Entenda o que analisar antes de terceirizar funcionários em sua franquia

A terceirização é a solução encontrada por muitas empresas para baratear custos de mão de obra e se abster de questões contratuais com funcionários. Mas, terceirizar também tem seus contras, como a falta de controle total sobre os métodos e a logística de trabalho dos profissionais. É, então, de se pensar: a prática é adequada para franquias

Saiba o que você vai encontrar neste conteúdo:

O que é terceirizar serviços?

É impossível falar de prestação de serviços sem mencionar o termo ‘terceirização’. Hoje em dia, é cada vez mais comum que organizações confiram determinadas demandas a empresas especializadas nas atividades requeridas. Terceirizar é isso: contratar uma empresa terceira, que irá dispor de funcionários para a realização de certas funções. Você já deve ter percebido em diversos estabelecimentos a presença de colaboradores “de fora”: profissionais de limpeza, segurança e manutenção são normalmente os mais visíveis. 

Entretanto, por mais que tenhamos a tendência em associar a terceirização a esses trabalhos, os quais chamamos de atividades-meio, saiba que também podem ser terceirizados serviços diretamente associados com a finalidade da empresa. Desde a alteração da Lei 6019/74 feita durante a Reforma Trabalhista em 2017, é permitido terceirizar as chamadas atividades-fim – aquelas fundamentais para a logística e a produção do negócio. Diz o artigo 4º: “Considera-se prestação de serviços a terceiros a transferência feita pela contratante da execução de quaisquer de suas atividades, inclusive sua atividade principal, à pessoa jurídica de direito privado prestadora de serviços que possua capacidade econômica compatível com a sua execução”.

Ou seja, se antes só era permitido contratar mão-de-obra terceira para demandas “secundárias”, agora toda atividade pode ser terceirizada. Tal flexibilidade é benéfica para gestores que querem diminuir custos com funcionários. Contratar uma empresa responsável pela prestação de serviços pode realmente sair mais barato do que formar uma equipe interna. Em muitos casos, a demanda por mais colaboradores é necessária apenas em algumas épocas do ano – e então, a terceirização se mostra como uma solução fácil e econômica.

Porém, mais do que isso, o que acaba sendo uma das diferenças mais significativas entre optar por terceirizar ou contratar funcionários diretamente, é a questão das responsabilidades do vínculo contratual. Ao escolher pela terceirização, a instituição a não terá que lidar com encargos trabalhistas. Quem será responsável por isso e pelos direitos e cuidados com o trabalhador é a empresa contratada.

Vale a pena contratar funcionários terceirizados para uma rede de franquias?

É evidente que, por ser uma alternativa para a redução de custos e de responsabilidades empregatícias, a terceirização se tornou uma prática comum em todos os setores da indústria. Mas, e redes de franquias? 

Quando pensamos no funcionamento de uma organização que funciona por franchising, terceirizar se torna algo mais delicado. Como conferir atividades a uma empresa terceira e ainda assim preservar os padrões de qualidade da rede? Mesmo em atividades-meio, a terceirização pode colocar em risco o controle de qualidade da marca e a logística de funcionamento da franquia. Por isso, colocar na balança prós e contras é algo indispensável de ser feito antes de contratar serviços de fora. 

Por que terceirizar serviços em uma rede?

  • Redes pequenas podem reduzir custos de operação

Se diminuir gastos é um dos principais motivos para terceirizar serviços, a prática pode sim ser considerada – especialmente por redes de franquias iniciantes no mercado. Ao optar pela terceirização de serviços como limpeza e manutenção, a franqueadora estará reduzindo custos de operação das unidades. Isso, acaba barateando os valores de investimento e de capital de giro necessários para o funcionamento das lojas. Quem se beneficia disso são os franqueados e a própria rede, que estará atraindo mais interessados em investir.

  • Diminuir demandas relacionadas à gestão de pessoas 

Um dos grandes desafios da gestão em franquias é o trabalho de gestão de pessoas. Isso envolve zelar pelo bem-estar dos funcionários e por suas condições de trabalho. Novamente, para redes de franquias que estão começando, a terceirização pode ajudar nesse caso. Pequenas franqueadoras podem ter dificuldade em gerenciar e avaliar a atividade dos trabalhadores. Afinal, por mais que tenha o papel de gestor, não é responsabilidade única do franqueado observar as demandas dos profissionais. A rede deve oferecer o suporte necessário para que todos exerçam suas funções de maneira ideal.

Por que não terceirizar serviços em uma rede?

  • Algumas características próprias da empresa se perdem

Um risco que toda empresa corre ao franquear suas operações, é perder aquelas características especiais que desenvolveu sendo um negócio local. Claro: a rede bem estruturada consegue replicar isso com sucesso. Porém, no momento em que a franqueadora opta por terceirizar determinados serviços, algumas pequenas coisas podem significar grandes mudanças. Clientes percebem a alteração de detalhes que muitas vezes simbolizavam sua experiência com a marca. Desde os cuidados da loja, à maneira como os produtos são feitos – a atividade própria da empresa tem seu valor. 

  • Rede não poderá aplicar políticas de trabalho

Por não ser responsável pelos vínculos contratuais e pela relação empregatícia com os funcionários terceirizados, não caberá à rede treiná-los a respeito dos métodos a serem utilizados, nem orientá-los sobre políticas de trabalho. Isso, em uma rede de franquias, tem peso significativo. Quando os profissionais são contratados pela franquia, a franqueadora pode criar campanhas de incentivo e maneiras de aprimorar seu serviço.

O que deve ser considerado para perceber se a terceirização vale a pena?

Em linhas gerais, o que deve ser levado em conta no momento de pensar sobre terceirizar, é a estrutura financeira da rede: há a possibilidade de contratar funcionários, treiná-los e oferecer todo o suporte necessário para sua atuação? Também, claro, a logística e a produção da empresa devem ser postas em análise. É possível substituir os padrões desenvolvidos pela empresa pelo trabalho de uma empresa terceirizada? Minha rede manterá suas características principais? Lembrando que o que está em jogo é o controle de qualidade da franquia. Isso, acima de tudo, deve ser priorizado.

Gostou deste conteúdo? Saiba mais sobre temas trabalhistas em nosso conteúdo sobre MEI. Confira nosso blog e leia mais artigos sobre franquias e mundo dos negócios.

 

Solicite uma Demonstração para sua Rede de Franquias!