequena porção é facilmente adquirida e entregue por moto ou bicicleta em instantes, basta caber na mochila de entrega.

Voltando à tele-entrega de lanches, surgem as dark kitchens são adaptações de dark stores para atuação no segmento de Food Delivery. Elas são alternativas aos restaurantes tradicionais porque custam menos aos empreendedores.

Afinal, os custos com estrutura são menores. Mesas, cadeiras e itens relacionados ao atendimento do cliente inexistem numa dark kitchen. Basta uma cozinha, um cozinheiro, um produto e o cadastro nas plataformas do Uber Eats, Rappi, ou iFood.

Food Delivery no mercado de franquias

O mercado de franquias é um adepto do Food Delivery há alguns anos. Não só as redes gigantes como Subway e McDonald’s, mas praticamente todas as franquias de alimentação adotaram o Food Delivery. Devido ao aumento na demanda do delivery nos últimos anos, estima-se que aproximadamente a metade do rendimento das franquias seja obtido por meio desses pedidos.

Destaques conhecidos do Food Delivery no mercado de franquias são as franquias de comida japonesa e as pizzarias. Mas outro segmento que também cresceu desde o início da pandemia foi o comércio de bebidas. 

Segundo dados do Euromonitor, o volume de cerveja consumida em 2020 no país foi o maior nos últimos 6 anos, ficando atrás somente de 2014, quando o Brasil sediou a Copa do Mundo. Nesse sentido, é possível relacionar o crescimento do delivery com o consumo de bebidas para projetar um cenário otimista para o comércio de bebidas.

É inevitável pensar na transformação digital ao falar sobre as tendências no mercado de Food Delivery. Afinal, sem a tecnologia móvel nenhum aplicativo de delivery existiria. As oportunidades são amplas e em tempos de crise o mercado clama por inovação. Existem também aplicativos que prestam serviços diretamente aos bares e restaurantes inseridos no Food Delivery. Eles fornecem insumos, serviços financeiros e softwares de gestão, por exemplo.

O mercado financeiro é complexo e está repleto de armadilhas. Mas saiba que, mesmo em tempos de crise, o faturamento da indústria de alimentos cresceu 13% em 2020. Investir em Food Delivery é apostar em um mercado em expansão.

Que tal conferir algumas franquias do setor de alimentação e realizar o seu sonho de ter um negócio próprio? Conheça as melhores franquias do setor de alimentação!

Author Avatar
Andrei Arndt

Redator em Central do Franqueado