Gestão Participativa: entenda a importância no franchising

Um processo de liderança estruturado na confiança entre os profissionais de diferentes níveis hierárquicos. Que estimulam as pessoas a participar do processo decisório. E, com isso ,cultivam a livre interação dos colaboradores nos objetivos da organização: isso é a gestão participativa. 

O que você verá nesse conteúdo:

O que é gestão participativa?

O conceito é bem simples, e o próprio nome já diz seu significado. A gestão participativa é o sistema onde todas as pessoas envolvidas com uma atividade terão influência sobre as decisões. Entenda que não é anarquia ou festa, pois não é todo mundo opinando sobre tudo. É simplesmente uma forma de aproximar os colaboradores envolvidos com um desafio e levar em consideração as diferentes opiniões.  

Outra coisa importante na gestão participativa é que o papel do líder/tomador de decisões continua existindo. A única diferença é que outras opiniões, experiências e sugestões são levadas em consideração para a tomada de decisão final. Assim, a gestão participativa pode ser considerada como uma forma de gestão, onde o colaborador participa e é parte do processo de trabalho, desde a ideia de implementação. 

Normalmente, ela pode envolver 4 dimensões: 

  • Gestão participativa comportamental

Sem dúvida esse é um dos fatores mais difíceis de controlar, quando você tem gestores autoritários e impositivos pode ter dificuldade de implementar a gestão. O comportamento estimulado deve ser de autonomia dos indivíduos, de confiança e de cooperação. Ao invés de mandar, faz mais sentido informar, orientar e perguntar. 

  • Gestão participativa estrutural

O excesso de hierarquia em qualquer negócio fortalece uma gestão centralizadora Para chegar em um gestão participativa. muitas vezes pode ser necessário modificar estruturas e cargos para que exista uma troca maior e menor concentração de poder em poucas pessoas. 

  • Interfaces e Stakeholders

Uma gestão participativa não acontece única e exclusivamente na relação com seus colaboradores, para ser ainda mais aberto pode ser interessante conversar com clientes. Sobre seus próximos passos, e também ter parcerias com fornecedores que propiciem benefícios mútuos.

  • Resultados 

Uma coisa que pode ajudar nesse processo, é ter uma gestão voltada para a análise de dados e obtenção de resultados, neste momento, Não importa seu cargo, se os dados e resultados indicam o caminho que deve ser seguido, é ele que será tomado. Isso acaba com o poder de decisão absoluta concentrado em quem tem um cargo maior. 

A importância da gestão participativa no franchising

Depois de muito tempo centralizando o poder sobre um chefe, o restante da equipe apenas obedecia às ordens estipuladas, as grandes empresas perceberam o valor da equipe como um todo, ao invés de focar todas as decisões numa única pessoa: o chefe. Perceberam que, se todos participassem das tomadas de decisão, o trabalho poderia ser executado com mais eficiência e prazer.

A Gestão Participativa aplica-se a uma gestão democrática, em que funcionários e diretores participam conjuntamente das decisões. Esse procedimento leva os funcionários a desenvolverem habilidades como aprender a pensar, modificar, aperfeiçoar, para cumprir metas programadas, visando alcançar objetivos que sobreponham aos seus interesses individuais. Dessa forma, a gestão participativa cria um elo entre os colaboradores e a empresa, pois, à medida que passam a conhecer a missão, a visão e os valores, passam a contribuir de forma mais pró-ativa para que os objetivos sejam alcançados.

Como fazer a implementação no franchising?

Não existe um modelo de gestão participativa correto, você precisa entender como funciona a sua empresa, o que os seus colaboradores pensam. Quais são seus anseios e o que gostariam de mudar. Acompanhe o passo a passo, para você tomar como base:

  • Passo 1 – Compreenda o que os seus colaboradores pensam sobre a gestão atual

Uma boa ferramenta para isso pode ser uma pesquisa de clima organizacional, se a empresa for pequena, uma reunião aberta, talvez em um bar, pode ser o momento ideal para ouvir tudo que todos pensam.

  • Passo 2 – Seja mais aberto com as informações da empresa 

Compartilhar os resultados (e mostrar como o trabalho de cada colaborador está refletindo) pode ajudar a aumentar o senso de responsabilidade e de colaboração entre todos. Isso motiva o colaborador e faz com que ele se sinta importante para a empresa.

  • Passo 3 – Envolva sua equipe na geração e implementação de ideias

Quanto mais donos de ideias você tiver sem ser a equipe gestora, mais envolvimento por parte dos colaboradores vai acontecer. Para isso faça rodadas de brainstorming ou reuniões periódicas com esse propósito em que as pessoas interessadas no desafio possam participar.

  • Passo 4 – Conheça quem faz parte da sua equipe 

De nada adianta você ter a gestão participativa mais legal de todas. Se seus gestores não conhecerem bem com quem estão trabalhando, todo esse trabalho pode ir por água abaixo. Por isso, é importante dar feedbacks baseados em comportamentos e ter um plano de desenvolvimento individual.

  • Passo 5 – Acompanhe as mudanças 

Fazer o acompanhamento da implementação da gestão é tão essencial quanto implementar ela. Entender como está ocorrendo a interação entre áreas e como os colaboradores estão se sentindo vai ajudar a levar esse processo para outro patamar dentro da sua empresa.

Extra: a gestão participativa traz benefícios como, agilidade na tomada de decisão, mais autonomia, aumento da motivação e comprometimento.

Solicite uma Demonstração para sua Rede de Franquias!