Pretende integrar o mercado do franchising, mas não sabe se é o momento certo? Prepare o terreno para tomar essa grande decisão

Todo empreendedor deseja ser bem-sucedido, disso não há dúvidas. Muitos, imaginam qual seria o melhor meio para que sua empresa encontre seu próprio espaço no mercado – e consideram o franchising como o caminho para essa conquista. Afinal de contas, redes de franquias têm diversos atrativos comerciais, tanto para o empreendedor, quando para funcionários e até mesmo para os consumidores. É inegável que uma rede de sucesso possui uma forte influência na maneira como consumimos, pois ela significa, acima de tudo, um bom padrão de qualidade.

Entretanto, criar um projeto de franquia não é algo para qualquer negócio. Existem algumas qualidades que o empreendedor deve possuir a fim de se tornar um franqueador – como habilidade administrativa, flexibilidade, entre outras. Mas, a grande questão é se o perfil da empresa em si está de acordo com o modelo de franchising. E tal perfil envolve aspectos financeiros, judiciais, estruturais e de gestão. É importante e essencial que, ao cogitar embarcar em um mercado competitivo como o das redes de franquias, o empreendedor saiba que está preparado. Afinal, para que ele obtenha sucesso como franqueador, sua empresa deve ser atraente e segura para futuros franqueados. Também, a atratividade não é a única coisa que importa: o modelo da empresa deve ser ajustado e testado antes de ser replicado. Nisso, a formatação de franquias faz toda a diferença.

Finanças: organizando o capital do negócio

Que atire a primeira pedra o empreendedor que não gostaria de montar uma franquia barata e com pouco dinheiro. Más notícias: por mais que existam as opções de nanofranquia e microfranquia, é fundamental que exista um caixa separado que tenha sido juntada uma quantia considerável de dinheiro para realizar os primeiros investimentos – digamos que, no mínimo, uns R$50 mil. Isso tudo para cobrir a seleção de candidatos, a produção de materiais para treinamento de franqueados e tudo isso. Vale lembrar que o negócio deve ser financeiramente viável para as duas partes: o franqueador e o franqueado, que investirá dinheiro de entrada. Para isso, para que o empreendedor tenha segurança, é imprescindível que ele faça um estudo de mercado e, claro, guarde dinheiro e não esteja apertado.

 

 

Padronização: definindo procedimentos antes mesmo de franquear

Um dos principais fatores de sucesso de uma rede de franquias é a padronização: de produtos, serviços e de qualidade. Tal padronização deve estar no cerne da empresa – mesmo antes de ela se tornar, efetivamente, uma rede. O empreendedor deve ter bem definidos todos os procedimentos de produção, atendimento e de todo o serviço do negócio, a fim de registrar os processos e organizá-los em um posterior manual de franquia, o qual será estudado pelos futuros franqueados. Quando mais detalhado e padronizado o manual for, melhor. Se tudo isso já está organizado, este passo já está feito. Caso contrário, é melhor rever aspectos administrativos e organizacionais antes de seguir em frente.

Estrutura interna: os processos estão fluindo dentro da empresa?

Talvez este esteja sendo o empecilho para que seja obtida uma padronização efetiva dos processos da empresa. A estrutura interna, envolvendo a gestão e a produção, deve ser fluida. A comunicação entre funcionários, gerentes e direção deve ser clara e objetiva, e isso pode ser alcançado através da tecnologia e de estratégias de endomarketing. Plataformas online podem ser bastante úteis no que se diz respeito ao relacionamento, ao controle e ao suporte da empresa. Um bom canal de comunicação faz toda a diferença e é um must para uma rede.

Aspectos judiciais: regulando a empresa como rede

Resolvidas as questões internas envolvendo finanças, padronização e comunicação? Bom, então é hora de partir para o externo. E o primeiro passo é legalizar a empresa como rede de franquias, a partir de uma série de documentos jurídicos, como a COF (Circular de Oferta de Franquia) e o Contrato de Franquia, que será assinado pelos franqueados. Esses documentos são feitos especialmente para o negócio, por um profissional especializado – e definem taxas, direitos e deveres das partes, funcionamento dos processos, enfim. É essa a parte que deve ser estudada para que o empreendedor realmente coloque o primeiro pé no mundo do franchising.

Buscando candidatos: fazendo a seleção e transmitindo know-how

Encontrar as pessoas certas para integrarem o negócio nunca é uma tarefa fácil, ainda mais se você procura por franqueados – pessoas as quais farão uso da imagem da marca. Por isso, antes de sair contratando qualquer pessoa interessada, é preciso criar um bom processo de seleção de candidatos. Nesse processo, faz toda diferença a participação de uma equipe especializada para avaliar os perfis, então apostar em consultorias é interessante. Além disso, é indispensável a criação de ferramentas para que o know-how da empresa seja transmitido a esses candidatos. Isso consiste no Manual da Franquia e é claro, em programas de treinamento. Assim, você terá profissionais inteirados e capacitados a sua disposição.

Suporte: a importância de acompanhar franqueados

O sucesso de uma rede de franquias depende do sucesso dos franqueados. Entretanto, eles não sabem tudo sobre a marca e muitas vezes precisarão de auxílio para lidar com problemas cotidianos. É por isso que o acompanhamento dos franqueados vai além da assinatura do contrato. Oferecer suporte de qualidade para os operadores é a maneira de efetivar a padronização da empresa e, também, de oferecer a mesma qualidade em todos os pontos de venda. Por isso, a empresa deve elaborar e dispor de uma equipe e ferramentas especialmente voltadas para o trabalho dos franqueados.

Instalação de novas unidades: mantendo o seu funcionamento

Da mesma forma, a instalação de novas unidades não é apenas um processo pontual. Primeiro: ela acontece a partir do investimento, também, do novo franqueado. É então estruturada a loja, a qual demandará alguns custos de manutenção e reformas, por exemplo. Mas, além disso, a empresa deve estar disposta a abastecer constantemente a nova unidade, a fim de manter a qualidade e disponibilidade dos produtos – e isso não depende unicamente do dinheiro direcionado, mas também, de uma entrega e de fornecedores qualificados. É importante ter pessoas de confiança, que respeitam prazos, para realizar essa tarefa. Por isso, selecione bons fornecedores. São eles que alimentarão a produção das suas franquias.

Pensando no futuro: a expansão e os investimentos

Por último, o futuro. Quais os seus objetivos em fazer de sua empresa uma rede de franquias? Provavelmente, a expansão é um deles. Pois então: para expandir, é necessário muito estudo e preparação. Nada acontece de uma hora para a outra e quando falamos de negócios, expansões muito significativas normalmente acontecem a longo prazo. Então, comece desde já a elaborar um plano de expansão, considerando o tempo, determinando metas e traçando estratégias. Confie em consultorias para que sua visão de mercado se amplie e fique atento às novidades. O mercado é instável, mas você pode ficar ligado nele o tempo inteiro.

Entende que depende de você, como empreendedor, preparar o terreno para que sua empresa tenha perfil para se tornar uma rede? Não perca tempo. Estude e comece a aplicar tudo o que foi dito nesse texto, fortalecendo seu time e sua marca. A Central do Franqueado também tem o prazer de auxiliar você nessa jornada. Quer nos conhecer mais? Então entre em contato