Franquias no Shark Tank
Blog »Expansão »NacionalFranquias no Shark Tank: benefícios e 7 dicas para franqueadores

Franquias no Shark Tank: benefícios e 7 dicas para franqueadores

Postado em: 27 de Novembro de 2020

O Shark Tank é um programa mundialmente conhecido que dá a oportunidade de um pequeno investir apresentar seu negócio para potenciais investidores. No cenário de franquias, muitas já apareceram no programa e saíram de lá com investimentos relevantes. Confira cases de sucesso e algumas dicas dos próprios integrantes do programa!

Você lerá neste texto:

O que é o Shark Tank?

Criado nos Estados Unidos em 2009, o Shark Tank é um reality da rede televisão ABC. O programa conta com empreendedores apresentando seus negócios para um grupo de cinco investidores ou “tubarões”, que decidem se investem em sua empresa.

Popularizado no Japão e importado para outros países, o Shark Tank norte-americano está em sua 12ª temporada e ainda é sucesso de audiência. O reality, inclusive, ganhou um Prêmio Emmy no ano de 2017.

No Brasil, o Shark Tank estreou em outubro de 2016, pelo Canal Sony. Entre os empresários de sucesso que investem nos negócios apresentados, estão: João Appolinário, fundador da Polishop e Caito Maia, pai da Chilli Beans. 

Para se ter uma ideia,  1ª temporada teve mais de 6 milhões de reais investidos pelos “tubarões” em projetos promissores. Tal investimento se dá em troca de uma participação percentual de um ou mais tubarões, que passarão a serem sócios da empresa.

Quando falamos de franquias no Shark Tank, são diversas as redes que já apareceram no programa. Os próprios tubarões são, em grande parte, adeptos do modelo e expandem seus negócios constantemente. 

Apesar de não ser o foco do Shark Tank, o site Sharkalytics relata que das 571 empresas apresentadas no reality dos Estados Unidos, 11 são franquias que buscavam seus primeiros franqueados.

A questão é: a oportunidade está lá, resta a dedicação do franqueador em ter sua marca exposta para todo o país num programa extremamente renomado.

Cases de sucesso do Shark Tank

Agora que você conhece o programa e suas propostas, vamos ver alguns participantes que se deram extremamente bem?

CatMyPet

Um dos casos mais conhecidos, o chamado “não que rendeu um milhão”. A CatMyPet, especializada em produtos para gatos domésticos, recebeu seu não dos tubarões em 2017.

Apesar de terem saídos chateados do programa, ainda que satisfeitos pela oportunidade, eles não sabiam das oportunidades que estavam por vir. Em um evento de negócios, os fundadores da CatMyPet puderam conhecer Kevin Harrington, um dos investidores da versão americana do Shark Tank.

O americano se interessou pelos serviços da CatMyPet e acabaram fechando um contrato de vendas licenciadas no valor de 30 milhões de dólares em produtos CatMyPet.

Após isso, eles resolveram voltar no Shark Tank Brasil e finalmente fisgaram dois dos tubarões. João Appolinário e Camila Farani compraram 10% da empresa por cerca de 1 milhão de reais, muito acima do valor solicitado durante a primeira negativa.

Hoje, o valor de mercado da CatMyPet quase quintuplicou e está na casa dos 10 milhões de reais. Boa parte, graças a oportunidade de expor sua marca no Shark Tank.

Ring

O Ring, empresa de segurança doméstica e inteligente, tem uma história curiosa. Rejeitado no Shark Tank americano no ano de 2013 ainda sob o nome de Doorbot, ele foi comprado pela gigante Amazon em 2018 por 1,1 bilhão de dólares. E sim, o valor está correto.

Quando participou do programa em 2013, Jamie Siminoff pedia “apenas” 700 mil dólares por 10% de sua empresa, que na época já era avaliada em US$ 7 milhões. Sob justificativa que estava sem dinheiro para tocar a empresa, Jamie considera sua participação como “provavelmente a coisa mais importante que já aconteceu ao negócio”.

Ele estima que a participação no programa acarretou num aumento de 5 milhões de dólares em sua receita. Além disso, mesmo antes de seu episódio ir ao ar, ele já tinha conseguido o investimento necessário para manter sua empresa.

A compra pela Amazon, segundo o jornal The Guardian, elevou o valor de mercado da agora Ring para até 1,8 bilhão de dólares. A companhia ainda cresce em ritmo acelerado e sempre lembram de agradecer a oportunidade que o Shark Tank dispôs.

Rent a Bag

Um caso parecido aconteceu no Brasil, com a Rent a Bag. A empresa trabalha com o aluguel de malas e, após participarem da primeira temporada do programa aqui no Brasil, a empresa acabou não fechando nenhum investimento. Eles já tinham o modelo de franquias implementado e buscavam por investimentos para investir no operacional da rede.

No ano da apresentação, a empresa, em conjunto com as unidades franqueadas, gerou uma receita de aproximadamente 270 mil reais. Apesar disso, foram muitas as justificativas para o não dos tubarões, mesmo tendo gostado bastante do projeto. 

O sucesso do negócio no programa é extremamente dependente do planejamento. Por isso, avaliar cada aspecto do seu negócio é fundamental para criar uma proposta tão importante quanto a apresentada. 

Assim, o motivo do Rent a Bag aparecer neste artigo se dá por conta do feedback. Mesmo não tendo recebido o investimento pedido, a empresa tem muito a agradecer ao Shark Tank. Pois, o retorno e a gama de informações recebidas pela rede foram de suma importância para o sucesso que dura até hoje. 

Clientes da Central do Franqueado

Além desses cases já citados, podemos destacar mais duas participações extremamente especiais de franquias no Shark Tank Brasil: FiChips e Bubble Mix Tea

O primeiro, pioneiro no Brasil com um prato clássico britânico: Fish and Chips (peixe e batata frita) fez uma proposta ousada de 300 mil reais por 20% da participação dos tubarões e saiu de lá com um negócio na casa dos 300 mil reais por 40% de participação, dividida entre dois tubarões. Hoje, a franquia conta com diversas unidades espalhadas pelo Brasil e cresce em ritmo acelerado.

Já a segunda, conta com uma bebida não alcoólica à base de chá, café ou outros ingredientes, com bolinhas de tapioca, o Bubble Tea. Eles ofereceram aos tubarões 10% de sua empresa por R$ 200 mil reais de investimento. 

Entretanto, João Appolinário, da Polishop, fez uma contraproposta de R$ 300 mil por 25% de participação e eles fecharam o acordo. A empresa continua a crescer e recentemente foi chancelada com o Selo de Excelência em Franchising. 

 

Quais seus benefícios e dicas para franquias

De modo geral, o programa é geralmente responsável por um evento que ficou conhecido como “Efeito Shark Tank”. Resumindo, o fato de simplesmente aparecer no show, até mesmo não recebendo uma oferta, é suficiente para aumentar significativamente as vendas de uma empresa.

Alguns empresários relatam um aumento em suas vendas de até 20 vezes após sua aparição. Para esclarecer mais sobre o assunto, alguns tubarões recentemente se reuniram para passar algumas dicas para franquias que desejam crescer e/ou aparecer no Shark Tank. Confira!

Ame o que faz

Caito Maia é sempre claro quando diz que um negócio só terá sucesso se você tiver propósito e amor pelo que faz. Assim, você terá forças para alcançar o que deseja e pessoas começarão a se relacionar e acreditar em sua marca.

Ele ainda ressalta que pessoas não dão muito valor quando ele diz isso. Para ele, você amar muito algo é que vai ser o diferencial para outros negócios. Isso, é claro, aliado a muita paciência e dedicação a um bom discurso e personalidade. 

Um negócio saudável 

Outro fator que Maia destaca é a saúde de seu negócio. Para ele, existe um passo a passo na hora de considerar expandir a empresa através do franchising.

Se você quer estruturar sua marca para torná-la uma franquia, é preciso ter um negócio saudável, com rentabilidade, fluxo de caixa e com metas bem definidas. Fazendo isso, uma credibilidade se criará junto aos potenciais franqueados. 

Suporte aos franqueados

Em outro cenário, quando já se faz presente o formato de franquia, organizar uma boa estratégia de suporte e direcionamento para com cada um dos franqueados é fundamental. 

Hoje em dia, existem inúmeras possibilidades para exercer esse serviço. Porém, o mais importante é se importar de verdade com seus clientes, pois isso deve gerar apenas ganhos para sua rede. 

Ao colocar o cliente em primeiro lugar nos processos da franquia, a satisfação ocasionada acarreta uma experiência positiva. Isso auxilia na construção de uma fidelização por parte de sua clientela.

Estudar bem seu negócio

Mais um conselho, é para quem deseja ter um tubarão como sócio de sua franquia. Os tubarões pedem preparo. Estude seu negócio, seus planejamentos e objetivos do futuro, a própria concorrência e suas boas práticas.

Assim, conhecendo bem o cenário você terá muito mais propriedade na hora de um terceiro pensar em investir em você. Muitos jovens surgiram no Shark Tank com ideias mais do que interessantes, mas pecavam no conhecimento de mercado e questões operacionais de gerenciar um mercado. 

Dessa forma, acaba afastando qualquer confiança ou investimento de um tubarão.

De tempo ao tempo

Além de acrescentar na questão da rentabilidade do negócio, vamos além no processo para o empreendedor que deseja crescer no franchising. Após analisar a saúde da sua empresa, você pode realizar um teste por aproximadamente dois anos. 

Se precipitar na hora de franquear seu negócio pode acabar com todo seu esforço para construir a empresa. Fazendo essa avaliação, você verificará se o projeto tem esse potencial para expansão. Assim, se ele for realmente rentável, a inauguração de uma segunda loja é considerável.

Seleção é fundamental

Antes de irmos para a última dica, parte fundamental do processo de expansão de uma franquia é a seleção de franqueados. Pois, ao definir o perfil ideal do franqueado para o seu negócio, parte de sua empresa se sustentará na figura desse gestor. 

Assim, seria um erro vender para qualquer pessoa, pois é necessário ter o perfil adequado para gerenciar o negócio. No Shark Tank, os tubarões são figuras renomadas que com certeza agregariam em seu negócio. Dependendo, é claro, de uma visão similar para a franquia. 

Porém, fora do programa, é necessário se atentar — e muito — a quem você irá delegar sua marca.

Smart Money

Por fim, também podemos falar de um conceito não muito conhecido, o Smart Money. Buscar por um sócio para entrar no seu negócio precisa ter, mais que um objetivo, uma razão.

Ter apenas alguém como um tubarão injetando dinheiro em sua empresa não é nada perto do que ter alguém de tal cacife, acima de tudo, como conselheiro. Além do conhecimento, o tubarão pode prover para sua empresa: network, contatos etc. 

Por isso, futuros franqueadores que pensam em se inscrever sua franquia no Shark Tank precisam ir com a mentalidade adequada. Felizmente, é fácil resumi-la: um sócio que agregue ao seu negócio, e não apenas entre com o capital.