Um franqueador não conhece sua franquia por inteiro. O que acontece em cada unidade, exatamente, é uma vivência que apenas o franqueado da loja e os funcionários têm. A vivência em questão, envolvendo a operação da unidade, seu rendimento e o comportamento de seu público, deve ser sempre considerada em um processo de avaliação da rede. O público está realmente satisfeito com a marca? Os funcionários, estão adaptados aos métodos de atendimento e entrega de serviços? E os resultados, são os resultados esperados?

Entrevistar franqueados é uma forma eficiente de chegar a essas conclusões. Não apenas os franqueados das maiores unidades, mas também os de novas lojas e os daquelas em cidades pequenas. Entrar em contato com os operadores em um âmbito geral proporciona uma visão mais ampla da atuação da rede no mercado. Mas, como abordar os assuntos? Como guiar uma entrevista? Preste atenção nessas dicas de perguntas e desenvolva conversas úteis e produtivas, a fim de avaliar melhor a franquia. Lembrando que a análise, incluindo as entrevistas, são feitas por profissionais voltados especificamente para essa área, contratados pela empresa.

1. Você está feliz com o seu trabalho como franqueado? Quais as expectativas foram atingidas? Quais não?

Embarcar na empreitada de fazer parte de uma franquia é um mundo de expectativas. O franqueado, possivelmente, criou muitas. Agora: será que ele está contente com o trabalho que exerce na rede? Será que os lucros que reúne em sua unidade são os esperados? E o relacionamento com o franqueador, como vai?

2. Em quanto tempo você começou a perceber um retorno em relação ao seu investimento?

O franqueado provavelmente iniciou seu trabalho com a noção de que os lucros não viriam de uma hora para a outra. Investir em uma franquia é abrir mão de uma quantia de dinheiro – e de tempo –, e confiar no negócio.

3. Quantas horas por semana você trabalha no negócio?

Trabalhar em uma franquia demanda tempo. Ainda mais para franqueados iniciantes, que precisam correr atrás de questões bastante pontuais. Conhecer a quantidade de horas investidas pelos operadores é saber mais a respeito das necessidades da marca como um todo.

4. O treinamento para franqueados preparou você o suficiente?

Este é um item importante para assegurar de que o treinamento está sendo feito da melhor forma possível. É interessante perguntar ao franqueado os pontos fortes e os pontos fracos do processo, para que os próximos treinamentos sejam otimizados e melhorados.

5. Você se deparou com taxas inusitadas e gastos inesperados?

Aqui também cabe à atenção do operador. Muitos, às vezes, não leem bem o contrato e se deparam com taxas as quais não conheciam. Talvez, seja melhor deixá-las mais claras. Da mesma forma, ter gastos inesperados pode ser uma falha na preparação. O treinamento pode auxiliar o futuro franqueado a lidar com isso.

6. E a venda de produtos? A demanda está sendo suprida?

Como os consumidores estão reagindo com os produtos e serviços oferecidos? Quais os sentimentos que eles expressam com a compra de determinados produtos? É comum a falta de alguns deles, devido à grande demanda?

7. Qual a sua opinião sobre o marketing e a publicidade da rede? Você acredita que o plano de comunicação atual é suficiente?

A comunicação da rede deve abranger todas as unidades – claro, dependendo da estratégia. Mas, em algum momento, a taxa de marketing deve ter algum retorno. O franqueado está satisfeito com a divulgação feita? Que tal também pedir ideias para os operadores?

8. Que tipo de suporte você recebe quando você tem um problema em sua unidade?

O bom suporte em uma franquia deve estar sempre presente, visto que a padronização da qualidade dos serviços deve existir. A unidade está recebendo auxílio quando acontecem problemas? E de que forma isso está acontecendo? Se houver algum problema com isso, é imprescindível resolver essa questão.

9. Você considera seu franqueador uma pessoa disposta a auxiliar você? Qual a relação entre os dois?

Esta pergunta é um dos motivos porquê o franqueador não é a pessoa certa a fazer entrevistas de avaliação. Muitas vezes, a relação entre ele e o franqueado não é das melhores – mas sempre pode ser melhorada. Colocar os problemas na mesa é a forma de aproximá-los e, a partir disso, sincronizar seus interesses e objetivos.

10. Seu investimento na unidade valeu a pena? Você teve dificuldades ao gerenciar o dinheiro?

Investir em uma franquia é separar uma quantia considerável de dinheiro para isso. Está valendo a pena, ou os gastos só aumentam? O franqueado separou a quantia suficiente e teve treinamento para efetivar isso?

11. Se você ainda não tivesse optado pela nossa empresa, você ainda a escolheria?

A resposta aqui deve ser sincera. Uma resposta negativa tem motivos que devem ser entendidos e resolvidos. Nunca é tarde para tornar a franquia um ambiente melhor de trabalho para os franqueados.

Gostou das dicas? Então lembre-se: na sua empresa, faça avaliações periodicamente. Elas são essenciais para fixar os objetivos da rede como um todo e sincronizar todas as unidades. Leve em consideração a opinião de todos os franqueados – afinal, eles fazem da franquia o que ela é.