Para franquear uma empresa, é necessária uma análise importante de prós e contras. Saiba como o SWOT pode definir seu plano de negócios

A decisão de fazer de uma empresa uma rede de franquias é um grande momento na vida profissional de um empreendedor. Isso significa rendimento, crescimento e sucesso de uma companhia que começou pequena e então passa a adentrar novos mercados e atingir novos públicos. Franquear é amadurecer a gestão e a produção de uma marca em um mercado cada vez mais competitivo. Por tudo isso, não é à toa que aderir ao franchising é o objetivo de muitos empreendedores, que atuam nos mais variados segmentos.

Entretanto, o sucesso de uma empresa não é o único fator determinante para que torná-la uma rede de franquias seja uma decisão cem por cento certeira e segura. Isto é um processo, que envolve pesquisa de mercado – principalmente em relação à concorrência – e algumas mudanças internas. Nisso, existem algumas formas de análise. Um método bastante utilizado na gestão de marcas, independentemente se são franquias ou não, é a matriz SWOT. Strengths, weeknesses, opportunities e threats: do português forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. A SWOT é uma maneira de posicionar a marca do mercado através da análise de vantagens, desvantagens e brechas. Sendo o franchising uma forma de mercado e, exigindo ele o reposicionamento de uma empresa, a matriz SWOT pode (e deve) ser utilizada no processo de análise da marca, para que haja a transição para rede de franquias. E, além disso, devem ser pensados os prós e contras deste próprio modelo de negócio. Caberá ao empreendedor perceber se a empresa é adaptável aos moldes de uma franquia, tanto de forma organizacional, quanto financeira.

Forças: oferecendo novidades, replicando atividades e optando por um modelo de negócios seguro

O franchising oferece vantagens inquestionáveis. É uma forma segura de se pensar em empreendedorismo de expansão – afinal, ele funciona em determinados padrões, os quais envolvem o franqueador e os franqueados. O conceito de conferir o direito de uso da marca a franqueados, os quais são submetidos a treinamentos apropriados, é algo que definitivamente funciona. Isso possibilita o crescimento da empresa para distâncias antes inalcançáveis, através de um padrão de produção e entrega de serviços, que deve ser respeitado. Resumidamente: a vantagem da expansão pelo franchising é a possibilidade de replicação da empresa em outros lugares de forma segura e padronizada, o que mantém o valor e a imagem da marca.

Esta força é intensificada quando a empresa, em sua gestão, produtos e serviços, oferece inovações ao mercado. Por quê? Porque isso pode chamar mais a atenção de empreendedores interessados em se tornar franqueados. Através disso, a representatividade se torna o caminho para fazer a rede vingar no mercado e adentrar novos territórios com o passar do tempo. É essencial levar em conta o diferencial da marca ao levá-la ao franchising, pois isso é sua maior força.

Fraquezas: políticas de comunicação e padronização, investimentos iniciais

Uma dificuldade dentro do mercado de franquias que deve ser minuciosamente analisada dentro de uma empresa que está se adaptando ao formato é em relação a comunicação interna. A empresa que está expandida no formato de rede deverá ter um fluxo de comunicação entre todas as unidades instaladas, por mais distantes que elas estejam uma das outras – visando a padronização e o controle de qualidade da marca. Muitas companhias pecam nesse aspecto e acabam tendo problemas: não oferecem o suporte devido aos franqueados, perdem a qualidade em determinadas unidades, enfim. Esse é um quebra-cabeça que deve ser resolvido no franchising e cada rede funciona de uma forma. Portanto, é indispensável que a empresa esteja preparada para passar por esse obstáculo.

Outra questão importante, que muitas vezes acaba sendo uma desvantagem do franchising, diz respeito aos investimentos iniciais requeridos para que uma empresa instale novas unidades e de fato se torne uma rede. O valor varia muito dependendo do segmento e da proposta da empresa: uma banca de sorvete demanda menos do que uma loja de roupas, por exemplo. Das dezenas às centenas de milhares de reais, de qualquer forma, deve haver uma preparação e um fundo monetário considerável para que o empreendedor não dê um passo em falso e falte com capital para manter os recursos da recém-rede.

Oportunidades: explorar novos mercados, evoluir empreendedorismo

As oportunidades oferecidas pelo franchising dependem totalmente da proposta e do posicionamento que a marca terá em meio à concorrência. A pesquisa da concorrência, portanto, é a maneira de encontrar tais brechas: de determinar as melhores localidades para a instalação de unidades, os melhores modelos de loja para a empresa e tudo isso. O retorno de uma loja física de bairro é diferente de um quiosque em um shopping, mas ambos podem oferecer oportunidades específicas de contato com os consumidores. Cabe a franqueadora compreender quais caminhos são mais apropriados ao que a empresa oferece para o público.

Além disso, transformar uma empresa em uma rede de franquias é evoluir a forma de fazer empreendedorismo. Essa é uma oportunidade única de crescimento para todo e qualquer empreendedor. Gerir franquias é uma responsabilidade grande, que exige uma visão ampla de mercado. O empreendedor passa a ter conhecimentos mais ricos sobre finanças, comunicação, estratégias de marketing e também do comportamento de consumidores.

Ameaças: aumento constante de concorrência, estabilidade da imagem da marca

Todavia, quem empreende no universo do franchising deve estar atento o tempo todo. O mercado já é cruel por si só, mas o mercado de franquias é ainda mais competitivo, pois possibilita a inserção de marcas não-locais no mesmo meio de atuação de uma empresa local. Ganha quem é o melhor. A empresa que oferece produtos e serviços diferenciados e que realmente atende às necessidades do consumidor está à frente nos rendimentos e no lucro. Como ninguém quer ficar para trás, é fundamental que a gestão de uma rede de franquias esteja sempre a par do que está acontecendo do mercado, conhecendo as novidades e adaptando a empresa ao perfil do público.

Nisso, também deve ser considerada a imagem da marca, que se torna mais vulnerável com a possibilidade dos meios de comunicação dos dias de hoje. Problemas de qualidade são expostos na Internet o tempo todo e o público considera a voz das pessoas. Em um piscar de olhos, uma empresa pode perder clientes para a concorrência, devido a sua imagem. Portanto é obrigatória a existência de um time de comunicação preocupado com isso dentro da rede.

Fique de olho no nosso blog para mais conteúdos a respeito de assuntos relacionados a SWOT e franquias e esteja ligado nas tendências do franchising com a Central do Franqueado!