Tanto a quantia, quanto o prazo, são indicadores de como o empreendedor irá lucrar (ROI) a partir do investimento feito. Saiba mais

Uma habilidade fundamental que todo empreendedor deve possuir é a de saber calcular quanto o dinheiro investido no negócio irá render, além de determinar uma previsão do tempo necessário para o retorno do capital. Isso é essencial para que o empreendedor tenha mais noção de como investir e, então, garantir mais segurança e tempo de vida para o negócio. É por isso que todo investimento deve, sem exceções, ter um planejamento – afinal, muitas vezes empresas não dão certo simplesmente pela falta de visão e da previsão do retorno financeiro. Não planejar é como estar em um campo minado e não saber onde pisar.

Em uma franquia, a lógica é a mesma. Profissionais que estão interessados em se tornarem franqueados devem estar atentos ao cálculo da previsão do retorno do investimento, para que sua operação na rede seja vantajosa para ambos os lados. Mas, como pensar nesse cálculo? Existem alguns critérios, os quais estaremos descrevendo a seguir.

As variáveis do cálculo: taxa de franquia, capital de giro, ponto comercial, royalties

Organizar as variáveis do cálculo de retorno é o primeiro passo para que os cálculos financeiros sejam os mais precisos possíveis, a fim de evitar gastos excessivos e futuras perdas. Por isso, o empreendedor deve levar em consideração algumas taxas e investimentos obrigatórios, a fim de serem incluídos no capital que será utilizado, como a taxa de franquia, o capital de giro, o ponto comercial e os royalties.

A taxa de franquia deve integrar o cálculo de investimento pois ela é uma taxa obrigatória que deve ser paga, a fim de que o franqueador tenha o direito de utilizar a marca para a instalação e operação da nova unidade. É interessante que o empreendedor se informe a respeito das taxas de crescimento da marca, pensando em outros operadores, para que já tenha um ponto de partida para prever o retorno. Pensando nisso, é também fundamental incluir o capital de giro necessário para o funcionamento do negócio. Isso inclui o dinheiro que será utilizado para pagar fornecedores, manter o estoque, enfim. Por isso que, pesquisar sobre os investimentos com outros franqueados da rede, além de confiar no suporte da empresa – que deve abordar também aspectos financeiros –, são diferenciais para quem está começando.

A aquisição do ponto comercial de atuação da nova unidade pode ser uma dor de cabeça. É importante analisar qual a melhor opção: se seria alugar ou comprar um imóvel. Às vezes, um pode sair muito mais caro do que o outro. Pense a curto e a longo prazo, qual escolha seria mais vantajosa. Não esqueça de pensar no dinheiro que será utilizado para a manutenção e instalação desse ponto comercial. Não esqueça também de custos adicionais, como reformas, e também do pagamento dos royalties da franquia, que devem ser pagos religiosamente, de acordo com o contrato.

Tudo isso deve ser lembrado no cálculo de retorno. Ele é o que fará o empreendedor saber em quanto tempo ele obterá lucros suficientes para cobrir o valor que foi investido inicialmente. Esse cálculo consiste em medir o valor investido e o lucro médio da unidade. Por exemplo: se foram investidos R$400 mil na unidade e o lucro médio mensal é de R$12 mil, o retorno total do investimento será obtido em cerca de 33 meses – mais ou menos três anos de trabalho. Com isso, é de se entender que trabalhar em uma franquia é confiar no longo prazo.

O ROI: retorno sobre o investimento

O ROI – retorno sobre o investimento – de uma franquia, depende da qualificação do empreendedor na gestão do negócio e também do tempo investido no trabalho. Para que as taxas de ROI em uma franquia sejam razoáveis, é necessário muito esforço por parte do franqueado. Isso porque, por mais que em uma franquia o retorno possa ser mais elevado do que em um negócio próprio, para que ele seja efetivamente significante para o operador, anos de trabalho devem ser dedicados à unidade.

O empreendedor deve considerar alguns anos como intervalo de tempo para determinar o ROI, em uma porcentagem de retorno. Por exemplo: imaginando a renda obtida em três anos de operação, com uma porcentagem de 20% de retorno em detrimento ao valor total investido na franquia. Se você investiu um total de R$200 mil na franquia e a renda em três anos foi de R$120 mil, o retorno esperado desses R$200 mil investidos, em 20%, seria de R$40 mil. Subtraindo desses R$120 mil obtidos a compensação do mercado atual, é importante que o valor continue acima dos R$40 mil pretendidos. Caso contrário, o ROI não seria atingido e consequentemente, o empreendedor ficaria em risco em relação aos investimentos realizados. É por isso que investir em uma franquia é um assunto bastante delicado: escolher o negócio certo não é uma tarefa fácil e ninguém está imune do fracasso.

O PRI: Prazo de Retorno do Investimento

O PRI, por sua vez, é um indicador de atratividade do negócio. Ele demonstra o tempo necessário para que o empreendedor recupere tudo o que investiu. O Prazo de Retorno do Investimento é obtido sob a forma de unidade de tempo e consiste, basicamente, numa modalidade de cálculo inversa à da rentabilidade. Por exemplo: se uma empresa tem um PRI de 3 anos, isso significa que em três após o início das atividades o empresário terá recuperado, sob a forma de lucro, tudo o que gastou no empreendimento.

Para calcular o PRI de investimento em uma franquia ou empresa nova ou em um, é preciso utilizar o valor do capital aplicado – levando em conta todas as questões abordadas no texto.

Fórmula de cálculo para o PRI:

PRI = Investimento Total / Lucro Líquido.

Exemplo: Investimento total de R$200 mil e lucro líquido de R$80 mil por ano.

PRI = 200.000 / 80.000 = 2,5 – dois anos e meio é o prazo de retorno total.

Um bom e comum PRI está entre 24 e 36 meses, levando em conta a maioria das redes do mercado. Entretanto, não existe um padrão de resultado para as franquias. O que é possível de ser feito é a estimativa, que conta com a inclusão da taxa de franquia, do capital de giro, da instalação da unidade e de todas as outras coisas que citamos. Algumas franquias saem mais caras do que as outras – portanto, se você é um profissional interessado em investir em uma rede, escolha bem aquela que vai de acordo com seu perfil financeiro. Lembrando que: dinheiro no caixa não significa necessariamente o retorno do seu investimento inicial.

Resumo da história: antes de realmente calcular o retorno de investimento da franquia pela qual você está interessado, pesquise. Conheça o trabalho de outros franqueados, fique por dentro de todas as taxas, ponha no papel tudo o que deverá ser feito. Alguns segmentos, por mais que pareçam interessantes, podem não ser a melhor escolha para você. Procure ficar antenado a respeito do ROI e do PRI das unidades das redes pretendidas. Querendo ou não, é a parte financeira que será o principal aval para que você assine o contrato e comece a  trabalhar.