Importância das redes sociais para marcas de franquia

A Internet é uma poderosa ferramenta de comunicação no mercado. Com seu uso, franquias se beneficiam principalmente pelo seu potencial de alcance e atração de consumidores de localidades distintas e investidores. Entenda como redes sociais podem captar clientes e novos franqueados, colaborando para o plano de expansão da marca.

A disponibilidade é uma característica que toda empresa que preza pelo interesse em seus produtos e serviços deve desenvolver. É a partir da disponibilidade da marca que interessados se sentem mais próximos ao que ela oferece, obtendo informações e sanando dúvidas.

“Segundo o Sebrae, 40% dos pequenos negócios possuem página oficial no Facebook”.

Estar disponível é se comunicar, é se mostrar presente. Hoje, comunicar-se e mostrar presença é sinônimo de estar online. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Sebrae em 2018, 72% dos pequenos negócios utilizam o WhatsApp para manter contato com clientes e 40% possuem página oficial no Facebook. São as redes sociais se mostrando como ferramenta de disponibilidade.

Para redes de franquias, isso não é diferente. Independentemente de seus perfis, tamanhos e segmentos de mercado, as franquias fazem uso das redes sociais para se mostrarem disponíveis a todos os potenciais interessados. Mas, quando assunto é franchising, os interessados não são apenas os consumidores que comprarão o produto final.

Captar possíveis franqueados também é um dos motivos para se utilizar redes sociais em franquias. Nelas, é possível filtrar empreendedores que estão buscando investir no formato de negócio.

A utilização dos canais online de comunicação por redes de franquias visa não somente o aumento de vendas, mas também a expansão. Por meios como o WhatsApp, Facebook e Linkedin, possíveis candidatos a franqueados podem entrar em contato com a marca mais facilmente. Eles podem se aproximar do franqueador e sua equipe antes de investir, de fato, em uma unidade da franquia.

Aqui, falaremos mais sobre esses dois objetivos distintos. Como aproveitar as redes sociais, cada vez mais popularizadas, de forma direcionada? Independentemente de quais ferramentas forem utilizadas, existem formas adequadas de se lidar com os diferentes públicos.

Redes sociais e consumidores: campanhas, suporte e interação

É de praxe pegarmos o celular quando queremos saber mais sobre restaurantes, lojas e qualquer tipo de estabelecimento que iremos conhecer. Como consumidores, acessar o Instagram, ou ainda o Facebook, é ter o primeiro contato visual com a marca. Como empreendedores, dispomos das redes sociais como vitrines.

Pequenos e grandes negócios que aproveitam os feeds para divulgarem produtos e serviços estão se apresentando a potenciais clientes. Redes de franquias podem se aproveitar ainda mais disso, pois centralizam sua comunicação em canais oficiais, que servem para todas as unidades da marca.

Logo, redes sociais tanto facilitam a divulgação de campanhas em franquias quanto servem para traçar o perfil do público consumidor das redes, através da interação com usuários de localidades diversas. Ao estarem disponíveis, as páginas funcionam como meio principal de informações da marca. São canais acessíveis, também, para sanar dúvidas.

Prestar suporte ao consumidor de forma online é, indiscutivelmente, a maneira mais prática de resolver problemas e de esclarecer detalhes sobre produtos e serviços. As campanhas, o suporte e a interação são três pilares de comunicação em rede de franquias fundamentais para sua padronização e posicionamento no mercado.

Vale Ler:  A importância da comunicação assertiva entre franqueador e franqueado

1) Campanhas

Tanto pequenas quanto grandes redes de franquias podem direcionar precisamente as campanhas de marketing de produtos e serviços da empresa. O Instagram e o Facebook permitem a divulgação em regiões selecionadas, por exemplo. Redes com alcance nacional podem segmentar sua comunicação muito facilmente pelos canais online.

2) Suporte

A utilização de redes sociais para prestação de suporte é, de fato, frequente no mercado. A mesma pesquisa do Sebrae que citamos no início do texto revela que o WhatsApp é usado por 72% dos pequenos negócios entrevistados para comunicação com clientes. Disponibilizar informação de produtos e atender os clientes instantaneamente é prática de 59%.

Portanto, se você gerencia uma rede pequena, o ‘Whats’ ainda pode funcionar para o atendimento a consumidores. Empresas maiores, entretanto, costumam redirecionar as mensagens dos usuários a links mais elaborados no site oficial da marca. O contato por telefone só é necessário em casos mais específicos, de resoluções mais difíceis.

3) Interação

As campanhas e o suporte, por si só, já fazem parte da interação da marca com os consumidores. Mas, interagir na Internet é muito mais do que isso – e qualquer empresa pode enriquecer seu posicionamento e imagem no mercado pelo uso de uma linguagem diferenciada.

Comentar as publicações junto com os usuários e responder às suas avaliações nas páginas são duas práticas que aproximam a marca ao público. As avaliações, aliás, são importantíssimas para a reputação da empresa. Prestar atenção nas avaliações negativas e entrar em contato com os insatisfeitos é uma forma de diagnosticar problemas e qualificar a rede.

Além disso, interagir com os usuários é uma forma de traçar detalhadamente o perfil do público consumidor da empresa. A partir da análise do comportamento e do engajamento dos clientes, é possível aprimorar campanhas e tornar a comunicação da marca ainda mais certeira.

Redes sociais e investidores: encontrando potenciais franqueados

No franchising, a venda não se reduz aos produtos. Vender a marca a investidores interessados é um passo necessário para a expansão da rede a novos territórios. Afinal, a expansão só acontece a partir do investimento em capital de novos franqueados. As lojas serão financiadas e administradas pelos empreendedores. Encontrá-los é um desafio para todo franqueador.

É claro que as redes sociais são meios muito eficientes para iniciar o contato com possíveis investidores. Muitos deles, como consumidores da marca, desenvolvem seu interesse a partir do posicionamento da empresa nas redes sociais. Logo, marcas que se demonstram acessíveis, rápidas e interativas, passam uma imagem positiva e facilitam a atração de pessoas.

“O Facebook sabe reconhecer eventuais interessados para direcionar os conteúdos”.

Filtrar usuários interessados em serem franqueados é algo que se tornou cada vez mais possível devido aos algoritmos das redes sociais. As ferramentas de anúncios no Facebook e no Google podem ser otimizadas a partir do uso de palavras-chave de busca.

Usuários que procuram por “franquias para investir” nas ferramentas de busca podem ser surpreendidos por ads de redirecionamento para contato com a equipe da franqueadora. Nesses links, é possível obter os contatos dos interessados e reunir seus dados.

A Internet é forma infalível para criar uma rede profissional da franquia. Com o contato de investidores, uma possibilidade é mantê-los interessados com o envio de conteúdos por e-mail, por exemplo. Sem falar que o online acaba sendo o primeiro contato de novos franqueados com a empresa. Uma rede social voltada especialmente para isso é o Linkedin, que permite até mesmo a divulgação de vagas de emprego.

O uso otimizado das redes sociais pode ser feito por uma qualificada Equipe de Marketing. As ferramentas de anúncio que citamos no texto, se bem utilizadas, podem trazer resultados rápidos e expressivos. Lembre-se: é imprescindível que os canais online sejam usados com linguagem escrita e visual padronizadas. Desta forma, a rede ira fortalecer seu posicionamento e sua comunicação. Isso também faz parte do controle de qualidade da marca.

Continue navegando pelo nosso blog e acesse mais conteúdos sobre comunicação, gestão e marketing em franquias! Boa leitura.

Sistema para Franquias - Peça agora uma Demonstração!