Todo empreendedor quer alcançar o sucesso. Alguns, são mais ambiciosos e buscam o crescimento contínuo. O franchising é um modelo de negócios que permite a expansão de uma empresa em grande escala. Mas, gerir uma rede exige preparação. O que o empreendedor que pretende tornar seu negócio uma franquia deve pensar e fazer para ter sucesso nessa empreitada?

Fazer um negócio dar certo é uma questão de sorte. É impossível negar isso, visto o quão difícil é emplacar uma empresa em um mercado cada vez mais competitivo. Mas, o sucesso não é apenas questão de sorte, por mais que ela normalmente esteja presente na caminhada de grandes empreendedores – alcançar sucesso é fazer as escolhas certas, baseadas em uma visão concreta de mercado, fundamentada por muito estudo, pesquisa e know-how. O bom gestor sabe o que está fazendo. Os mais ambiciosos gestores buscam conhecimento constantemente – tanto sobre como melhorar seu próprio negócio à medida que novas tecnologias e tendências do mercado surgem, quanto a respeito de seus consumidores e concorrência.

Muitos empreendedores que buscam dar um passo significativo para o crescimento da sua empresa, levando em conta as características do negócio e do mercado na qual está inserido, optam pelo modelo de franchising. Afinal, o mercado de redes de franquias é muito abrangente e torna possível a expansão da empresa através das unidades de franquia. Franquear é abraçar a possibilidade de adentrar mercados que jamais seriam alcançados se não fosse pelo formato de rede. Porém, franquear é uma escolha importante e que mudará a gestão da empresa para sempre. Escolher fazer do seu negócio uma rede de franquias é, certamente, arriscar, pois a imagem do negócio estará na mão de futuros franqueados, que também serão gestores da empresa. Aí entram muitas questões: será que o negócio é adaptável para funcionar em unidades? Como atrair e escolher os franqueados certos para a rede vingar? Como serão gerenciados os custos de implantação e gestão das lojas? Quais as vantagens para a empresa e para o franqueador com a instalação de unidades?

Antes de decidir abrir uma franqueadora, o proprietário do negócio deve desenvolver conhecimento e know-how. Tendo visão de mercado e sorte, claro, é muito mais garantido o sucesso da transição da empresa e rede. Preparamos esse post para que o empreendedor interessado em tomar esse passo tenha consciência de tudo o que deve analisar antes de investir dinheiro e tempo no processo. Vamos lá?

Franquear ou não franquear? Começando pela análise de franqueabilidade

O dilema em questão pode ser resolvido com pesquisas e availações da empresa, formatadas na chamada análise de franqueabilidade. A análise de franqueabilidade é forma que o empreendedor tem de se certificar de que seu negócio tem o potencial para se formatar como rede de franquias. É posta em prova a capacidade que a empresa tem em replicar-se como unidades de franquia, através de um modelo de padronização do negócio.

É claro, a análise também avalia as condições financeiras, estruturais e os diferenciais que conquistariam o espaço da marca no mercado. São observados a organização interna da empresa, seus fundos de investimento, seu posicionamento de marca no mercado, a relação do público-alvo com os produtos oferecidos e os formatos de produção. Através da revisão de todos esses aspectos, também é percebido o que não tornaria possível o sucesso da eventual rede. A análise de franqueabilidade é o primeiro passo para, não apenas o empreendedor ter a certeza sobre franquear ou não franquear, mas para também otimizar e melhorar a gestão da empresa. Veja mais sobre: franquear ou não franquear e análise de franqueabilidade.

Formatando a empresa em uma rede com o auxílio de consultorias

Tomar a decisão de franquear é algo difícil, mas mais difícil do que isso é saber o que fazer para iniciar o processo de transformação para rede de franquias. É normal que muitos gestores não tenham todo o conhecimento necessário para deixar tudo nos conformes e é por isso que existem consultorias especializadas em franchising, que contam com profissionais especializados na área. Consultorias podem auxiliar o empreendedor desde a análise de franqueabilidade à adaptação da marca para ser vendida a futuros franqueados.

Consultorias de franquias auxiliam o franqueador a trazer a tona todos os aspectos judiciais para a legalização da empresa como companhia de franchising, envolvendo a formatação da COF (Circular de Oferta de Franquia) e o Contrato de Franquia, que será assinado pelos franqueados. É importante também lembrar de fazer o necessário para registrar a marca no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). Veja mais sobre: como escolher uma consultoria de formatação de franquias.

Inaugurando novas lojas através de um plano de expansão

A consultoria pode manter a parceria com o franqueador em um processo importante, que diz respeito a onde serão direcionadas as unidades de franquia da rede. Nesse momento, a visão do franqueador deve ser elaborada em um plano de expansão, que visa a organização estratégica da inauguração das novas lojas. Um plano de expansão deve ser estruturado através de uma pesquisa de mercado e da análise do público-alvo da empresa – e a partir disso, abordar a forma como potenciais franqueados serão selecionados. Elaborar um bom plano de expansão não é apenas garantir um foco para que o crescimento da empresa seja bem-sucedido, mas também, é primar pelo padrão de qualidade da oferta de produtos e serviços da rede. De nada adianta expandir a rede de forma desenfreada se não há estrutura para isso. Veja mais sobre: inauguração de lojas – como ter sucesso na adaptação de formatos.

Quais as responsabilidades do franqueador na implantação de uma unidade de franquia?

Possibilitar a expansão da empresa através da instalação de unidades de franquia é algo que exige investimento por parte do franqueador, mas também, do franqueado. A preocupação da rede franqueadora é proporcionar as melhores condições para a replicação do negócio da melhor forma. Para isso, caberá ao franqueador organizar programas de treinamento e investir em canais de comunicação com os franqueadores e em ferramentas de suporte para que estejam a disposição dos operadores da unidade. Os custos do treinamento estão incluídos na taxa de franquia, que será paga pelo franqueado após a assinatura do contrato de franquia. Custos de aluguel ou compra de ponto comercial e instalação da loja são investimentos provenientes por parte do franqueado. Veja mais sobre: principais responsabilidades de gestores de redes.

Avaliando unidade de franquias e garantindo retorno financeiro

No momento que a empresa está regularizada como rede de franquias e as primeiras unidades já estão em funcionamento, é importante que o franqueador, com o auxílio de auditorias e consultores de campo, faça avaliações constantes das lojas, para ter certeza de que o padrão de qualidade da marca está sendo mantido. Além disso, é fundamental que seja feita constantemente a prestação de contas dos royalties pagos pelo franqueado, pois é esse o maior retorno financeiro que as unidades de franquia passam a rede franqueadora. Veja mais sobre: auditorias em PDVs e royalties – como são cobrados em uma franquia.

Por mais que o passo inicial para formatação e organização de um negócio em rede de franquia seja parte do empreededor franqueador, sempre é importante ressaltar que o sucesso de uma rede depende, também, do bom trabalho do franqueado e da boa relação entre as duas partes. Sem trabalho em equipe, não há controle de qualidade e não é mantida a unidade da empresa.

Está praticamente decidido em fazer de seu negócio uma rede de franquias? Ficamos felizes por você e desejamos muito sucesso nessa caminhada! Imaginamos que você queira garantir um bom canal de comunicação entre a rede franqueadora e as unidades de franquia, certo? Então dê uma olhada na nossa plataforma online. São diversos módulos, que tornam mais prática a gestão das lojas e contribuem para o controle de qualidade da rede. Entre em contato conosco e fique ligado em mais conteúdos do nosso blog!