A Internet proporciona um mundo de possibilidades voltadas para o marketing digital de uma marca. A utilização de redes sociais é uma delas. É comum a presença de empresas no Facebook e no Linkedin, duas plataformas interessantes para negócios , cada qual com suas ferramentas. Como, em franquias, aproveitá-las da melhor forma?

Tornou-se praticamente uma ideia de senso comum de que a presença de todo e qualquer negócio pode ser encontrada online, de alguma forma. A web se tornou talvez o principal meio para que usuários busquem por informações de produtos ou serviços pelos quais estão interessados – seja em mecanismos de busca, seja em redes sociais. Os sites, são indispensáveis para o branding da marca online e funcionam como um canal oficial de informações a disposição dos usuários. Redes sociais, entretanto, oferecem algo a mais: possibilitam a interação do time de comunicação da empresa com os usuários e, hoje, são plataformas também voltadas para a veiculação de anúncios e campanhas em geral.

É mais do que claro que toda rede de franquias precisa, de fato, estar presente nas redes sociais. É uma questão de necessidade, visto que a empresa deve encontrar os melhores meios para centralizar sua comunicação. Nada melhor do que uma página do Facebook, por exemplo, para alcançar consumidores de diferentes localidades. Pensando além do público-alvo consumidor de franquias, algumas redes podem ser utilizadas em prol da expansão da marca com novos franqueados. Existem plataformas voltadas para o âmbito profissional, as quais podem ser um meio de contato para interessados – e o LinkedIn é uma delas.

Preparamos esse texto para apresentar um pouco da proposta do Facebook e do LinkedIn em negócios e como as duas redes podem ser utilizadas pelo marketing de redes de franquias. Assim, se você é um pequeno gestor, saiba que os dois canais podem ser extremamente úteis para seu negócio.

Facebook: comunicação relevante para o público-alvo consumidor

O Facebook é a maior rede social da atualidade. Fundada em 2004, pelo desenvolvedor Mark Zuckerberg, já ultrapassou a marca de um bilhão de usuários, isso em 2012. Em 2018, a rede continua sendo bastante utilizada, apesar das polêmicas envolvendo suas políticas de privacidade. Talvez, o que mais engaja usuários a utilizarem a rede são seus mirabolantes algoritmos a respeito de conteúdos relevantes, selecionados de forma específica para determinadas pessoas. Isso é algo extremamente proveitoso para as chamadas páginas, que seriam perfis públicos. Esses perfis, ao serem curtidos pelos usuários, aparecem com suas postagens nos feeds dos “fãs”. Os mecanismos de relevância acabam selecionando quais postagens aparecem primeiro para os usuários – mas não vamos entrar muito mais afundo nisso.

A moral da utilização do Facebook para empresas, através da criação de páginas e da utilização do business manager – que permite não só o agendamento de postagens e análise de métricas (quantidades de curtidas por semana, dados de engajamento de fãs, etc.) – é alcançar potenciais consumidores através de uma comunicação que seja relevante para eles. E isso não acontece apenas para quem curte as páginas: hoje, com os anúncios patrocinados, ads aparecem nos feeds de usuários que até mesmo não curtiram a marca, mas que potencialmente seriam interessados nela. Tudo isso através do direcionamento das postagens pagas, feitas de acordo com o perfil do público-alvo (como faixa etária, escolaridade e até mesmo posicionamento político). O Facebook realmente conhece muito sobre seus usuários e as empresas podem tirar proveito disso.

Para que e como pode ser usado em franquias?

a) Divulgação de campanhas e diversos assuntos: a utilização de uma página e de anúncios patrocinados permite a veiculação de campanhas da rede em variados territórios de forma mais acessível, bem como de outros assuntos relevantes para o público-alvo.

b) Interação com clientes: o Facebook é uma ótima forma para a empresa interagir com seu público, ainda mais de maneira informal e convidativa. Isso é bastante útil para a reputação da marca no mercado.

Que ferramentas proporciona?

a) Postagens multimídia: imagens, vídeos e mais;
b) Anúncios patrocinados: a empresa investe em conteúdos que serão direcionados a todo o público selecionado;
c) Controle de métricas: o time de marketing analisa o engajamento dos fãs com a página e seus conteúdos e, a partir disso, pode criar novas estratégias.

LinkedIn: exposição da rede para potenciais novos franqueados

Mais antigo que o Facebook, porém um pouco menos conhecido, o LinkedIn (linked-in) carrega em seu nome o seu propósito. A proposta da rede social, lançada em 2003 e hoje com 500 milhões de usuários, é linkar profissionais – fazer networking, basicamente. Com uma plataforma bastante intuitiva, é um espaço perfeito para que usuários se apresentem com seu perfil profissional – compartilhando sua ocupação, currículo e experiências. A interação no site possibilita, também, a recomendação entre profissionais, por qualificações. Mais do que isso, o LinkedIn é utilizado para a divulgação de vagas de emprego.

Uma rede de franquias só se expande com o investimento de novos franqueados em novas unidades de franquia e o LinkedIn pode ser um meio interessantíssimo para que haja o contato inicial entre franqueador e potenciais operadores de lojas. Afinal, a rede social é muito baseada nos interesses e na reputação profissionais dos usuários. Os algoritmos da rede facilitam a interação entre usuários com ocupações e objetivos semelhantes. Logo, através do perfil pessoal do franqueador, a reputação da rede pode atrair candidatos. O LinkedIn acaba sendo uma ferramenta moderna e bastante fluida para o âmbito interno de negócios e a participação dos profissionais de uma franquia pode trazer valor a sua imagem no mercado.

Para que e como pode ser usado em franquias?

a) Contatar potenciais franqueados: tanto para aspirantes a investidores em franquias, quanto para redes que procuram por novos franqueados, o LinkedIn é uma bela forma de se fazer networking, pela facilidade de encontrar profissionais com o perfil certo para a empresa.
b) Trabalhar a reputação profissional da marca: através da linguagem formal, séria e firme, postagens no LinkedIn, feitas pelos profissionais de uma empresa, podem ser um meio para que a marca se posicione como uma força de expertise no mercado.

Que ferramentas proporciona?

a) Perfis profissionais completos: constando ocupação, currículo, experiências;
b) Espaço para divulgação de vagas de emprego: prático para profissionais em busca de novas vagas entrarem em contato com a empresa;
c) Possibilidade de postagem de conteúdos: assim como o Facebook, permite a postagem de textos, fotos e vídeos.

Se você ainda não organizou o uso das duas redes sociais na sua rede de franquias, não perca tempo e aproveite as facilidades que elas proporcionam. O Facebook e o LinkedIn são complementares e abraçam duas das maiores necessidades de comunicação para uma rede de franquias. Não deixe de valorizar o contato com consumidores e com candidatos.
Gostou do conteúdo? Então leia mais no nosso blog, sempre atualizado com postagens sobre o universo do franchising. Até a próxima!