Vantagens e desvantagens do sistema de franquias

As redes de franquias estão cada vez mais presentes nas cidades brasileiras. A ascensão desse formato de negócio é resultado do trabalho conjunto de dois atores fundamentais: as redes franqueadoras, que compartilham a imagem e o know-how da marca com novos empreendedores, e os franqueados, que apostam no sucesso da rede. Mas nem sempre o franchising é a opção ideal para as empresas. As vantagens e desvantagens do franchising devem ser analisadas para que o formato seja compatível com o perfil dos gestores. Saiba mais sobre elas!

Neste conteúdo você irá aprender sobre:

O franchising

O franchising cresce continuamente no Brasil. De acordo com dados da ABF, em 2018, o mercado movimentou cerca de R$174,8 bilhões de reais, registrando um crescimento de 7,1% em relação ao ano anterior. Ao passo que os números aumentam e o mercado se demonstra cada vez mais lucrativo, há mais interesse de investidores no formato. É esse interesse que sustenta o mercado. Afinal de contas, ele viabiliza a abertura de franqueadoras e de novas unidades a partir de redes já existentes.

Apostar na formatação de uma rede de franquias ou na instalação de uma unidade é algo bastante atraente.  O mercado de franquias já afirmou seu potencial, consolidando-se como opção acessível e certeira para a expansão de negócios.

Mas, assim como toda escolha, existem vantagens e desvantagens ao optar por esse caminho. O franqueador encontrará uma forma muito mais prática de ampliar a atividade da sua empresa. No entanto, dependerá da eficiência e da confiança de bons franqueados. Esses, por sua vez, não terão a flexibilidade que teriam ao gerir um negócio próprio. Porém, estarão investindo em uma proposta que já deu certo. No final das contas, para que o franchising seja realmente a opção certa para o gestor, sua pretensão deve ser compatível ao funcionamento do formato.

A seguir, exemplificaremos de forma mais detalhada quais são as vantagens e desvantagens de franquias, tanto para franqueadores, quanto para franqueados. Ao final do texto, faça uma autoanálise: o franchising é o mercado para mim?

Vantagens de apostar no franchising

Para o franqueador:

01. Forma viável e mais rápida de expansão e consolidação da marca: É ambição de todo gestor ter um negócio de sucesso. Alguns querem ver sua marca voar. O franchising é um formato que dá asas a qualquer empresa, pois facilita sua inserção em novos mercados. A expansão parte do investimento de empreendedores terceiros, interessados em se tornarem franqueados da marca, que passam a gerir unidades da rede em determinadas localidades, que talvez antes não teriam como ser abrangidas pela companhia. É assim que muitas empresas, hoje em dia, se consolidam em grandes mercados.

Dica: O primeiro passo que o gestor interessado em franquear deve dar é fazer uma análise de franqueabilidade do seu negócio. Em seguida, é necessário formatá-lo como rede de franquia.

2. Rentabilidade e redução de custos pelo investimento de franqueados: Como a instalação de unidades de franquia depende do capital investido pelo franqueado, esse é um custo que não cabe ao franqueador no momento da expansão e nem durante a operação da loja. Além disso, o franqueador recebe a taxa de franquia, que cobre os custos de seleção e o programa de treinamento dos operadores, bem como a taxa de royalties mensal, que garante a rentabilidade do negócio.

3. Delimitação de um formato fixo com padrões de qualidade: Ao franquear, o franqueador deve delimitar o formato no qual sua rede funcionará, levando em conta a estrutura da loja, os métodos de produção nas unidades e toda a atuação dos funcionários da empresa. Isso, além de ser judicialmente descrito na Circular de Oferta de Franquia, contribui para a definição de um padrão de qualidade a ser respeitado pelos franqueados – o qual, para que de fato seja seguido, é demonstrado nos programas de treinamento a serem organizados pelo franqueador e sua equipe.

Para o franqueado:

1. Investimento em um modelo de negócio estruturado, que já obteve sucesso: Em tempos de instabilidade financeira, é normal pensar duas ou dez vezes antes de investir em um negócio. O investimento se torna muito mais certeiro, porém, quando é feito em um negócio que já deu certo. Redes de franquias são opções muito vantajosas para empreendedores dos mais variados perfis, pois abrangem todos os segmentos de mercado. O interessado pode entrar em contato com a rede e participar de um processo de seleção. Ao fechar o contrato e investir, estará gerindo um modelo que já foi estruturado.

2. Treinamento e suporte oferecidos por parte da franqueadoraFazem parte da manutenção da estrutura da rede os programas de treinamento oferecidos pela franqueadora. Eles são essenciais para que o novo franqueado adquira o know-how necessário para que realize a gestão de sua unidade da melhor forma, seguindo os padrões de qualidade e de funcionamento da empresa. O investidor que aproveita esse momento ao máximo estará recebendo rico aprendizado.

Além disso, o operador de uma unidade de franquia nunca está sozinho. Sempre que precisar, pode acionar o suporte da franqueadora para solucionar eventuais problemas que podem aparecer na sua loja. O franqueado, contratualmente, tem a garantia de que receberá ajuda quando necessário. Isso jamais aconteceria na gestão de um negócio próprio.

3. Possibilidade de financiamentos com bancos: Você sabia que existem inúmeras linhas de crédito e financiamento para empreendedores que pretendem abrir uma franquia? Sim! Da Caixa Federal, ao Bradesco, ao BNDES – bancos estatais e privados oferecem a possibilidade de retirada de crédito para a realização do investimento, tornando-o ainda mais acessível para empreendedores de todos os perfis financeiros. Confira uma lista de bancos aqui.

Desvantagens de apostar no franchising

Para o franqueador:

1. Perda de sigilos operacionais e estratégicos da empresa: Faz parte da gestão no franchising compartilhar alguns saberes e informações que não seriam compartilhados em um negócio convencional. Afinal, os franqueados precisam tanto adquirir o know-how, quanto estarem por dentro do posicionamento da empresa perante o mercado para que se sintam seguros a investir no negócio. Portanto, o franqueador deve estar disposto a expor o seu negócio a candidatos que, talvez, não sejam confiáveis ou eficientes. É preciso, também, ter muita cautela na formatação do contrato de franquia. Ele deve ter cláusulas claras a respeito da conduta do franqueado.

2. Sujeição a ter problemas com franqueados: Por mais que normalmente o processo de seleção de franqueados seja rigorosamente desenvolvido, não há como saber como será sua atuação como operador de uma unidade. Alguns profissionais simplesmente não vão se encaixar com a proposta da empresa. Uma quebra de contrato traz bastante prejuízo para a rede e, claro, para o investidor. Pior do que isso é selecionar empreendedores que tragam complicações para a imagem da empresa. Infelizmente, tudo isso pode acontecer.

3. Custos de formatação da rede: Investir capital para formatar uma empresa como rede de franquias é uma parte necessária do processo. Entretanto, determinados negócios demandam mais investimento e dedicação do que outros para a formatação de padrões. O gestor deve estar disposto a tirar dinheiro do bolso, mas antes disso, é melhor que verifique se realmente o investimento vai valer a pena no momento.

Para o franqueado:

1. Pagamento obrigatório de taxas: Faz parte do contrato com o franqueador o pagamento de algumas taxas para que o franqueado tenha direito de gerir uma unidade da franquia. A taxa de franquia, os royalties e o fundo de propaganda são algumas delas. Mensalmente, o operador deve pagar um determinado valor. Portanto, é fundamental que esteja sempre com o orçamento preparado para essa obrigatoriedade. Afinal, principalmente no início, ele pode pesar no bolso e diminuir o retorno para o investidor.

2. Dependência da eficiência do franqueador e sua equipe: Prestar suporte e investir no marketing para as unidades da franquia são dois dos principais deveres da franqueadora para com seus franqueados. Infelizmente, problemas de comunicação, despreparo e descaso são recorrentes em algumas equipes da franqueadora. Não é à toa que a maioria dos processos na justiça envolvendo franquias, são aqueles que denunciam a falta de suporte ao franqueado, que depende do franqueador para que sua unidade tenha caminho para crescer.

Dica: a Central do Franqueado é uma ferramenta que aproxima franqueadores e franqueados, evitando problemas desnecessários. Conheça mais clicando aqui.

3. Flexibilidade limitada de gestão: Faz parte do investimento em franquias estar apostando em um negócio que foi idealizado por outra pessoa. Às vezes, o franqueado pode sentir vontade de modificar alguns processos em sua unidade de franquia. No entanto, isso não pode ser feito sem a aprovação do franqueador. Afinal de contas, existe um padrão a ser seguido por todas as lojas. As mudanças a serem feitas na gestão dos pontos comerciais de franquias são mudanças que devem englobar toda a rede. Por isso, devem ser analisadas e demoram muito mais para serem exercidas.

De forma geral, essas são as vantagens e desvantagens de franquias para quem pretende franquear e para quem pretende ser franqueado.

A consolidação da marca e a certeza de uma gestão segura é, resumidamente, a parte positiva. A negativa, se colocamos em análise, seria a dependência entre as duas partes para que haja sucesso em rede. Mas, seria isso realmente algo ruim?

Com um trabalho sincrônico e comunicativo em equipe, redes de franquias vão longe. É só prestar atenção nas grandes marcas que surgiram nos últimos anos. Cabe ao gestor, bem como ao investidor, estarem dispostos a firmar uma parceria com confiança e com os mesmos objetivos.

E aí? Animado com o franchising? Então confira o nosso conteúdo com dicas de investimentos em microfranquias.

Sistema para Franquias - Peça agora uma Demonstração!