O que é Circular de Oferta de Franquia (COF)?

Para que funcione e se expanda regularmente, toda a rede de franchising deve dispor de uma Circular de Oferta de Franquia (COF). O documento abrange diversas questões, tais como as informações financeiras e jurídicas a respeito do empreendimento. Entenda mais sobre esse instrumento, essencial para a formatação e para o crescimento da sua marca.

Tópicos:

O que é Circular de Oferta de Franquia (COF)?

Desde 1994, o mercado brasileiro de franquias possui uma legislação específica para regulamentá-lo. A Lei de Franquias (nº 8955/94) foi promulgada após intensa mobilização da Associação Brasileira de Franchising (ABF). A entidade buscava por maior segurança jurídica para a formatação e expansão do setor no país. A medida contribuiu para o crescimento do formato no país e é vigente até hoje. E, como toda legislação, a do franchising delimita regras –  essas, a serem cumpridas no contrato estabelecido entre franqueador e franqueado.

Uma delas é a elaboração de uma Circular de Oferta de Franquia (COF). O documento é parte fundamental para  o processo de expansão de uma rede, visto que é o instrumento utilizado para apresentar as informações econômicas, jurídicas e operacionais da empresa aos novos franqueados. Entre os artigos 3º e 7º, a Lei de Franquias detalha o que deve constar na Circular, a fim de que o contrato entre franqueador e franqueado seja fechado de forma transparente e segura para ambos os lados.

Que tipo de informação deve aparecer na Circular de Oferta de Franquia?

A Circular de Oferta de Franquia deve ser um documento completo e claro. Afinal de contas, será entregue a todos os candidatos selecionados durante o processo de triagem de novos franqueados da rede. É a COF, afinal, que disponibilizará as informações a respeito dos investimentos a serem realizados pelo empreendedor para a abertura da sua unidade. Portanto, alguns dados não podem passar despercebidos pelo franqueador durante a elaboração do documento, como:

  • Apresentação geral da franquia e de suas atividades;
  • Histórico e credenciais da empresa;
  • Empresas diretamente relacionadas ao negócio;
  • Balanços e demonstrações financeiras relativas aos dois últimos exercícios;
  • Pendências judiciais;
  • Descrição detalhada da franquia, descrição geral do negócio e das atividades que serão desempenhadas pelo franqueado;
  • Envolvimento necessário do franqueado e o perfil ideal para gerir uma unidade;
  • Investimento e taxas;
  • Especificações quanto à localidade de instalação;
  • Informações detalhadas sobre a obrigação do franqueado de consumir produtos de fornecedores indicados pela franqueadora;
  • Direitos de suporte e acompanhamento, oferecidos pelo franqueador;
  • Contato de todos os franqueados da rede e uma relação daqueles que se desligaram nos últimos 12 meses.

Partindo dessas e outras informações, o franqueado passa a conhecer com mais propriedade seus direitos e deveres em relação à gestão da unidade de franquia. Por isso, a COF também é bastante importante para que o empreendedor analise detalhadamente se quer, de fato, investir na rede.

Dica para o empreendedor: analisando uma COF

Se você pretende empreender em franquias, é fundamental que você, como candidato a franqueado, avalie as informações da Circular de Oferta da Franquia com calma e inteligência. É a partir desse documento que você julgará: esse investimento é adequado para o meu perfil financeiro e profissional?

Para isso, não tenha medo de pedir ajuda. Durante o prazo de análise, você pode contar com o auxílio de profissionais especializados na área. Desta forma, irá garantir que tudo está nos conformes e que a franqueadora está regularizada. Fique atento às dicas a seguir:

  • Procure a ajuda de um consultor da área de franchising para esclarecer dúvidas;
  • Mostre a Circular de Oferta de Franquias a um advogado de confiança, para conferir a situação da empresa e suas patentes junto ao INPI (Instituto Nacional da Produção Industrial);
  • Faça uma primeira análise dos dados financeiros da franquia, verificando na COF as informações fornecidas sobre a saúde financeira do franqueador;
  • Compare os valores de investimento com sua capacidade para arcar com os custos da franquia;
  • Entre em contato com franqueados e ex-franqueados, para suprir dúvidas e ter maior segurança na hora de fechar o contrato.

Observações ao franqueador: cuidados

  • A Circular de Oferta de Franquias deve ser entregue ao candidato a franqueado no mínimo 10 dias antes da assinatura do contrato, pré-contrato ou do pagamento de qualquer taxa, para que haja tempo suficiente de análise;
  • Utilize a COF para apresentar as vantagens competitivas da marca e seus diferenciais, a fim de que sejam atrativos para o investidor ter maior interesse em querer empreender na rede;
  • Esteja constantemente revisando o documento, atualizando-o com modificações necessárias;
  • Disponibilize a COF também a franqueados antigos, pois esses podem, eventualmente, adquirir mais uma unidade de franquia;
  • Conte com o auxílio de consultorias especializadas para a formatação da rede, a fim de que a Circular de Oferta da Franquia seja cuidadosamente elaborada e nenhuma informação importante seja esquecida.

A falta de uma COF bem elaborada pode futuramente pesar ao franqueador da rede. Qualquer informação errada pode acarretar em complicações judiciais com franqueados, prejudicando a imagem da rede, por consequência, sua expansão. Também, falhas contratuais afetam diretamente no bolso dos operadores. Evite dores de cabeça desnecessárias e não poupe tempo e estudo quando o assunto é esse.

Para conhecer mais sobre o mercado do franchising e suas especificidades, continue navegando pelo nosso blog!

Sistema para Franquias - Peça agora uma Demonstração!