Por que fazer franchising também é empreender? As responsabilidades de franqueados gestores

Por mais que seja um formato de mercado bem-sucedido há anos, o franchising ainda não é um conceito claro para muitos. Alguns podem pensar que ser franqueado não é empreender – o que é uma ideia muito equivocada, visto que operadores têm tantas responsabilidades quanto donos de negócios próprios. Conheça algumas delas.

É o sonho de muitos ter um negócio próprio, de sucesso. Gerenciar uma empresa que nasceu de algo pequeno e que, com muito esforço e trabalho, tornou-se grande. Quando citamos a palavra empreendedorismo, o que pode vir à cabeça é isso – a grande responsabilidade de fazer a gestão de uma empresa, o que envolve diversos aspectos, como a sua administração financeira, o alinhamento de objetivos e metas e a atuação da marca no mercado em relação à concorrência. É entendível que, talvez, o franchising não seja a primeira ideia quando falamos em empreender, afinal, é um modelo que replica negócios já estabelecidos. Logo, o franqueado não tem a responsabilidade de gerir a empresa. Entretanto, ainda assim está gerindo um negócio.

Fazer franchising é empreender, tanto da parte da franqueadora, quanto do franqueado. Por quê? Porque o operador de uma unidade, ao ter direito de uso da marca, torna-se gerente de um pequeno pedaço da empresa e deve exercer esse papel, da mesma forma que um gerente de um negócio próprio. Além disso, a participação do franqueado durante todo o processo de instalação de sua loja é de suma importância para seu sucesso; então se engana quem pensa que o operador de unidade é apenas subordinado. O objetivo deste post é trazer algumas das responsabilidades que demonstram o porquê que o franchising deve sempre ser considerado como uma opção de empreendimento, muitas vezes muito mais válida do que um negócio próprio.

As responsabilidades começam desde o início: escolha de ponto comercial, participação em reuniões

A partir do momento que o investidor assina o contrato com a franqueadora, ele começa seu trabalho como franqueado. E isso não apenas por causa do processo de treinamento anterior ao início de sua atuação. Franqueador e franqueado iniciam um relacionamento que deve ser próximo, claro e objetivo desde o início – e isso se dá o pontapé inicial com um fator de peso. A escolha do ponto comercial da unidade de franquia na qual o franqueado trabalhará não é plenamente determinada pela rede. A rede estará se expandindo para certas regiões, claro, mas a escolha do local específico da loja é algo que depende de diversos fatores: custos de aluguel ou compra, conveniência para o público-alvo, conveniência para a marca em relação à concorrência. Você sabia que em grande parte das redes de franquias, o franqueado é quem apresenta as opções ao franqueador?

É claro, as opções escolhidas pelo franqueado devem estar de acordo com as necessidades de instalação da empresa. Algumas redes, para facilitar/filtrar/qualificar as opções, determinam um investimento mínimo que deverá ser feito pelo franqueado na locação. A partir disso, o franqueador avalia os pontos comerciais e pode indicar o mais adequado. A decisão final de investimento, todavia, normalmente é do investidor. Por isso é importante que o franqueado pesquise o máximo possível e tenha participação ativa nesse processo.

A participação do novo empreendedor em franquias é incentivada através das reuniões iniciais com o franqueador, que principalmente durante os primeiros meses, oferece mais disponibilidade. Esse é o momento para que o novo franqueado demonstre seu interesse pela empresa.

Exercendo o papel de gestor: administrando a unidade, entendendo a concorrência, reportando necessidades

Assim que a loja é instalada e inaugurada, a coisa começa a ficar mais séria para o franqueado. Durante a rotina de uma unidade de franquia, o gestor têm muitas responsabilidades, tão importantes quanto às de um gestor autônomo – e ainda deve respeitar o contrato de franquia, sempre primando pelo controle de qualidade da rede, arcando com as responsabilidades específicas do franchising. Entre elas, o contato com os fornecedores homologados pela rede, para manter o funcionamento da loja e garantir a melhor entrega possível do produto final aos clientes; o controle das finanças, que em uma prestação de contas mensal deve ser repassado para o franqueador; e é claro, a chefia com os funcionários da unidade. As finanças, aliás, são uma parte delicada. O operador deve desenvolver noções sobre fluxo de caixa e capital de giro, assim como qualquer outro empreendedor, para que seu negócio não encontre, eventualmente, o fracasso.

Um diferencial de um bom franqueado, é sua visão de mercado. O franqueado que busca entender sua concorrência pode trazer observações extremamente úteis para o franqueador, que por questões óbvias, talvez não tenha o mesmo contato com a concorrência local que o operador tem. Nesses momentos, o gestor pode encontrar soluções para que aumente a lucratividade de sua unidade, as quais muitas são de autorização da empresa – como a melhoria dos investimentos em publicidade, entre outras coisas.

Participação ativa em reuniões periódicas: alinhando os interesses com a rede

É de responsabilidade do franqueado, também, participar das reuniões periódicas com a franqueadora. Não apenas a participação, como a participação ativa do operador, são importantes – é nessa oportunidade que o franqueado reporta questões a serem resolvidas para otimizar os resultados da sua unidade. É fundamental a troca de feedbacks entre as partes. Até porque é assim que interesses são alinhados. A franqueadora, quer lucrar para que a rede cresça. O franqueado, obviamente, quer tirar lucros da sua unidade, para obter o melhor retorno possível para seu investimento. Nesses momentos, metas são determinadas, em prol de um objetivo em comum.

É por essas e outras que podemos afirmar com todas as letras: ser franqueado é ser empreendedor. E existem muitas vantagens nesse modelo de empreendimento. Para conhecer algumas delas, basta continuar navegando por nosso blog e aproveitar os conteúdos! Aproveite e faça boa leitura.