Toda empresa deve ter um plano de negócio. Startups, marcas que querem se tornar franquias, bem como grandes multinacionais inseridas em um mercado com forte concorrência, elaboram tais planos para organizar uma gestão que deve se preparar para uma série de questões que virão à tona, entre elas, questões financeiras. Levar um negócio de forma bem-sucedida é se antecipar a problemas, direcionar investimentos da melhor forma possível e também contar com a ajuda de terceiros, que só trabalharão com uma empresa que possui objetivos bem definidos.

Você deve pensar que em uma franquia que já existe há um tempo, criar um plano de negócio é mais fácil. De certa forma, sim, pois a padronização faz parte do franchising. Porém, o franqueador não pode seguir os mesmos padrões para todas as novas unidades que são abertas com o tempo. Alguns fatores como localização, público-alvo e perfil de compra são variáveis que devem ser consideradas ao elaborar estratégias e definir metas. Portanto, planejar no franchising é um trabalho que exige muita análise, pesquisa e comunicação. A seguir, iremos guiar você pelo processo de desenvolvimento de um plano de negócio, para que esta importante parte da gestão de uma franquia seja feita da melhor forma possível.

Introdução: apresentando o negócio

O plano de negócio é o documento oficial de apresentação de uma franquia para novos colaboradores, patrocinadores e potenciais franqueados, por exemplo. Por isso, em sua introdução, ele deve possuir uma descrição completa do negócio – incluindo identificações dos produtos ou serviços oferecidos, além de informações sobre concorrentes e sobre o público-alvo. Também, parte dos processos operacionais da empresa devem ser abordados através de uma importante ferramenta, a matriz swot, exemplificando facilidades (pontos fortes) e dificuldades (pontos fracos) que podem ser considerados no momento de estabelecer novas metas.

Gestão: como se organiza o negócio

Uma franquia é feita de pessoas. Muitas pessoas. Apresentá-las é essencial para nomear suas funções e dividir responsabilidades. Em um plano de negócio, uma descrição dos cargos da empresa e das pessoas que os exercem é fundamental para pessoalizar o trabalho da marca e apresentar os responsáveis por cada setor. Dessa forma, ao surgirem necessidades específicas, é muito mais fácil saber com quem exatamente será a peça a resolver o problema.

Marketing: o plano para atrair pessoas

Conquistar novos clientes é algo que deve ser constante em uma empresa, principalmente em uma franquia que busca a expansão. Nisso, entra o marketing. O marketing é responsável por tornar o negócio “vendável”. A partir de uma análise prévia dos pontos fortes da empresa, de seus serviços a serem oferecidos, bem como fatores externos do mercado e perfil do público-alvo, é possível elaborar um posicionamento da marca e criar ações. O modo como a franquia se comunica e se mostra perante consumidores e não-consumidores também deve estar descrito no plano de negócio – sendo o marketing, uma de suas partes mais importantes.

Finanças: para fazer o negócio funcionar

Então, provavelmente o cerne de um planejamento de negócio: as finanças. Essa é a parte mais delicada, que demanda visão, muita organização e, também, abrir mão. As finanças de uma franquia, especialmente de cada unidade separadamente, devem estar postas no papel detalhadamente. As taxas de franquia, especificações sobre o capital de giro, enfim. Para realizar qualquer tipo de operação, é necessário calcular tudo e também entender que, muitas vezes, o lucro não será muito expressivo de início. Além disso, reservar um fundo de capital também é indispensável, pois nem todos os obstáculos são esperados. No plano de negócio, as finanças proporcionam as projeções.

Se você, como empreendedor, estiver recém transformando sua empresa em uma franquia e utilizando seus próprios fundos para isso, você mesmo assim deve separar uma parte das finanças da empresa para necessidades a serem supridas. Isso, ao ser apresentado em um plano de negócio, envolve uma análise completa de todos os investimentos que deverão ser feitos em sua startup, incluindo o capital voltado para o marketing e questões operacionais. O auxílio de consultorias pode fazer a diferença para melhor preparar sua empresa para o que for acontecer em seus primeiros meses de funcionamento.

Uma das vantagens do franchising em relação a criação de um plano de negócio, como já mencionamos, é de que muitas das informações já foram descritas e avaliadas pela companhia, caso ela já tenha algum tempo de mercado. Grandes empresas realmente possuem dados mais estáveis do que empresas menores, sendo muitos deles de fácil acesso. Nessas grandes marcas, que possuem planos de negócio bem definidos e firmes objetivos, tornar-se um franqueado é ter que corresponder às expectativas do franqueador. Nisso também se encontra mais uma importância do plano de negócio: a formalização das metas e a exposição do ritmo de trabalho da franquia. Entender o que a marca procura é, além de a direcionar efetivamente às metas, atrair os colaboradores certos. Não se esqueça de manter o plano atualizado – isso é essencial para o empreendedor que quer expandir sua franquia. Afinal, o plano fará parte do treinamento de novos franqueados.

Está encontrando dificuldade em organizar sua franquia e elaborar melhores planos de negócio? Talvez o problema esteja na sua gestão: em falhas de comunicação, pouca eficiência e análises errôneas de resultados. A Central do Franqueado oferece a solução para isso, visto que é uma plataforma completa que auxilia o empreendedor a não deixar nenhum aspecto de sua empresa passar despercebido. Quer saber mais? Então conheça nossos módulos!

Suas franquias precisam de seu suporte?

Solicitar Demo
logo/></div></div></div> <a href=