Como desenvolver um site para franquias

São muitas as funções que um website pode ser para a promoção de uma empresa. Por ser a referência máxima da marca no ambiente online, acaba tendo muita importância na maneira como ela é apresentada ao público. Sua utilidade para redes de franquias é ainda maior. Isso por que ela centraliza todas as informações da rede. Saiba o que priorizar na hora de elaborar o site do seu franchising.

Com o passar dos anos, a internet demonstrou ser uma plataforma cada vez mais interativa, intuitiva e diversa. A partir do desenvolvimento das redes sociais e de aplicativos, a rede acabou se tornando inerente ao cotidiano dos usuários.

É muito fácil buscar por serviços que estão sendo ofertados em apps ou páginas do Facebook. Nada garante, entretanto, sua longevidade. Afinal de contas, opções melhores e mais práticas podem surgir em um piscar de olhos. O Orkut, por exemplo, mesmo tendo sido o queridinho dos brasileiros, um dia se tornou obsoleto. A única estrutura que se mantém relevante desde a concepção da world wide web é a estrutura dos sites.

Do início da popularização dos canais online à era atual dos smartphones, os sites continuam sendo a maior representação possível de uma marca, instituição ou figura pública na rede. Como páginas oficiais, transmitem informações verificadas, apresentadas pelo domínio. Em meio a permissiva circulação de conteúdo falso pela web, isso acaba sendo algo essencial para a confirmação de dados.

Canal central de comunicação

Além disso, funcionam como um canal central de comunicação, sendo base de redirecionamento de links espalhados em redes sociais ou em qualquer outra plataforma online. Para empresas, sua utilização é essencial, para não dizer obrigatória. É a partir dos sites que campanhas integradas são disseminadas e que as informações oficiais sobre produtos e serviços são expostas aos usuários.

A função de centralização de informação e de elaboração de estratégias de marketing digital são motivos pelos quais é indispensável a organização de um site para uma rede de franquias. Uma franqueadora necessita de uma boa página oficial para desenvolver contato com seu público-alvo. Por meio do ambiente, é possível atrair não só consumidores, mas também investidores interessados. Por isso, o domínio é o principal canal da empresa na Internet. Saiba o que é preciso desenvolver no site de sua rede para que ele cumpra seus objetivos.

1) Informações completas sobre a rede

A funcionalidade mais primária de um website é proporcionar todo tipo de informação útil e oficial para o público-alvo. É importante, portanto, segmentar a página em seções voltadas para os assuntos específicos. Sites de redes de franquias podem indicar conteúdos sobre suas diferentes lojas. Eles também proporcionam dados relevantes para interessados em investir em novas unidades. Para isso, é importante elaborar e apresentar as seguintes questões:

  • Breve histórico da empresa
Vale Ler:  Como tornar o meu negócio uma franquia? Abrindo uma franqueadora

Da sua fundação aos dias atuais, mostrando o crescimento da empresa e seus objetivos como instituição no mercado. É importante apresentar o desenvolvimento da rede. Essa é uma forma de transmitir seriedade e qualidade de marca para o usuário que está interessado em saber mais sobre o negócio (especialmente, quando que acessa são potenciais novos franqueados).

  • Catálogo de produtos e serviços

Parte fundamental para a exposição da oferta da empresa ao seu público-consumidor. Deve ser atualizada com o surgimento de novos produtos e/ou serviços.

  • Informações sobre unidades

Para que o usuário encontre lojas para visitar. Aqui, vale disponibilizar telefone, e-mail ou outro meio para contato.

  • Informações sobre franqueadora

Espaço destinado a conteúdos sobre o funcionamento da rede franqueadora. Deve ser elaborado para captar o interesse de investidores e recolher seus contatos (preparamos um item especialmente sobre isso a seguir).

2) Seção para candidatos a franqueados

Como canal oficial de uma rede de franquias, o site é o destino principal de usuários que buscam por informações mais detalhadas sobre a empresa. Isso inclui as pessoas com o interesse em empreender a partir de uma unidade da marca. Logo, é imprescindível que o domínio tenha uma seção destinada a esse público.

Todas informações sobre a franqueadora devem ser descritas. Mas o mais importante é que haja um espaço para o contato do usuário com a empresa. Aqui, os dados do interessado podem ser recolhidos, algo necessário para a captação de leads com perfil de candidatos a franqueados. Aposte em formulários de envio mais curtos e práticos, para que sua leitura e preenchimento sejam rápidos.

É bom lembrar que o link da página normalmente é encontrado através de pesquisas em mecanismos de busca, como o Google. Por isso, é fundamental garantir que o usuário seja redirecionado à seção na qual os conteúdos e formulários devem estar disponíveis (e funcionando).  

3) Redirecionamento de links de campanhas e interatividade com usuário

É estritamente importante enfatizar a questão do redirecionamento de links ao site da rede como forma de centralização da comunicação externa da empresa. A Internet, afinal, proporciona diversas ferramentas para serem utilizadas em estratégias de marketing digital. É preciso que haja um ponto central para que campanhas sejam integradas e para que a experiência dos usuários seja fluida, incentivando seu engajamento e proximidade com a marca.

  • Integração de campanhas em diferentes canais
Vale Ler:  Como desenvolver o relacionamento entre franqueados em uma rede?

Campanhas online devem ser disseminadas nos mais diversos canais: tanto nas redes sociais, como o Facebook e o Instagram, quanto em ferramentas de anúncios, como o Google Ads. A funcionalidade do site oficial é integrar as plataformas utilizadas, através do redirecionamento de links às páginas do domínio da empresa. Nelas, a proposta e os detalhes da campanha podem ser desenvolvidos, enriquecendo a experiência do usuário.

  • Lead nurturing com usuários interessados

Enriquecer a experiência de quem está navegando é, no fim das contas, fazer lead nurturing. Isso é desenvolver estratégias online que manterão usuários interessados (os chamados ‘leads’) próximos ao que o negócio oferece. Uma opção é aproveitar a funcionalidade e versatilidade dos websites após o redirecionamento de links. Criar destinos com hotsites de campanhas e promoções específicas, ou landing pages com listas de e-mail para newsletters, são uma forma de engajar os usuários a navegar mais. Também os influencia a deixarem seus contatos para o envio de novidades e benefícios.

  • SAC online para solução de problemas

Por último, mas não menos importante: desenvolva uma seção de Serviço de Atendimento ao Consumidor online, que possa solucionar questões instantaneamente, ou encaminhar o usuário a um atendimento pessoal. Dispor de suporte é essencial para um bom relacionamento entre a empresa e o cliente.

4) Conteúdos de qualidade, palavras-chave selecionadas e boa segmentação

Proporcionar páginas com design agradável e com conteúdo prático e completo é mais do que montar um site bom e bonito. O Google, em seus resultados de busca, prioriza as páginas que oferecem links de qualidade, elaborados a partir das palavras-chave mais próximas ao que o usuário buscou. Isso porque visam a otimização da experiência de quem está navegando.

Logo, dispor de um site fluido, bem segmentado, com conteúdo e visuais organizados, que constam com palavras-chave bem selecionadas, é conquistar mais acessos. Os algoritmos do Google comparam a atividade dos usuários com o que os domínios têm a oferecer. Se sua empresa é potencialmente interessante a determinado perfil, ela com certeza terá mais visibilidade do que outras informações dispostas online.

Tanto o time de comunicação quanto o time de programação da rede devem trabalhar em conjunto para simular o imaginário do público-alvo da empresa. Quais os produtos mais procurados? Quais necessidades os usuários pretendem suprir com a marca? Entender as respostas dessas questões é colocar em evidência o que é mais relevante para o consumidor. Assim, o mapa do site e os conteúdos podem ser desenvolvidos com mais precisão.

5) E-commerce, caso a oferta da empresa permita

Relevância é a palavra chave para a exposição de produtos em canais de e-commerce, as famosas lojas virtuais. Empresas que oferecem vendas pela Internet podem se beneficiar muito da possibilidade, que demonstra ser cada vez mais prática. Nessas páginas, produtos e promoções

podem ser destacados, facilitando o fluxo de acesso do usuário até o momento da compra. Se for possível para o formato da rede, dispor de um canal organizado e funcional de e-commerce sempre é uma boa ideia, pois traz uma possibilidade de consumo além do PDV.

Ao desenvolver um site para sua rede de franquias, não esqueça que você deve:

  • Otimizar para celulares, afinal os smartphones já são mais utilizados por brasileiros do que computadores e laptops;
  • Monitorar constantemente, conferindo se todas as seções e links estão online;
  • Atualizar quando necessário, com o lançamento de novos produtos, serviços ou campanhas – bem como com alterações na identidade visual da marca ou em seu histórico.

Se sua rede de franquias ainda não tem um site adequado, seja em seu formato ou em seu domínio? Então não pense duas vezes! Entre em contato com bons desenvolvedores e não hesite em pagar o necessário para que a página esteja online. Ela será a porta para muitos de seus consumidores ou investidores futuros.

Gostou do conteúdo? Então continue navegando pelo nosso blog! Aproveite a seção sobre ‘gestão’.

Software para Franquias - Peça sua Demonstração agora!