Redes de franquias são modelos de negócio bastante atraentes a empreendedores iniciantes. Mas, existe possibilidade de crescimento profissional no franchising? Planos de carreira em franquias mantêm franqueados na empresa, através da motivação e da oferta de oportunidades. Entenda como o céu pode ser o limite para investidores de redes

 

Alcançar estabilidade financeira, mais do que nunca, parece ser uma meta difícil de ser atingida. Os caminhos para o sucesso profissional se tornam mais complicados em um cenário de crise econômica, que desfavorece profissões e transforma o campo do empreendedorismo em um campo minado: qualquer passo em falso, qualquer decisão errada, pode ser a ruína para qualquer negócio que recém surge no mercado. Empreender com sucesso, hoje, com certeza exige mais do que experiência – exige também sorte.

Felizmente, ao passo que a economia sofre mudanças negativas em sua instabilidade, novas formas de empreendedorismo emergem junto ao avanço da tecnologia. O modelo de franchising proporciona, através de sua estrutura, uma oportunidade para aspirantes a empreendedores investirem em negócios já bem-estabelecidos no mercado, como franqueados. Assim, redes de franquias acabam sendo caminhos muito mais seguros para gerir negócios.

Mas, fica a dúvida: o franchising pode ser interessante para investidores mais ambiciosos? A resposta é: claro. Entretanto, muitos acreditam que ser franqueado, pagar as taxas de franquia e lucrar com o retorno restante é o limite para empreendedores em redes. Nisso, entra a importância de franqueadores enfatizarem planos de carreira em suas redes, como forma de atrair empreendedores, que encontrarão propósito e motivação em trabalharem para uma empresa que não é de sua propriedade.

Plano de carreira: o que é? Por que é importante em franquias?

Empresas são estruturas estabelecidas por um organograma hierárquico, que define funções e cargos específicos. Diretores, gerentes, funcionários: todos fazem parte de tal hierarquia. O mesmo acontece em redes de franquias; empresas que, através da segmentação de unidades, expandem-se. A instalação de novas unidades de uma rede só é possível com a contratação de franqueados – empreendedores responsáveis por gerir as lojas, tomando a responsabilidade de representar a imagem da marca em diferentes localidades. Franqueados, assim, fazem parte de uma hierarquia, que coloca acima os franqueadores.

Um plano de carreira em uma empresa leva em consideração seu organograma hierárquico e as possibilidades de crescimento de um funcionário dentro da companhia. Proporcionar um plano de carreira é delimitar o que é necessário para que o funcionário evolua em uma organização, considerando suas competências e o retorno do seu trabalho para a empresa. Essa é uma forma para que o rendimento do funcionário seja reconhecido e para que seu trabalho seja valorizado. O plano de carreira, por proporcionar a possibilidade de desenvolvimento em uma organização, motiva profissionais a alcançarem melhores resultados, em busca de sucesso pessoal. Em uma rede de franquias, têm o objetivo de extrair o melhor dos franqueados – que podem encontrar sucesso muito além do gerenciamento de unidades.

Planos de carreira determinam as etapas hierárquicas de uma empresa, o que é necessário para que o funcionário suba para o próximo degrau e até mesmo quanto tempo ficará em cada degrau. Isso cria uma expectativa positiva para funcionários que se dedicam e que buscam por eficiência, pois eles têm a certeza de que serão valorizados e de que terão sucesso dentro da organização. Em uma rede de franquias, isso não é diferente. É importantíssimo que franqueados sejam incentivados a continuarem trabalhando com a empresa, para que a mesma se expanda e não tenha prejuízos com o fechamento de unidades, em caso de desistência de franqueados que optam por abrirem seus próprios negócios, por exemplo. Mas, como pensar em plano de carreira para franquias? O que pode ser feito para que franqueados tenham, de fato, crescimento profissional e pessoal ao estarem trabalhando para redes de franquias?

O que fazer para motivar franqueados?

Entendemos que a principal importância de um plano de carreira em franquias é a manutenção de franqueados em redes. Entretanto, o programa não deve ser pensado unicamente para oferecer vantagens para a empresa. Quem deve ser posto em primeiro lugar, para que então ofereça retornos para a companhia, é o funcionário. Não podemos negar, todavia, que no franchising um plano de carreira talvez não seja tão bem definido. Afinal, a organização de uma rede de franquias não é convencional. Não é como se franqueados pudessem se tornar franqueadores.

O que deve ser incentivado e garantido, porém, é o desenvolvimento profissional dos operadores. Independentemente das oportunidades hierárquicas que surgirão – as quais sim, podem surgir – , o ambiente de uma rede de franquias deve proporcionar representatividade, importância e aprendizado para franqueados. Seu trabalho pode ser valorizado tanto através de comissões e valores em dinheiro, quanto em influência na tomada de decisões dentro da empresa, por exemplo. Até porque, afinal de contas, a relação entre franqueador e franqueado, por mais que seja hierárquica, deve ser fluida. Um deve ouvir o outro. Quem sabe, com o desenvolvimento de confiança mútua e com o reconhecimento da importância do trabalho do franqueado, não sejam conferidas outras posições ao operador dentro da empresa. Ou seja: o plano de carreira e a motivação aos franqueados, em uma rede de franquias, têm suas raízes na parceria próxima entre franqueador e franqueado, a qual é alimentada pelo suporte constante às unidades e pela realização de reuniões.

Gostou do conteúdo? Então aproveite e leia mais sobre o universo do franchising no blog da Central. Saiba também como aproximar o contato entre franqueadores e franqueados com a nossa plataforma para franquias. Até a próxima!