mulheres empreendedoras
Blog »Franquias »MercadoMulheres Empreendedoras: conquistando espaço no setor empreendedor

Mulheres Empreendedoras: conquistando espaço no setor empreendedor

Postado em: 5 de Março de 2020

A cada ano, o aumento de mulheres empreendedoras na economia do país torna-se mais visível, seja na ocupação de cargos destinados aos homens, seja na abertura do seu próprio negócio. Em razão das experiências bem sucedidas dos empreendimentos criados por mulheres, bem como um número crescente de empreendimentos geridos por estas. 

O que você verá nesse artigo: 

As mulheres empreendedoras

Dia 19 de novembro é comemorado o Dia Global do Empreendedorismo Feminino. Entre os franqueados, as mulheres já são mais da metade no Brasil, e cada ano que passa elas avançam mais nas pesquisas.

 De acordo com as informações da Associação Brasileira de Franchising (ABF) as mulheres representam 16% dos franqueadores.

No passado as mulheres se resumiam em “donas de casa”, hoje, dão prioridade para a sua formação profissional, ocupando as mais variadas funções e cargos. O ingresso das mulheres no mercado de trabalho aconteceu de forma intensa e diversificada, não permitindo retrocessos, apesar das diversas crises econômicas. 

Muitas das razões que podem explicar esse aumento da participação feminina no nível de ocupação: a redução do postos de trabalho na indústria, a expansão do setor de serviços e maior flexibilização no mercado de trabalho.  

Apesar desse aumento significativo, a inserção da mulher no mercado de trabalho não foi um processo simples e fácil. Várias barreiras foram e são enfrentadas pelas mulheres no mundo do trabalho. 

Salários menores, dupla jornada, deficiência nas políticas sociais, dificuldades na progressão da carreira, falta de voz nos espaços de decisão e poder, são alguns desses problemas. 

Apesar das diferenças culturais entre as localidades nas quais as mulheres estão abrindo empresas, alguns aspectos relativos ao perfil, são comuns entre elas. 

  • A faixa etária predominante está entre 30 a 50 anos de idade.
  •  Apresentam uma elevação no nível de educação formal.
  • Iniciam as empresas com baixo capital inicial. 
  • Atuam geralmente em empresas de pequeno porte. 

Gestão Feminina

A discussão sobre a diferença entre as características femininas e masculinas no ambiente de trabalho é alvo de muito debate.

 Embora as empresas iniciadas por mulheres, sejam, em geral, pequenas, elas têm alcançado uma sobrevivência maior do que a média de vida de pequenas empresas.    

Em razão das experiências bem sucedidas de empresas criadas por mulheres, estudos têm ressaltado características interessantes no estilo gerencial dessas empreendedoras.

Como encorajar a participação dos outros, partilhar o poder e a informação, estimular, valorizar e motivar os outros para o trabalho.

Nos empreendimentos, elas optam por estilos mais democráticos, na tomada de decisão, ênfase em oferecer um menor número de produtos, mas com alta qualidade.

São conservadoras na busca de financiamentos, valorizam o feminino e os bons relacionamentos internos e externos. Procuram sempre estar se atualizando através de cursos, revistas, workshops e mídia. 

Característica do Negócio

  • Formulação de Estratégias
  • Estilo Decisório 
  • Estrutura da empresa e divisão de poder 
  • Políticas de decisão de pessoal

A maioria das mulheres inicia seus negócios vendendo os seus produtos para amigos, familiares e pessoas mais próximas. Com o passar do tempo, vão investindo em estrutura, e com isso crescendo no número de clientes. 

As mulheres consistem em uma posição mais conservadora na parte financeira, preferem manter uma posição financeira com o menor número de dívidas possível.

Outro destaque nas características dos empreendimentos, é o fator comprometimento, é uma preocupação muito grande das empreendedoras. Consideram de suma importância consultar outras pessoas, não tomarem decisões sozinhas, demonstrando um estilo participativo. 

Quanto a política de decisão de pessoal, elas priorizam um estilo que valoriza o desenvolvimento dos seus empregados, seja através de treinamentos ou até mesmo dos contatos direto com a empresa.