Merchandising em franquias: para que serve? Aplicando-o na sua rede

O que faz uma marca ser interessante para seu potencial público consumidor? A atratividade de um negócio não envolve apenas a oferta de bons produtos: ela depende de como eles são oferecidos. Um ponto de venda (PDV) com uma disposição planejada agrega valor à proposta da empresa. Pensar nisso é fazer merchandising. Saiba mais sobre o conceito e sobre sua função em franquias.

Neste texto você lerá sobre:

  • O que é merchandising?
  • Qual a função do merchandising em redes de franquias?
  • Táticas de merchandising para franquias

O bom comerciante é aquele que sabe vender o seu peixe. Entendemos esse dito popular quando visualizamos a venda como um processo. Ele consiste basicamente em: chamar a atenção, convencer e proporcionar o benefício do consumo. Nos primórdios das atividades comerciais, a venda acontecia principalmente a partir da lábia do vendedor. Hoje em dia, essa lábia ganha outros nomes. Um deles é o merchandising.

O merchandising é uma prática que se torna necessária assim que se percebe que consumidores são, de fato, atraídos pela forma como um negócio se coloca no mercado. Não estamos nem falando de posicionamento de marca. O conceito diz respeito à forma como lojas são organizadas e produtos são dispostos, por exemplo. Isso acaba fazendo toda a diferença na maneira como clientes irão entender e vivenciar a proposta da empresa. 

Você já deve imaginar que para redes de franquias, o merchandising adquire ainda maiores funções. A seguir, exploraremos um pouco mais esse termo, ilustrando algumas de suas utilizações.    

O que é merchandising?

Merchandising é um termo do marketing. Talvez você já tenha ouvido falar do merchan de TV: aquele quando marcas são consumidas e apresentadas em contextos específicos em programas e filmes. Mas o conceito da nomenclatura, que em inglês significa ‘mercadoria’, é bastante amplo. Em linhas gerais, podemos defini-lo como:

  • Técnicas e táticas mercadológicas utilizadas para planejar o ingresso e a exposição de um produto ou serviço no mercado.

Tal planejamento visa mais do que organizar como os produtos estarão dispostos em um PDV. Isso, é claro, faz parte do merchandising. Mas as táticas de merchan são todas aquelas que pensam na atratividade do negócio para possíveis clientes. Logo, a forma como lojas e ações são organizadas fazem parte da atividade. 

O merchandising diferencia uma marca de seus concorrentes e, além disso, torna mais mais prática a experiência de compra. A utilização dessa técnica é uma maneira de agregar valor para os produtos e serviços da empresa, através de sua apresentação. Tendo a venda como objetivo final, auxilia na circulação do estoque, evitando que produtos fiquem muito tempo nas lojas. 

Qual a função do merchandising em redes de franquias?

  • Atrair clientes e estimular a venda

Essa é, por si só, a função básica do merchandising para qualquer negócio. Redes de franquias, entretanto, enfrentam diferentes concorrências ao operarem em variadas regiões. Portanto, ao elaborar a estrutura das unidades, é preciso pensar em técnicas que tornem a proposta da marca e de seus produtos algo único e próprio da empresa. 

  • Padronização das unidades

A padronização é fundamental para o reconhecimento da franquia no mercado e para a manutenção de seu posicionamento. Um caminho para estruturar o formato das lojas é partir de táticas de merchandising que facilitem a instalação de novas unidades de acordo com os parâmetros da rede.

  • Fortalecimento de marca

Quanto mais específicas as ações de merchandising utilizadas em PDVs, em ações e em campanhas, mais a marca se apropria das características relacionadas.  A experiência de compra será lembrada pelos clientes como algo que só a empresa proporciona.

Táticas de merchandising para franquias

O merchandising faz parte do plano de marketing da empresa. Ele é, afinal, uma maneira de comunicar a oferta de produtos e de serviços, e de fortalecer a cara da marca. Logo, as táticas de merchandising devem ser elaboradas a partir do que a empresa representa no mercado. Isso envolve:

 

  • Princípios e identidade visual da marca: se a marca preza pela praticidade na hora da compra, as ferramentas utilizadas devem estar adequadas a isso. O design utilizado deve conversar com os padrões visuais.

 

 

  • Necessidades de logística da proposta da empresa: o merchandising utilizado em uma loja de roupas é diferente do utilizado em uma rede de fast food. É preciso analisar o que é necessário para a melhor experiência dos clientes.

 

 

  • Gostos e perfil do(s) público(s)-alvo: atratividade é uma coisa relativa, mas com certeza o público consumidor do negócio tem determinadas preferências por designs e mecanismos. 

 

Tomando esses fatores como ponto de partida, é possível desenvolver técnicas distintas de merchandising, que apresentam produtos em diferentes contextos. As mais utilizadas são:

  • Visual merchandising

Toda tática utilizada no PDV para atrair consumidores e incentivar a venda de produtos. Isso envolve tanto a disposição de displays, quanto a implantação de cartazes com informações de promoções. O visual merchandising pensa muito sobre o posicionamento dos produtos da loja. Um exemplo clássico é a colocação de itens de compra rápida no caixa do supermercado.

  • Merchandising editorial

Esse é o famoso merchandising utilizado na televisão, mas pode abranger outros formatos de mídia. Consta na inserção sutil de um produto ou serviço em um contexto no qual sua funcionalidade será exercida. 

  • Merchandising digital

Uma tática cada vez mais utilizada é o merchandising digital, que aproveita o potencial de alcance das redes sociais para que marcas se insiram dinamicamente entre o conteúdo acessado por usuários. Da colocação de ads em sites estratégicos, ao envio de produtos a blogueiros populares que publicarão stories no Instagram os utilizando, esse método permite que empresas se comuniquem de forma pouco agressiva, mas eficaz.

Dicas importantes:

  • Uma mudança sucinta na forma como produtos estão distribuídos pode fazer toda a diferença na forma como clientes terão contato com eles. É interessante mudar a disposição das lojas periodicamente para testar novas possibilidades.
  • Às vezes, menos é mais. Mesmo que investir em ideias mirabolantes certamente servirá para chamar a atenção das pessoas, de nada adianta apostar em algo que não vá realmente significar o que deve ser priorizado: a qualidade dos produtos e serviços oferecidos. 
  • Em redes de franquias, franqueados podem colaborar para que sejam desenvolvidas técnicas melhores de merchandising. Afinal, são eles que vivenciam o dia a dia das lojas e presenciam o comportamento e as necessidades dos clientes. Se você é franqueador, esteja atento a isso.

E aí, pensando em novas ideias para a sua empresa? Esperamos que você possa ter ideias criativas e adequadas para seu negócio. Quer mais dicas sobre comunicação e gestão? Continue navegando pelo nosso blog! Confira o nosso conteúdo sobre as franquias de sucesso em 2019.

Solicite uma Demonstração para sua Rede de Franquias!