Aprenda como realizar uma expansão de franquia

No franchising, é preciso saber vender o peixe. O plano de expansão de franquia depende de ações direcionadas do franqueador e sua equipe. Mas não é só isso: também requer preparo interno da empresa. Confira oito dicas para colocar a expansão de sua rede em prática, considerando o funil de vendas e a estrutura da franquia.

Neste conteúdo, nós iremos abordar os seguintes tópicos:

  1. Viabilidade Financeira
  2. Instrumentos Jurídicos
  3. Capacidade de transmissão de know-how
  4. Canais de comunicação
  5. Capacitação constante
  6. Incentivo
  7. Acompanhamento
  8. Automatização

Crescer é o principal motivo para se fazer franchising. É por isso, afinal, que empreendedores optam por formatar seus negócios em uma rede de franquia.

O franchising torna mais viável a inserção da empresa em novos mercados. Para que isso ocorra, entretanto, são necessárias adaptações. Tanto a estrutura do negócio, quanto a capacidade empreendedora do gestor (agora franqueador) precisam ser transformadas para que o processo de expansão de franquia tenha início.

Tais mudanças devem levar em conta o fato de que expandir, no franchising, é vender o negócio a potenciais investidores. A expansão de franquia depende do capital de empreendedores interessados em ser franqueados.

Por isso, além de ser atraente, a franquia deve estar com todas suas adequações em dia, para que se demonstre como um investimento sério e de confiança. Nenhum detalhe estrutural ou jurídico deve passar batido ao ser oferecida a franquia a novos investidores. Qualquer descuido pode acarretar em falhas futuras no funcionamento das unidades. Isso acaba prejudicando a imagem da rede e, consequentemente, sua reputação no mercado.

A empreendedores que pretendem franquear, reconhecemos que é normal sentir um frio na barriga. Mas, se formatar uma rede de franquias e expandi-la fosse algo impossível, o franchising não teria crescido 7% durante o ano de 2018, registrando um crescimento contínuo desde seu surgimento no mercado brasileiro.

A seguir, trazemos oito dicas para que você entenda um pouco mais sobre o que é necessário para que a expansão em rede aconteça com mais segurança. Vamos lá?

1- Trace um plano de expansão viável financeiramente

Por mais que a expansão da rede parta do investimento externo de franqueados, é preciso estrutura para que o negócio seja ‘vendável’. Muitas vezes, antes de franquear, ajustes são necessários para firmar a padronização de processos na empresa.

Criar um programa de treinamento também é uma responsabilidade do franqueador, bem como dispor de ferramentas para o suporte aos franqueados. Tudo isso custa dinheiro. Logo, durante o período de formatação da rede, o empreendedor deve analisar a situação financeira da empresa. Com base nisso, ele irá traçar um plano de expansão que comporte um orçamento adequado.

Dica: antes de investir o dinheiro necessário para formatação do modelo de franquia, é fundamental que o empreendedor faça uma análise de franqueabilidade da empresa. Nesse processo, é posta em análise a estrutura do negócio. Ela traz à tona quais mudanças são necessárias para que a empresa seja vendável como franquia.

Se o formato já está pronto para venda, é preciso pensar nas estratégias do plano de expansão de franquia, levando em conta principalmente os mercados a serem explorados. O método de expansão em espiral é uma forma de crescimento por proximidade, que acaba demandando menos custos. Leia mais sobre isso aqui.

2 – Estude sobre os instrumentos jurídicos necessários para a expansão de franquia

A relação profissional entre franqueador e franqueado é algo que define o sucesso da expansão de uma rede. Direitos e deveres de ambas as partes são delimitados e regulamentados por instrumentos jurídicos obrigatórios.

No franchising, existem três principais: a circular de oferta de franquia (COF), o pré-contrato e o contrato de franquia. Antes de colocar a franquia para venda, o franqueador deve se certificar de que todos os processos e contratos estejam corretos. Assim, irá garantir que complicações futuras sejam evitadas.

Dica: contar com a ajuda de uma consultoria para a formatação da rede e para a criação de um plano de expansão de franquia é sempre algo a se considerar. Afinal, o auxílio de profissionais especializados em todas as questões jurídicas que envolvem o franchising pode fazer a diferença na elaboração da COF e do contrato de franquia.

3 – Desenvolva sua capacidade de transmissão de know-how

Parte do processo de expansão em rede é capacitar os novos franqueados. É através dos programas de treinamento que os operadores apreendem o know-how necessário para que a gestão da unidade de franquia seja feita de forma adequada. É importante que, durante a fase de capacitação, o franqueador se mostre presente, como um referencial de conhecimento.

É importante que você esteja atento às tendências de mercado, para que sua visão seja constantemente enriquecida e, também, para que você se demonstre como um gestor qualificado e transmita tudo isso a seus franqueados. Para desenvolver essa capacidade, o estudo é necessário. Atualize-se com revistas, portais de notícias, participando de feiras de negócios e de eventos.

Dica: se você, como franqueador, tem dificuldade em transmitir seu conhecimento para outras pessoas, que tal apostar no coaching? Trabalhar técnicas de expressão pode mudar a forma como você compartilha seu know-how com a rede. Quanto mais confiança seus franqueados tiverem em você, mais confiantes eles estarão para tocar o negócio adiante.

4 – Conte com bons canais de comunicação para franqueados

A comunicação é fio condutor em redes de franquias. É a comunicação entre franqueadores e franqueados que garante a saúde da rede. É assim que são trocadas informações sobre consumidores, gestão de funcionários, e sobre a demanda de suporte durante o cotidiano da lojas. Por isso, ao expandir a rede, o franqueador deve contar com bons canais de comunicação.

Investir em uma plataforma de comunicação para utilização dos franqueados é uma saída. Mas, além disso, é importante manter a proximidade pessoal. Isso pode ser feito por consultores de campo, que visitam as lojas para reunir sugestões dos franqueados. Reuniões periódicas também são bastante importantes.

Dica: a Central do Franqueado é um sistema online que torna a comunicação entre franqueadores e franqueados muito mais acessível e prática. Saiba mais sobre a plataforma aqui.

5 – Capacite constantemente os franqueados

Manter o padrão de qualidade em uma rede de franquias é um desafio. No entanto, é isso que possibilitará a expansão da empresa. Às vezes, mudanças surgem em meio à gestão operacional da empresa. Todo tipo de mudança deve ser incorporada no padrão das unidades. Por isso, além do treinamento inicial, é preciso entregar ao franqueado material atualizado, para que possa reciclar seu know-how sempre que for necessário.

Dica: disponibilizar materiais para a consulta dos franqueados é uma forma de prestar suporte e proporcionar novos conhecimentos aos operadores. A Central do Franqueado oferece a possibilidade de upload de manuais e outros arquivos no módulo ‘Operacional’.

6 – Incentive seus franqueados a estudarem seus mercados de atuação

O feedback dos franqueados em relação ao dia-a-dia da unidade de franquia pode fazer a diferença nos rumos da rede. São eles, afinal, que estão em contato com os consumidores e com os mercados no quais estão inseridos. Mas, para diagnosticar obstáculos e auxiliar na elaboração de soluções, é importante que os operadores saibam analisar sua própria concorrência e seu próprio público-alvo.

É difícil para uma rede elaborar campanhas de marketing diferentes, que atendam as demandas de algumas regiões específicas. Por isso, ao incentivar os franqueados a entenderem a participação do negócio nas suas regiões de atuação, o franqueador e sua equipe de marketing conseguem obter informações úteis para que campanhas sejam mais bem direcionadas. Boas campanhas em redes de franquias são essenciais para seu crescimento e expansão.

7 – Acompanhe o bem-estar das unidades da rede

De nada adianta buscar pela expansão da rede se as unidades da empresa estão encontrando problemas com certa frequência. Reunir relatórios periódicos para acompanhar como estão as vendas, a satisfação dos funcionários e dos clientes, bem como rever os padrões operacionais das lojas é algo que mantém a qualidade da empresa. Sem qualidade, não há porque expandir.

Dica: realize auditorias nas unidades e tenha sempre em mãos um plano de ação para corrigir falhas e insatisfações de franqueados, funcionários e clientes. É fundamental que a rede seja tanto um ambiente de trabalho agradável, quanto um negócio que recebe bem seus consumidores.

8 – Automatize processos e otimize tempo

A quantidade de trabalho de um franqueador, ao gerir uma rede, é muita. Por isso, além de contar com uma equipe que o auxilie a manter a empresa nos conformes, automatizar processos é algo que se demonstra cada vez mais necessário, principalmente em grandes redes. Por automatizar processos, incluímos melhorar os canais de comunicação com fornecedores, bem como otimizar a utilização de produtos e máquinas nas lojas. Essas medidas aliviam o trabalho de todos na franquia.

Dica: novamente, contar com a Central do Franqueado é uma boa saída para automatizar etapas na gestão de unidades. A realização de auditorias, o contato com fornecedores, e a entrega de suporte podem ser feitos pela plataforma. Quer saber como? Nós explicamos para você.

Tendo o devido cuidado com tudo o que apresentamos aqui é o que trará valor para a sua rede no momento de vendê-la para investidores. Por isso, o estudo é imprescindível. Fique por dentro das tendências do mercado do franchising lendo os conteúdos do nosso blog.

Vale Ler:  5 pontos fundamentais antes de expandir sua franquia
Conheça o módulo de expansão da Central do Franqueado