Entenda como funciona o Capital de giro e sua importância para sua franquia

O termo financeiro Capital de Giro é utilizado para definir o recurso ativo de uma empresa necessário para manter o pagamento dos custos fixos e variáveis do negócio. O capital de giro é a reserva necessária para todo empreendedor para manter o funcionamento do seu negócio. Confira e saiba mais sobre o funcionamento e a importância deste recurso para sua franquia!

De acordo com dados de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 21% das empresas que abrem no Brasil declaram falência após o primeiro ano de atividade. Esta estatística está ligada a diversos fatores, incluindo fatores como alto nível burocrático no país e problemas com a saúde financeira da empresa.

Entre estes fatores, um dos principais contribuintes para uma má administração do negócio é a falta de manutenção de um capital de giro ativo. Muitos empreendedores atentam somente para o investimento inicial e não planejam a manutenção da continuidade da empresa.

No mercado de franquias este problema também está presente. Os investidores do franchising tendem a dar atenção ao investimento inicial e às taxas de franquia que devem ser pagas ao adquirir o negócio. Porém, é muito importante que franqueados estejam atentos à boa administração do capital de giro de suas franquias. Por isso, confira e entenda a importância deste recurso para sua rede e saiba como calculá-lo.

O que você irá encontrar neste artigo:

O que é e como funciona o capital de giro?

A definição básica de capital de giro é o valor circulante necessário para a continuidade das operações da franquia, como recursos para financiamento aos clientes (no caso das vendas a prazo), para manter estoques e para pagamento aos fornecedores (nas compras de matéria-prima ou mercadorias de revenda). Além disso, serve para pagar impostos, salários e quaisquer outros custos operacionais.

No entanto, pode haver confusão ao incluir custos de implementação de uma unidade, como maquinários, suporte, instalação da unidade e etc. no valor destinado ao capital de giro. Os custos para instalação da rede normalmente estão inclusos na taxa de franquia, a qual o franqueado paga ao adquirir o direto de uso da marca de uma franquia.

No caso de uma unidade faça uma venda à prazo, o valor que ela receberá só ao final do período entra na contagem do capital de giro. Isto significa que toda venda à prazo deve ser inclusa no aumento do valor deste fundo, para que a empresa arque com a despesa neste momento. Em geral, o valor do capital de giro representa cerca de 50% a 60% do total dos ativos de uma empresa.

Qual a importância do capital de giro para uma franquia?

O principal fator que justifica o cuidado com a manutenção do capital de giro em uma franquia é a saúde financeira da unidade. Este recurso é responsável pela continuidade das atividades da rede, pois todas as despesas necessárias para o funcionamento da unidade são supridas pelos recursos vindos deste fundo.

O esforço de gestores em manter o capital de giro abastecido e equilibrado impacta diretamente na resistência do negócio a crises ou situações em que é necessário suprimento de recursos. A quantidade de capital disponível para esse ativo é diretamente proporcional ao tempo que a empresa consegue se manter em uma crise ou situação de diminuição do fluxo de caixa.

Um capital de giro ideal é programado para sustentar as atividades da empresa por cerca de seis meses. Deste modo, o negócio pode atuar com maior segurança e estabilidade, podendo expandir sua oferta de vendas à prazo, manter o estoque abastecido e manter uma boa relação com fornecedores.

Como calcular o capital de giro em sua franquia

Para realizar o cálculo do capital de giro em sua unidade é necessário definir um tempo pelo qual será alimentado este recurso. Para que seja possível ter dados para o cálculo é necessário manter um controle detalhado do fluxo de caixa da franquia. Além disso, o gestor da unidade precisa ter claro os recursos e lucros da unidade para a base do cálculo.

O cálculo é realizado com base no coeficiente de Capital de Giro Líquido (CGL) que será igual à diferença entre o Ativo Circulante (AC) e o Passivo Circulante (PC). O AC se refere a todos os recursos que possam se tornar facilmente em liquidez, como recursos em contas bancárias, aplicações financeiras, dívidas a receber e etc. O PC se refere à todas as despesas fixas ou previsíveis dentro do período determinado. Estas despesas englobam o pagamento de impostos, salários, aluguel, fornecedores, empréstimos, entre outros.

CGL Capital de Giro Líquido
AC Ativo Circulante
PC Passivo Circulante
Cálculo CGL = AC (contas a receber + Valor em estoque) – PC (despesas em geral)

Os gestores financeiros das unidades também devem ficar atentos a alguns fatores que possam diminuir os recursos do capital de giro, como:

  • Diminuição nas vendas
  • Aumento na inadimplência
  • Aumento de custos operacionais
  • Despesas inesperadas
  • Crises financeiras

Dicas para sua franquia

  • Mantenha um controle sobre as inadimplências;
  • Atualize o cálculo periodicamente;
  • Realize um planejamento financeiro;
  • Faça renegociação de dívidas;
  • Coloque uma margem maior no valor destinado.

Gostou do conteúdo? Aproveita para aperfeiçoar sua gestão financeira e confira nosso conteúdo com todos os conceitos financeiros necessários para operar no franchising.

Resumo

Sistema para Franquias - Peça agora uma Demonstração!