Franquias de intercâmbio: de opções baratas a grandes redes para investir

Viajar é uma paixão de muitos brasileiros. Fazer intercâmbio, então é um objetivo para pessoas de todas as idades que querem estudar em outros países e conhecer novas culturas. Resultado disso é o surgimento de inúmeras agências de intercâmbio, bem como sua expansão a partir de franquias. Pequenas redes crescem facilmente, visto que as unidades demandam pouco capital dos investidores. Saiba mais!

Confira o que você vai ler sobre franquias de intercâmbio:

Sobre o mercado de franquias de intercâmbio no Brasil

Investir em educação está se mostrando como uma de nossas  prioridades. Nada melhor do que aliar aprendizado com viagens. Se fazer intercâmbio era uma realidade limitada a poucos há alguns anos, hoje ela é um plano viável para muitos brasileiros. Os números não mentem: o mercado de educação internacional cresceu 20,46% em 2018 no Brasil. Foram 365 mil estudantes que embarcaram para passar alguns meses estudando fora do país.

A pesquisa feita pela Belta (Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio), que reuniu cerca de 5 mil estudantes e 500 agências – sim, 500 – ainda trouxe dados importantíssimos sobre a situação do segmento. O estudo mostrou que os países de língua inglesa são os destinos mais escolhidos. Em primeiro lugar, o Canadá, seguido pelos Estados Unidos, Reino Unido, Irlanda e Austrália. A vontade de desenvolver o inglês através da imersão no cotidiano e na cultura de algum desses locais certamente é reflexo do aumento da demanda pelo aprendizado do idioma.

De fato, os cursos de intercâmbio mais procurados são os de idiomas, sendo os de inglês os mais requisitados. Em seguida, são buscados programas em países que aceitem que o intercambista trabalhe durante o tempo de estadia. Por isso, Malta – país que legalmente passou a permitir a possibilidade de estudar e trabalhar – vem logo atrás dos destinos de língua inglesa. Depois, aparecem as atividades de férias para adolescentes. Intercâmbios de graduação e ensino médio vêm em seguida. Esses, ocorrem com menos frequência, pois demandam mais trâmites de ambas as partes. 

Independentemente do motivo, é evidente a vontade dos brasileiros de respirar novos ares. Estudar no exterior é mais do que algo para agregar ao currículo; pode ser o início da possibilidade de migração. Não é à toa que o total movimentado pelo segmento em 2018 foi de  US$ 1,2 bilhão.

 

Por que investir em uma franquia de intercâmbio?

Ser franqueado(a) de uma rede de agências de intercâmbio é surfar em um mercado em ascensão. Mas, isso não é resultado apenas da contribuição do público. Redes do segmento oferecem variados modelos de negócio: alguns deles necessitam de pouco espaço e funcionários para operar, diminuindo consideravelmente os custos de investimento do gestor. Ou seja: o setor é muito convidativo para investidores interessados. Saiba mais porque:

  • Constante procura por agências

De acordo com a pesquisa da Belta, analisando o número total dos leads das agências de intercâmbio entrevistadas, 67% foram até a loja física finalizar o processo de negociação do pacote. São muitos os interessados que aparecem pela internet e toda boa agência deve ter atendentes disponíveis para conversarem inicialmente online. Mas, o atendimento pessoal para um produto de tamanha importância é completamente necessário. 

  • Público-alvo diverso

O levantamento ainda trouxe informações interessantes sobre o perfil dos intercambistas. Se você acha que apenas jovens fazem intercâmbio, você está enganado: pessoas acima dos 40 anos estão cada vez mais indo ao exterior em programas de línguas ou atividades culturais. Os estudantes, em sua maioria, vão sozinhos para fora. E observando do total, 60% são mulheres.

  • Redes com baixos custos de investimento

Não são apenas as grandes escolas de idiomas que fazem programas de intercâmbio. Pequenas agências vêm conquistando mais e mais espaço e se tornando referência na área. Não é necessário, afinal, dispor de grandes estruturas para organizar as viagens e receber interessados. Os estabelecimentos podem tranquilamente funcionar em escritórios pequenos, com poucos funcionários. Sendo assim, existem muitas redes de agência de intercâmbio com opções de microfranquias, cujo valor inicial de investimento não chega a R$10 mil.

Opções de investimento

A seguir, trouxemos exemplos de franquias dos mais variados portes. Se para gestores iniciantes uma microfranquia de intercâmbio é certamente uma opção vantajosa, aqueles mais experientes podem apostar em instituições maiores, com propostas que vão além dos programas de viagem.

A CI já atua há 30 anos no mercado e opera com mais de 130 lojas no Brasil e no exterior. Oferece opções de franquias dos mais diversos tamanhos: a menor demanda um investimento de R$4 mil; a maior, R$120 mil.

Investimento: a partir de R$ 4 mil.

  • Information Planet

A franquia Information Planet nasceu da experiência de um jovem intercambista que teve problemas de suporte em sua viagem. Assim, teve a visão de um problema e decidiu investir neste campo. A rede tem foco em intercâmbios para Canadá e Nova Zelândia, porém, também trabalha com viagens para os Estados Unidos.

Investimento: a partir de R$ 5 mil.

A franquia S7 Intercâmbio é uma das redes mais reconhecidas no mercado de agências de intercâmbio. É primeira nas pesquisas do Google e promete um retorno do investimento em 6 meses.

Investimento: a partir de R$ 5 mil.

Em atividade desde 2009, a Trust já configura entre as maiores agências de intercâmbio do país. Detém diversas parcerias com escolas e instituições confiáveis de outros países para onde oferecem suas viagens.

Investimento: a partir de R$ 15 mil.

Gostou do conteúdo? Está em dúvida sobre qual segmento escolher para investir? Então aproveite e continue navegando pelo nosso blog. Confira também nosso post sobre franquias de perfumaria e cosméticos, outro setor que têm alto desempenho no franchising.

 

 

Solicite uma Demonstração para sua Rede de Franquias!