Padronização: entenda o conceito que estrutura o sistema de franchising

Uma rede de franquias se forma a partir da possibilidade de replicação de um negócio em novas unidades. Isso só é viável a partir do princípio básico do franchising: a padronização de processos. Através dela, franqueados exercem suas funções, respeitando parâmetros de qualidade e normas de gestão. Entenda mais sobre como padrões se delimitam em franquias.

Neste texto você vai ler sobre:

São muitos os motivos pelos quais o franchising alcançou a dimensão que possui mundialmente. Podemos associar seu intenso e contínuo crescimento nas últimas décadas à evolução das tecnologias de produção e comunicação. 

Mas a principal razão pela qual o sistema de franquias é viável como formato de expansão é o seu princípio de replicação. Em troca do investimento inicial e do pagamento de taxas mensais, franqueados podem usufruir do direito de uso de uma marca já estabelecida no mercado.

Gerir um negócio já formatado é uma mão na roda para empreendedores de primeira viagem. É imprescindível, entretanto, que o franqueado tenha a segurança de que estará investindo em uma estrutura sólida. Tal garantia é de responsabilidade da franqueadora

Eventuais problemas em unidades podem acarretar em complicações, as quais não apenas envolvem seu fechamento.  Muitos casos terminam em processos judiciais sérios

Felizmente, o fechamento de unidades no Brasil é menor do que a abertura: o número de lojas cresceu 1,8% no último trimestre, no país. Isso significa que as franqueadoras estão cumprindo seu papel. 

Sua principal função é garantir que o modelo de franquia está funcionando nos conformes. Isso só é possível através da padronização de todos os processos envolvendo a logística, a produção e a gestão das unidades.

Mas como os procedimentos são delimitados? O que é preciso para que os parâmetros e as normas da franqueadora sejam exercidas e mantidas? A seguir, abordaremos o assunto da padronização, sistematizando sua implantação e manutenção no franchising.

Padronização: o principal pilar do franchising

Para falar sobre o assunto, traremos o exemplo do McDonald’s. A rede de fast food jamais teria se tornado o que é hoje sem estratégias de posicionamento de marca. A proposta da rede vai muito além dos seus saborosos hambúrgueres e da batatas frita. 

O reconhecimento das lojas, a linguagem com os consumidores, a experiência de estar no restaurante, tudo isso agrega valor à marca. Ou seja: a padronização é mais do que meros processos operacionais e de gestão.

Padronizar, no franchising, também é fortalecer a representação da marca em seu mercado. É saber que a postura dos franqueados e funcionários, em todas as lojas, é a mesma perante os clientes. É ter a certeza de que, independentemente da unidade, os consumidores terão experienciado a mesma qualidade dos produtos e atendimento. 

Logo, a criação de manuais não é suficiente para a manutenção do principal pilar de redes de franquias. A real padronização também depende do monitoramento e do suporte da franqueadora. É preciso incentivar todos a darem continuamente seu melhor e a respeitarem os princípios da empresa, a fim de que seus parâmetros sejam mantidos. 

Manual de Franquia e COF: documentos essenciais para o exercício da padronização

Disponibilizar manuais não é a única coisa a ser feita, mas sem dúvida é uma demanda necessária da franqueadora na formatação da rede. Isso porque esse tipo de documento registra informações sobre a instalação e gestão das unidades e normas a serem seguidas pelos franqueados. Esses parâmetros, afinal, padronizam o funcionamento das franquias e permitem sua replicação.

A formalidade do registro de informações de logística e de deveres do franqueado em manuais operacionais é fundamental para oficializar a estrutura da franquia. Esses documentos são a principal referência para todos os franqueados e funcionários da rede.  

Manual de Franquia

Manuais completos a respeito do funcionamento da franquia englobam questões institucionais, operacionais, financeiras e comunicacionais do negócio.  Para os franqueados, ter tal documento à disposição é uma forma de sanar dúvidas rapidamente durante a operação diária da loja.

Confira aqui um conteúdo específico sobre o assunto.

COF (Circular de Oferta de Franquia)

A COF é um documento obrigatório, delimitado em lei, relacionado à apresentação das informações econômicas, jurídicas e operacionais que envolvem a instalação de uma unidade. A ser consultada pelos candidatos, detalha as taxas de franquia e os royalties a serem pagos pelo franqueado, por exemplo. Assim, empreendedores que não se identificam com os processos de gestão da rede podem desistir da ideia antes de assinarem o contrato e investirem em uma frustração futura. 

Manutenção da padronização a partir de treinamento, suporte e avaliação

O que é dito em teoria deve ser posto eficientemente em prática. Se os manuais operacionais descrevem as atividades de rotina dos franqueados e dos funcionários para a operação das lojas, esses devem ser capacitados para que as realizem. Nisso, entra a função dos programas de treinamento: transmitir o know-how de gestão e produção da franquia ao corpo de trabalho das novas unidades.

Trabalhar em um empreendimento, entretanto, é estar sujeito a situações inesperadas. Entre problemas em máquinas e discussões com clientes, o franqueado de uma unidade nem sempre conseguirá solucionar questões por conta própria. A franqueadora deve estar disponível para prestar o suporte que for necessário para a manutenção da ordem. Também, deve avaliar com determinada frequência o funcionamento da loja e a experiência dos consumidores. Isso é fundamental para garantir que os padrões de qualidade da rede estão sendo preservados. 

Treinamento

Elaborar um bom programa de capacitação é parte essencial da formatação da rede. É assim que franqueados adquirem o know-how para administrar o negócio da forma mais adequada, reproduzindo os padrões da marca. As aulas podem acontecer presencialmente e em EAD, nos mais diversos formatos.

Confira aqui um guia completo de treinamento para franquias.

Suporte

É dever da franqueadora, estando isso garantido em contrato, que a mesma ofereça suporte às unidades quando necessário. O franqueador e sua equipe, afinal, coordenam as atividades da rede e possuem maior conhecimento sobre a operação da empresa e sobre o posicionamento da marca.

Leia mais sobre suporte aqui.

Avaliação

Avaliar as lojas é fazer as chamadas auditorias em PDV (ponto de venda). Realizadas pelo próprio franqueador ou, em redes maiores, por consultores de campo, elas servem para monitorar a qualidade de trabalho dos franqueados e funcionários e, também, para analisar o que pode ser melhorado nas unidades de franquia.

Entenda mais sobre as auditorias.

Central do Franqueado: facilite processos e evite problemas

Como você deve ter percebido, a padronização no franchising é um processo contínuo. Ela passa pela formatação da rede registrada em manuais, à manutenção da qualidade no dia-a-dia das unidades. Logo, padronizar uma rede é buscar constantemente por ferramentas que auxiliem franqueador, franqueados e funcionários a evitarem problemas. A qualidade de gestão e produção deve ser protegida.

É por isso que a tecnologia é uma das melhores amigas do franchising. Hoje, é muito mais fácil disponibilizar materiais educativos, prestar suporte instantaneamente e realizar auditorias de forma prática e rápida. Tudo isso pode ser feito através da Central do Franqueado – nossa plataforma online de gestão de franquias.

Desenvolvida para otimizar processos em rede, a Central é um sistema que aproxima o franqueador de seus franqueados. O acesso do software, em conexão com a Internet, permite sua utilização em todas as unidades de franquia e traz diversos benefícios para a empresa, como:

  • Comunicação efetiva: contato direto e rápido para suporte;
  • Operação centralizada: canal integrado entre franqueador, franqueados e fornecedores;
  • Disponibilização de materiais: possibilidade de upload de manuais e arquivos para consulta;
  • Monitoramento da qualidade: através de checklists para auditorias e autoavaliação.

Esses são algumas das funcionalidades da plataforma, dividida em diferentes módulos, as quais podem ser utilizadas de acordo com as necessidades da rede. Independentemente, seu objetivo é colaborar para a manutenção da padronização de franquias. Afinal, reconhecemos que sem ela não há crescimento. Uma empresa bem estruturada é muito mais atraente a novos investidores. Proporcionar condições ideais de gestão aos franqueados é, sem dúvida, agregar valor para a marca. 

Que tal conhecer um pouco mais sobre a Central e quem sabe agendar uma demonstração? Só acessar nosso site para mais informações! Entre em contato conosco e saiba mais.

Solicite uma Demonstração para sua Rede de Franquias!