Marketing de relacionamento: aproximando empresas e consumidores

Nenhuma empresa está imune à concorrência. Manter o interesse dos clientes é, mais do que nunca, uma questão de sobrevivência para todo e qualquer negócio. Isso acontece quando as estratégias de marketing consideram mais do que a oferta de produtos e serviços, mas também, as pessoas que deles farão uso. Entenda mais sobre a importância do relacionamento entre a marca e o consumidor – e sobre como organizar isso na sua franquia.

O que é marketing de relacionamento?

O nome já diz: o marketing de relacionamento é encarregado de uma relação entre partes distintas. Temos, nesse caso, empresa e consumidor. Se o marketing, como um conceito amplo, engloba a forma como um negócio se coloca no mercado, as ações voltadas para o relacionamento visam organizar, aproximar e facilitar a comunicação entre consumidores e uma marca. 

Tal comunicação, entretanto, tem um objetivo específico. Como estamos falando de marketing, lembre-se que seu intuito final continua o mesmo: o consumo dos bens ofertados pela empresa (ou seja, a venda). Porém, há muito tempo a ideia de consumir vem mudando. 

A experiência de um cliente não mais começa e termina na loja. Ela se espalha pelas redes sociais, em stories no Instagram ou em avaliações no Google. Na Internet, o consumidor tem voz ativa  e poder de interação com outros usuários e com suas próprias marcas favoritas. Cabe então, ao marketing de relacionamento, incentivar essa prática. 

Por que pensar em marketing de relacionamento para sua empresa?

O negócio que se mostra presente no cotidiano dos clientes e que incentiva essa relação está primando pelo engajamento dos seus públicos-alvo. E engajar pessoas é uma tarefa obrigatória para sobreviver no mercado. Na mesma rede que consumidores acessam diariamente estão diversos outros concorrentes, com propostas igualmente boas. A modernidade permite a visibilidade de startups que podem conquistar consumidores a qualquer momento. Logo, é preciso se manter interessante.

O marketing de relacionamento se preocupa com a manutenção da aproximação dos clientes à empresa. Em meio à quantidade crescente de oferta e, considerando que consumidores têm um poder de escolha cada vez maior, o negócio deve encontrar meios para que continue sendo escolhido. Isso não mais se garante unicamente a partir da qualidade dos produtos e serviços oferecidos. 

É necessário ter atenção a como está sendo a experiência dos consumidores com a marca. Observar suas necessidades, considerar suas ideias e, claro, resolver seus problemas. O negócio que, ao alimentar a relação com o público, supre suas demandas de origem emocional, estará criando vínculos. Então, por consequência, alcançará a fidelização de sua clientela.

Por onde começar?

Um relacionamento, para existir, deve partir da compreensão de com quem será buscado o vínculo e como ele acontecerá. É muito vago pensar em consumidores sem entender inicialmente quem eles são. Também, é precipitado fazer marketing sem antes escolher o discurso e as ferramentas mais adequadas para a interação entre a empresa e os clientes. Portanto, o marketing de relacionamento parte de questões intrínsecas à proposta do negócio e às características dos seus públicos-alvo.

  • Definindo os públicos-alvo

Como empreendedor, você deve ter em mente quem você pretende atingir com a sua marca. Independentemente do seu segmento de atuação, a proposta da sua empresa é direcionada a públicos com determinadas características. 

Essas, envolvem desde a faixa-etária dos consumidores, ao seu perfil socioeconômico. Também, englobam questões mais subjetivas: desejos e demandas específicas desses grupos. Delimitar com precisão quem são os públicos-alvo do empreendimento é o primeiro passo para fazer qualquer ação de marketing. 

  • Comunicando de acordo com o perfil de potenciais interessados

Tendo consciência das características comportamentais de prováveis consumidores, é possível encontrar a forma mais ideal para que a comunicação entre a empresa e os públicos se estabeleça. A abordagem escolhida precisa ser convidativa e compreendida. Toda campanha e ação publicitária deve ser elaborada a partir desses parâmetros. O relacionamento que se dará a partir disso, então, nem se fala. Para um negócio se colocar no dia-a-dia dos seus clientes, ele se adapta a sua realidade, com naturalidade.

  • Fazendo lead nurturing

Aqui entra um termo técnico, mas que é o cerne do marketing de relacionamento. Atingidos os públicos, é hora de mantê-los por perto. Seja através da interação nas redes sociais, do envio de promoções por e-mail ou por programas de fidelização propriamente ditos, é momento de elaborar estratégias que chamem e mantenham a atenção dos consumidores. 

Essa prática, no marketing digital, é chamada de lead nurturing. “Nutrir os leads”, que seriam os interessados na marca, é parte essencial para estabelecer vínculos. Isso pode acontecer de diversas maneiras. Mas, é importante que a empresa tenha profissionais responsáveis por monitorar esses leads e, se possível segmentá-los de acordo com suas características. Assim, o negócio se comunica com cada vez mais precisão. 

Exemplos de estratégias para franquias

  • Redes sociais para interação e monitoramento:

O Instagram e o Facebook são ferramentas poderosas não apenas para a divulgação de campanhas, mas para acompanhar o comportamento dos usuários e entendê-los melhor. As redes sociais proporcionam informações poderosas sobre os públicos-alvo da franquia. É possível diagnosticar, por exemplo, quais regiões engajam mais com a proposta da marca e quais precisam de ações que incentivem o envolvimento dos consumidores.

  • Captação e segmentação de leads por listas de e-mail:

A utilização do e-mail é extremamente útil para reunir contatos, mantendo-os interessados com o envio de promoções especiais e códigos de desconto de produtos, por exemplo. Esses usuários podem ser captados através de cadastros em páginas de campanhas. Nesses cadastros, é possível otimizar a segmentação do público, ao exigir a seleção de regiões e de unidades da franquia visitadas pelo usuário.

Observações importantes

  • Nesse conteúdo, demos enfoque no marketing de relacionamento que acontece pelos meios digitais. Claro, é impossível falar do assunto sem considerar o marketing digital como um dos instrumentos mais utilizados atualmente. Entretanto, não se pode esquecer do que acontece offline. A relação entre a empresa e seus consumidores também acontece a partir do atendimento qualificado, preocupado com o bem-estar dos clientes. Afinal, boas experiências são recomendadas posteriormente – e situações ruins podem causar problemas para a reputação da marca.
  • Contar com um time próprio de marketing e comunicação é sempre uma alternativa interessante, principalmente quando falamos de redes de franquias. Com isso, os profissionais se aprofundarão na proposta da marca e no comportamento dos clientes. Lembre-se que uma agência terceirizada terá outros negócios para cuidar.

Quer mais dicas sobre marketing em franquias? Dê uma olhada no nosso blog: temos mais conteúdos esperando por você. Boa leitura!

Solicite uma Demonstração para sua Rede de Franquias!