5 estratégias certeiras de marketing digital para o seu negócio

Franquias que apostam em ferramentas como o Google Adwords garantem maior visibilidade para a empresa

Hoje, é impossível montar um plano de comunicação para uma empresa sem pensar em marketing digital. Estão na frente aqueles negócios que aproveitam as ferramentas online para criar canais integrados e bem direcionados de divulgação de seus produtos e serviços. Isso porque é indiscutível que o Google e as redes sociais são as primeiras e mais rápidas referências de busca de informações. Estabelecimentos que possuem presença ativa na Internet são encontrados na palma da mão de usuários de smartphones.

No caso das redes de franquias, as estratégias de marketing digital são ainda mais úteis – são eficientes na padronização da comunicação da empresa, ao mesmo tempo que podem ser dirigidas a determinadas localidades. O investimento em ferramentas online pode variar de acordo com a necessidade da marca: as campanhas podem ter o objetivo de alcançar, com mais intensidade, públicos de territórios específicos. Nisso, entra o uso de posts e anúncios impulsionados do Facebook, por exemplo.

Neste post, a Central separou cinco estratégias de marketing digital que estão sendo bastante aderidas por empresas ao redor de todo o mundo. Elas, se bem elaboradas, com certeza funcionam – nós mesmos utilizamos algumas delas, aliás. Entenda as recomendações e comece a repensar a forma como se faz marketing no seu negócio!

1. Google Adwords: publicidade visível no maior site de buscas do mundo

O mecanismo de busca mais utilizado no mundo tem valor expressivo na forma de fazer publicidade nos tempos modernos. O Google, na verdade, pode ser considerado como o maestro do marketing digital – seus algoritmos determinam o rankeamento da busca de produtos e serviços na Internet. Ou seja: é o Google quem considera a real relevância do seu negócio para os usuários. Equipes espertas de comunicação estão atentas a isso. A escolha de determinadas palavras-chave na produção de conteúdos é uma forma de direcionar efetivamente informações a usuários que têm potencial interesse nos serviços da empresa, mas é o Adwords que faz do Google uma plataforma diferenciada para fazer marketing.

O Google Adwords é, basicamente, um sistema de anúncios que funciona através de pagamento por parte do anunciante. Anúncios da empresa ganham espaço no resultado da busca dos usuários, de acordo com as palavras-chave escolhidas que remetam à informação procurada. Por exemplo, uma revendedora de carros que faz um anúncio baseado nas palavras-chave “revenda de carros” terá links nos resultados de pesquisa do usuário que digitou as palavras em questão na barra de busca – acima dos resultados orgânicos.

É claro que elaborar qualquer anúncio e pagar uma determinada quantia para uso da plataforma não é o suficiente. O grande objetivo dos links é gerar engajamento, não necessariamente venda – pois o que interessa é captar leads. Nisso, o uso do Google Adwords não tem erro. Além disso, pensando em franquias, a ferramenta é bastante eficiente em relação ao direcionamento de anúncios para públicos específicos. Entretanto, cuidado: é importante que as localidades sejam escolhidas com foco, para que o anúncio não se perca em meio a concorrentes melhor direcionados.

2. Facebook Ads e posts impulsionados: proporcionando conteúdos potencialmente interessantes

As redes sociais têm um papel essencial no plano de marketing de qualquer empresa. Isso porque elas são os melhores meios de engajamento e criação de vínculos com clientes e consumidores em potencial. O Facebook, então, é indiscutivelmente um canal ímpar no que diz respeito à comunicação entre marca e público, pois é ágil e prático. A interação a partir de posts e eventos é ainda maior quando os clientes são usuários assíduos do site – e no caso do Brasil, país mais presente do mundo na rede social, isso é um paradigma.

Engajamento no Facebook pode ser conquistado através do uso do Facebook Ads e dos posts impulsionados. O primeiro, nada mais é do que a compra de espaços de anúncios para divulgação na home dos usuários. O segundo, é útil para a maior visibilidade de postagens feitas na página das empresas. Hoje, posts orgânicos se perdem em meio a quantidade de informação produzida diariamente na rede social. A impulsão serve para que os conteúdos tenham destaque para usuários que possam ter interesse no que está sendo oferecido. Isso é organizado através dos algoritmos do site, que consideram as curtidas e a atividade de cada usuário no momento de separar conteúdo relevante para os mesmos.

Mais uma vez, o diferencial dessa ferramenta é a possibilidade de direcionamento dos anúncios e dos posts, os quais são visíveis para usuários que nem mesmo curtiram a página do anunciante. O tempo e o alcance de exposição são determinados a partir do valor pago. Todavia, assim como no Adwords, é a criatividade que faz a diferença para que os conteúdos sejam realmente chamativos.

3. E-mail marketing: o uso sábio das mensagens eletrônicas

Esqueça a ideia de que mandar e-mails é uma coisa irritante. Claro, oversending e encher a caixa de entrada das pessoas definitivamente não é agradável. Entretanto, não é disso que o e-mail marketing se trata. A estratégia existe a fim de aproximar o relacionamento da empresa com os clientes, não apenas através da divulgação de produtos e campanhas, mas também do lançamento de promoções e vantagens para os clientes de uma lista de e-mail. Aliás, tal lista só contém e-mails que foram entregues com o consenso do consumidor, os quais podem optar pelo fim do recebimento de mensagens a qualquer momento.

Fazer e-mail marketing é algo delicado, que exige não apenas criatividade, mas também organização: fixar um público-alvo, elaborar mensagens simples, diretas e visualmente agradáveis e levar o usuário a outros locais, através de botões de call-to-action. A estratégia também prioriza o lead nurturing e a aproximação e fidelização de clientes – não a venda propriamente dita. Importante: é fundamental que as mensagens sejam otimizadas para smartphones, afinal, eles são o principal meio de acesso de e-mails.

 

4. Instagram: rastreando digital influencers e criando desejos

O Instagram é a maior vitrine existente. E não estamos nem falando no sentido figurado – claro, o objetivo inicial da rede era de que os usuários compartilhassem suas viagens e momentos de felicidade. Mas, pensando em publicidade e marketing digital, o Instagram é realmente uma vitrine espontânea. As mais diversas marcas utilizam a rede não apenas para divulgar anúncios no Stories ou em posts impulsionados, mas também, a partir dos chamados digital influencers.

Digital influencers são, na mais pura tradução, influenciadores digitais. São usuários que possuem uma quantidade considerável de seguidores, os quais acompanham sua rotina através do app, interagindo com tais influenciadores por curtidas, comentários e mensagens. Mais do que qualquer outra coisa, o sentimento comum entre todos os seguidores dos digital influencers é o interesse pelas atividades que eles e elas praticam, pelos produtos que usam, pelas roupas que vestem.

O envio de lançamentos de mercado para digital influencers virou uma prática comum de marcas que, de forma esperta, conseguem publicidade espontânea nos Stories e posts das personalidades. Uma nova coleção de roupas fitness fica ainda mais bacana se a musa fit Gabriela Pugliesi faz uso delas, por exemplo. Nisso se encontra a utilidade do Instagram: despertar desejos nos consumidores, através do sentimento de querer se identificar com as personalidades que admiram.

A presença de digital influencers não se limita apenas ao Insta: eles estão pelo YouTube e em diversos blogs espalhados pela web. Mas, o Instagram é a forma mais barata e visualmente agradável de causar buzz dessa forma.    

5. Apps: a marca no cotidiano de consumidores nas mais variadas possibilidades

Por último, mas não menos importante, algo que demanda maiores investimentos e que não funciona para qualquer tipo de negócio. O desenvolvimento de apps pode ser uma peça chave para empresas de venda de produtos, através de e-commerce, ou até mesmo de venda de serviços – como canal de agendamento e contato. Aplicativos podem oferecer um mundo de possibilidades que dependem unicamente do uso de smartphone e da conexão de Internet para serem realizadas, como por exemplo, com o delivery de comida pelo iFood. Cupons de desconto podem ser oferecidos exclusivamente para usuários do app, o que incentiva seu download e define a presença da marca no cotidiano dos usuários.

Manter o aplicativo funcionando perfeitamente é importantíssimo para a imagem de qualquer negócio, portanto, não desenvolva um app para posteriormente jogá-lo às traças. Oferecer um serviço desse porte é ter consciência de que o investimento irá além de seu desenvolvimento, pois também abrangerá profissionais responsáveis por atualizá-lo constantemente.

Gostou das dicas? Elas são apenas algumas das ações que podem ser feitas em um universo tão vasto como o da Internet. Estar antenado e desenvolver visão de mercado, estando sempre atento aos consumidores, é o que determina o que pode ou não pode funcionar para o seu negócio.  O importante é renovar a comunicação a todo o momento e testar novidades. Nenhuma empresa cresce sem acompanhar as tendências da comunicação e da tecnologia.