Como se preparar para realizar uma expansão de franquias

Está pensando em expandir a sua rede por meio do franchising? Então descubra quais aspectos avaliar na hora de planejar uma expansão de franquias.

Em épocas de instabilidade econômica, a tendência é de que as empresas encontrem um pouco mais de dificuldade para crescer. O franchising, entretanto, vem contrariando essa lógica. Nos últimos cinco anos, mercado de franquias obteve um crescimento de 35% no seu faturamento líquido – no mesmo período, o Produto Interno Bruto brasileiro (PIB) retrocedeu cerca de 5%.

Os dados demonstram algo que os investidores que apostam neste modelo de negócio estão cansados de saber: o franchising é uma opção que se demonstra lucrativa até mesmo em épocas de crise.

O que levar em consideração?

Ao verificarem os números do franchising, a tendência dos investidores, muitas vezes, é de exagerar no otimismo. Não que isso seja algo ruim, muito pelo contrário, a motivação é algo essencial para que qualquer empreendimento dê certo. Inclusive, nós já falamos sobre isso aqui no nosso blog.

No entanto, antes de sair investindo o seu dinheiro, é preciso tomar alguns cuidados. Afinal de contas, até mesmo os negócios promissores podem dar errado caso o gestor peque na hora de elaborar o seu planejamento estratégico.

Mas então o que é necessário observar antes de partir para o processo de expansão de franquias? Confira, abaixo, as nossas quatro dicas.

Expansão de franquias: quantidade de unidades

O principal objetivo dos gestores, na expansão de franquias, é formatar canais capazes de garantir um volume crescente de vendas. Isso pode ocorrer por meio da entrada da marca em novos mercados ou do seu fortalecimento nos locais em que ela já está presente. Qualquer uma das escolhas implica na abertura de novas unidades.

Quantas unidades a rede deve ter e onde elas devem ser implantadas? Estabelecer as respostas para estas perguntas é essencial. O gestor não pode sair abrindo novas lojas indistintamente. Afinal de contas, quem determina a demanda é o mercado, e não a empresa ao fazer a oferta.  

Se não houver demanda que justifique a implantação da unidade em uma determinada região, o negócio poderá sofrer prejuízo.

Expansão de franquias: definindo objetivos

O que a rede pretende obter com a implantação de novas unidades? A expansão do negócio por meio da abertura de novas unidades pode ser o caminho para o aumento dos resultados. No entanto, conceder franquias simplesmente porque apareceram interessados pode ser um grande erro.

Vale Ler:  Como preparar a implantação de uma unidade de franquia

Expandir uma rede sem definir o seu posicionamento e sem saber exatamente onde se quer chegar pode prejudicar a marca e causar prejuízos sérios. Algumas perguntas podem ajudar a definir estes objetivos:

  • Em quais mercados geográficos a marca pretende focar (cidades, estados, países)?
  • Qual posicionamento a marca pretende ter?
  • Qual o perfil do público alvo (perfil socioeconômico, faixa etária, etc)?
  • Ela quer ser reconhecida como a mais acessível ou a de melhor qualidade?
  • Que metas financeiras e volume de vendas ela pretende alcançar?

As respostas para estas questões é o primeiro passo para planejar a expansão de um rede. Estabelecer limites é uma ótima forma de evitar perdas de tempo. Tendo os objetivos claro, é hora de partir para os estudos de viabilidade.

Expansão de franquias: estimativa do potencial de mercado

O potencial de mercado é estabelecido tendo como base nas seguintes perguntas:

  • Existem pessoas interessadas em consumir os produtos que a unidade irá comercializar?
  • Estas pessoas têm a renda necessária para consumi-los?

Após obter as respostas, a questão é avaliar se essa demanda será suficiente para garantir a sobrevivência da unidade e a geração de lucros. Neste momento, é necessário levar em consideração que o potencial total de um mercado será dividido com os demais concorrentes. Ou seja, os negócios que oferecem os mesmos produtos ou serviços também irão cooptar uma parcela dos consumidores.

As principais fontes de dados socioeconômicos e de marcado do Brasil são:

    • Índice de Potencial de Consumo (IPC): indica por categorias de produtos o consumo em cada município brasileiro, dividido por classe econômica da população;
    • Pesquisa de Orçamento Familiar/IBGE: pesquisa realizada por amostragem que indica quanto ganham as famílias brasileiras e no que se dividem as suas despesas em termos de moradia, saúde, educação, alimentação e outros bens de consumo e serviços;
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio/IBGE: traz informações sobre as características gerais da população, educação, trabalho e renda das famílias;

Expansão de franquias: perfil ideal do franqueado

O perfil ideal do franqueado possui características como foco em resultados, dinamismo, forte organização e comprometimento. Perseverança e versatilidade também são linhas de personalidade bastante encontradas nesses empreendedores.

O empreendedor deve dominar os conceitos básicos de administração. Entre os conhecimentos essenciais estão o controle de receitas e de custos, e a capacidade de expandir o negócio sem comprometer o fluxo do caixa.

Também é indispensável que o investidor do franchising possua uma boa relação interpessoal, poder de liderança e espírito empreendedor. É necessário que ele seja apaixonado pelo negócio e que tenha um bom suporte financeiro.

Outro fator importante para o franqueado é a confiança na franqueadora. Afinal de contas, é a matriz que vai repassar as principais orientações para gestão da unidade.

Ter estabilidade emocional e saber gerenciar crises também é um aspecto indispensável para um empreendedor de franquias, assim como o olhar atento para oportunidades de negócio e novas ideias de como aprimorar a franquia.

E aí, gostou das nossas dicas? Então fique atento ao nosso blog e confira diversos outros conteúdos relacionados ao universo do franchising.

Vale Ler:  Repasse de Franquia: cuidados importantes na hora de passar o bastão