O marketing digital permite a transmissão automática de conteúdo relevante para clientes – e isso pode ser uma mão na roda para franquias. Saiba mais

Eficiência em velocidade e automação é a necessidade do momento no mundo dos negócios. De nada adianta criar campanhas mirabolantes e pecar no timing. A transmissão de informação está cada vez mais rápida, ainda mais com a constante evolução dos meios de comunicação via Internet – e no universo do franchising, essa é uma realidade: as redes que pecam no fluxo dos seus setores de comunicação acabam atrás daquelas que estão o tempo inteiro dispostas aos consumidores e próximas deles. Por isso, ao elaborar estratégias de marketing digital, é essencial pensar na rapidez e na praticidade desse fluxo.

A automação do marketing é uma prática que casa perfeitamente com redes de franquias, que possuem um público-alvo mais vasto do que empresas convencionais, visto que atuam em diversas localidades. O time de marketing da rede, ao elaborar estratégias para que seja feita a automação, encontra meios para que as ações de marketing da marca sejam efetuadas automaticamente. Assim, é proporcionada uma maior eficiência na velocidade da entrega de mensagens. Isso faz toda a diferença no lead nurturing da franquia, pois da mesma forma que os clientes, ou consumidores em potencial, acompanharão mais de perto as ações da empresa, a empresa também estará mais próxima dos públicos.

A seguir, apresentaremos sete dicas para otimizar o processo de automação do marketing da sua empresa! É importante qualificá-lo constantemente, para que a comunicação entre a marca e os consumidores aconteça sempre da forma mais dinâmica possível. Vamos lá?

1) Mantenha a linguagem pessoal

O primeiro desafio ao pensar em automação é determinar como as mensagens e conteúdos enviados em massa para os públicos serão transmitidos naturalmente, ao mesmo tempo que a empresa esteja tratando seus consumidores de maneira convidativa e individual. Portanto, é um papel do time de marketing, definir como a linguagem dos e-mails ou outros canais será utilizada para cada público-alvo. Independentemente do perfil, uma coisa é certa: a linguagem deve ser pessoal. E-mails escritos em segunda pessoa do singular soam como uma conversa da empresa para o cliente, por exemplo. Quer algo mais convidativo do que isso? Então, anote: as mensagens automatizadas devem ter um caráter de exclusividade, e para isso, a linguagem deve ser a mais próxima das pessoas possível.

2) Monitore os leads

Mandar e-mails com uma linguagem pessoal é só uma das formas de fazer marketing digital automatizado, mas com certeza é uma maneira bastante eficiente de observar os leads. Os leads são as pessoas interessadas na empresa – leia-se, consumidores em potencial –, cujo primeiro contato com a empresa pode ter sido proveniente tanto de campanhas interativas em redes sociais, quanto em listas de e-mail de landing pages. O importante, entretanto, é estar sempre de olho nesses leads. Eles possuem perfis diferentes, portanto, diferentes tipos de conteúdos são interessantes para diferentes tipos de leads. De nada adianta fazer automação em marketing sem ter conhecimento do comportamento e dos gostos desses leads. E, para isso, é fundamental que o time de marketing esteja atento a como essas pessoas reagem com as campanhas e conteúdos transmitidos pela franquia. Monitorar os clicks em links de e-mails, por exemplo, é uma forma de entender os leads. Isso pode ser feito com algumas plataformas online.

3) Separe os leads em grupos

Monitorando a atividade dos leads, é possível conhecê-los melhor. É a partir disso que o time de marketing poderá criar mensagens que realmente estarão de acordo com a linguagem e interesses de determinados perfis. Separar leads em grupos semelhantes é o caminho para a automação dessas mensagens. Isso torna mais prática a produção de conteúdos que sejam de fato eficientes no que diz respeito ao fluxo de comunicação entre a marca e o lead/consumidor. Por exemplo: um e-mail direcionado a leads da faixa etária de 25 a 35 anos pode ser elaborado diferentemente de um e-mail voltado para o público de 45 a 55. Criando esses grupos, o time de marketing está livre para produzir.

4) Crie conteúdos relevantes que sejam práticos

Segmentando grupos de interessados e clientes, é possível produzir conteúdos significativos para determinados públicos, os quais serão enviados em grande escala – para muitas pessoas –, o que faz parte do processo de automação do marketing digital. E isso cabe não só para e-mails, como também para anúncios impulsionados nas redes sociais. Independentemente, um fator comum entre todo tipo de conteúdo que constitui estratégias de automação, é a praticidade: informações sucintas, chamativas, que sejam de fácil entendimento para as grandes massas. Nesse caso, menos é sempre mais.

5) Aposte nas redes sociais

As redes sociais funcionam muito nessa lógica do menos é mais. O Facebook, por exemplo, só permite impulsionar posts e anúncios que tenham menos de 30% de texto na imagem da postagem. A ideia é trazer leveza para os conteúdos em meio ao turbilhão de informações da Internet. Entretanto, as redes sociais são sempre vantajosas para a automação de posts e ads – os quais podem ser direcionados para públicos pré-escolhidos. O Facebook e o Instagram, por exemplo, separam anúncios possivelmente relevantes a determinados usuários. A ação do time de marketing da franquia nisso é, definir quais anúncios serão enviados para quais perfis de usuários. Por isso, é importante também o monitoramento das redes sociais.

6) Incentive o engajamento com campanhas

Ainda falando das redes sociais (mas não só delas), saiba que os próprios públicos podem auxiliar de certa forma em um processo de automação de marketing, através do engajamento. Engajar consumidores é tanto incentivá-los a compartilhar postagens da empresa em seus perfis pessoais, quanto entretê-los em aplicativos e hotsites. Campanhas de promoções são muito úteis para gerar engajamento, pois oferecem algo aos usuários em troca de suas ações. E o engajamento é, afinal, uma divulgação espontânea.

7) Tenha um time de atendimento pronto para atuar

Às vezes, falando de marketing digital, esquecemos da importância dos cérebros por trás das ações realizadas. Mais do que um time responsável pelas estratégias de automação, é necessário um grupo de profissionais que estejam dispostos a qualquer momento para atenderem clientes e leads que possuam dúvidas, reclamações e sugestões à empresa – ainda mais se tratando de redes de franquias, que atuam com inúmeras unidades por grandes territórios. É essencial que esse grupo de atendimento esteja online o máximo de tempo possível, pois as coisas acabam se resolvendo pela conversa. Portanto, não pense que a automação funciona por si só.

E aí, entende agora um pouco mais sobre a automação? Não hesite em contatar o time de marketing da sua rede de franquias para rever como o marketing digital está sendo encarado pela empresa. Espero que nossas dicas tenham sido úteis! A propósito, falando de automação, a Central oferece uma plataforma de automação dos processos dentro do funcionamento das unidades da sua rede. Quer saber mais? Entre em contato conosco!