O que fazer antes de abrir uma franquia: 5 passos

Confira nossas dicas e saiba como se preparar antes de abrir uma franquia.

Investir no franchising é uma maneira fácil e menos arriscada de se tornar um empreendedor. Com o pagamento de uma taxa inicial e outras despesas fixas – como os royalties – você pode ter o seu próprio negócio se tornando operador de uma marca reconhecida.

Muitos empresários são atraídos pelo franchising por considerarem uma maneira quase garantida de começar um negócio e ter sucesso. Mas não é bem assim. As franquias também podem envolver eventuais complicações capazes de  diminuir os lucros e causar insatisfação.

De acordo com Gustavo Garcia, fundador do portal de negócios meuBiZ, referência em vender empresas e franquias, abrir uma franquia pode não ser tão simples quanto parece à primeira vista.

O Departamento de Pequenas Empresas dos Estados Unidos (SBA) analisou uma série de dados de empréstimos realizados para empresários.  No estudo, descobriu-se que os franqueados estão entre os maiores inadimplentes.

 

Um dos motivos apontados é que os franqueados geralmente não fazem um planejamento adequado de todo o investimento que será necessário. Assim, precisam tomar empréstimos e não conseguem pagá-lo até que a franquia comece a render frutos. Isso quando o negócio é realmente um bom investimento. Mas nem sempre é isso que ocorre.

Saiba como se analisar e se prepara para abrir uma franquia.

1 – Abrir uma franquia: invista no que você realmente gosta

De acordo com Gustavo, existem muitas franquias interessantes e rentáveis. Se você está buscando empreender, é muito provável que já tenha se interessado por diversos modelos e segmentos. Isso vai acontecer constantemente.

Por este motivo, o ponto mais importante é buscar uma franquia que vá te satisfazer. Procure trabalhar em algo em que você se irá se sentir realizado.

O retorno financeiro é fundamental para dar sustentabilidade ao negócio. Mas o que realmente vai te manter motivado é a sua paixão por operá-lo.

Com tantas franquias no mercado, a tentação de pular de galho em galho é grande. Portanto, pergunte-se: este é um negócio que eu quero operar? Como é o dia a dia dele? Esse é o modelo que me atrai como empreendedor?

2 – Abrir uma franquia: pesquise  o mercado da sua cidade

Uma franquia pode ser um excelente negócio em uma cidade e um péssimo negócio em outra. Isso porque as características do mercado podem mudar de  região para região.

Gustavo conta que é comum no mundo dos negócios ouvir que no Brasil, se uma empresa “dá certo” em Minas Gerais, ela “dará certo” em qualquer lugar. Isso porque o mercado mineiro costuma ser mais conservador que no restante do país, sendo um bom teste para empresas.

Essa simples reflexão mostra como é importante analisar o perfil do mercado onde você pretende atuar. Quais são as características do setor na localidade? Existem concorrentes? Quem são e pelo que eles se diferenciam? Quais são as características do seu potencial consumidor? Onde eles estão? A franquia é adequada a eles?

3 – Abrir uma franquia: conheça o negócio em que está ingressando

Após decidir que tipo de negócio você está disposto a operar e garantir que ele pode funcionar na sua cidade, é hora de conhecer a franquia que vai comprar.

Existem muitas franquias no estilo “fogo de palha”, que iniciam, promovem um furor e algum depois desaparecem. Isso é mais comum do que você pensa. Geralmente, o problema ocorre porque nem todas as empresas estão preparadas para o processo de expansão.

Operar um negócio é diferente de expandi-lo. Portanto, nessa etapa você deve se certificar da preparação da franquia e do sucesso dela.

Faça uma visita à franqueadora, conheça seus processos. Entenda como se desenvolve a operação e que tipo de suporte é fornecido aos franqueados. Quantas unidades da marca existem atualmente? Quantas delas são próprias e quantas são franqueadas? Alguma franquia já foi revendida? Alguma fechou? Por quê?

É importante notar que, quanto mais tempo no mercado com o modelo de franquias, mais segura é a empresa. Investir em uma rede com mais de 30 anos, mas só começou a franquear há dois, também pode ser arriscado. O tempo de franqueamento é tão importante quanto o tempo de existência da marca.

4 – Abrir uma franquia: converse com outros franqueados e ex-franqueados

Se você conseguiu validar a segurança de investir na franquia sob a ótica do franqueador, é hora de enxergar pela ótica do franqueado.  Converse com pelo menos três, um em cada etapa:

  • em implementação;
  • implementada há poucos meses;
  • implementada há mais de um ano.

Se a franquia que você escolheu não possui três franqueados distintos, cogite pesquisar outras franquias disponíveis. O risco de investir em um negócio pouco explorado é exponencialmente maior.

Ao se  encontrar com os franqueados, questione quanto eles gastaram para inaugurar a unidade, como foi a implementação, o suporte, como estão as vendas, quais os desafios enfrentados. Pergunte sobre o capital de giro necessário. Nessa etapa, você vai obter muitas informações para os estágios seguintes (análise de custos).

Fale também com ex-proprietários, caso haja algum. Aqui é mais provável que você se depare com as experiências negativas do franqueado. Pode ter havido pouca orientação e assistência em áreas vitais ou o pode ter havido falha por parte do operador. Lembre-se que ambas as partes podem errar.

5 – Abrir uma franquia: analise o investimento, os gastos e o retorno

Muitos empreendedores começam a analisar uma franquia pelo investimento necessário e pela sua previsão de lucros. O melhor é criar um filtro inicial utilizando esse critério e também fazer uma análise criteriosa no final, depois de recolher todas as informações necessárias nas etapas anteriores.

Há franqueadores que exigem que seus franqueados comprem todos os equipamentos e estoques de determinados fornecedores ou da própria rede. Embora algumas compras centralizadas ofereçam preços mais baixos, há sempre a tentação de explorarem os preços para fazerem disso outra fonte de receita.

Caso a franquia escolhida atue neste modelo, é fundamental que o empreendedor compare todos os custos com os preços praticados no mercado antes de assinar qualquer contrato.

Nem sempre os lucros são instantâneos

Gustavo lembra que existem duas etapas de nas quais são realizados gastos. A primeira é o desembolso do investimento inicial, gasto com o pagamento da taxa de franquia, com a compra de equipamentos, ponto comercial, instalações, com o primeiro estoque, a contratação de pessoal e tecnologia. Essa etapa finaliza quando o negócio está pronto para operar.

A partir daí inicia-se a segunda fase. Nela, o empreendedor precisa manter o negócio até que as suas receitas cubram as despesas. Nessa etapa, é preciso suportar financeiramente o capital de giro para pagar contas diárias, a manutenção do local, a variação do estoque e os salários, inclusive o pró-labore do empresário.

Coloque todos os dados em uma planilha e faça análises de cenário. Quando você começará a ter lucro considerando hipóteses negativas, positivas e regulares? Se o resultado valer o seu investimento, entre com tudo para vencer!

Esses cinco passos validarão a sua confiança na empresa, mas não podem garantir o retorno do  investimento, pois o sucesso de uma franquia depende tanto do franqueador quanto do franqueado. Portanto, esteja preparado!

Gostou do conteúdo? Então entre no nosso blog e confira diversas outras informações sobre o universo do franchising.

Sistema para Franquias - Peça agora uma Demonstração!