E-mail marketing para franquias: conheça os caminhos para uma campanha campeã

 Hoje, a comunicação digital de uma empresa diz muito sobre ela. Afinal, em um mundo que está cada vez mais conectado através da Internet, as estratégias de marketing utilizadas na rede são provavelmente o principal canal de comunicação entre a marca e o consumidor. O usuário de smartphones, por exemplo, está online o dia inteiro. Recebe notificações instantaneamente, dos mais diversos aplicativos e assuntos. Não ficam de fora os e-mails que, na palma da mão, são lidos em grandes quantidades, rapidamente, a toda hora.

Grandes marcas de franchising encontraram nisso um meio vantajoso e eficiente de comunicação: o e-mail marketing. O uso do correio eletrônico é uma estratégia de relacionamento com os clientes que possibilita a ampliação dos negócios da empresa, o fortalecimento da mesma no mercado, a divulgação de produtos e promoções e a disseminação de uma infinidade de informações. Se engana quem pensa que “ah, todas essas mensagens de venda caem na caixa de spam mesmo”. Na verdade, o e-mail marketing sempre é enviado a pessoas que anteriormente autorizaram seu recebimento (opt-in), cuja autorização pode ser cancelada a qualquer momento (opt-out). Sabe quando um cliente recém se cadastra em um serviço e marca aquela checkbox “Envie-me notícias e promoções sobre a marca ao meu e-mail”? Pois é. A ferramenta é totalmente optativa por parte do receptor das mensagens – e isso pode fazer toda a diferença no sucesso da comunicação.

A importância está no diferencial: o lead nurturing

Por ser de recebimento optativo, o e-mail marketing possui um diferencial em relação a outros tipos de ações como publicidade televisiva, por exemplo. Além de ser de menor custo, oferece a oportunidade do lead nurturing, que em tradução simples, nada mais é do que o “cultivo” de leads. Mas, não é possível cultivar caso a terra não seja boa, certo?

Para ser plenamente bem-sucedido, o envio de mensagens deve ser direcionado da melhor forma possível, com uma boa lista de contatos e um público-alvo bem-definido. Feito isso, as sementes devem ser plantadas: assuntos chamativos, envolvendo descontos, promoções, cursos e informações importantes sobre produtos, lançamentos e atualizações, atraem os olhos do usuário. A interação com o e-mail e seus botões de ação Call-to-Action, que levam a outras páginas, é o chamado cultivo do lead nurturing, que em palavras mais literais, é o desenvolvimento de relações comunicativas entre a marca e o consumidor. É aí que o diferencial do e-mail marketing aparece: através do lead nurturing, ou seja, do costume de interação entre usuário e empresa, é encontrada uma espécie de fidelização, tão perdida no mercado atual. O usuário que opta por acessar a informação que está recebendo o faz por estar interessado nela. Essa é a grande diferença e importância da ferramenta de e-mail marketing: a conquista do real interesse do consumidor.

Outro ponto na construção dessa relação está na automação de disparos de campanhas de e-mail marketing, conhecida também como drip campaign, onde você deixa pré-definido uma série de e-mails que serão disparados conforme sua estratégia de aquisição e ativação do cliente.

Dados comprovam: o e-mail marketing agrega (ainda mais no Brasil)

Não é só na teoria de lead nurturing que o e-mail marketing se mostra como um meio eficiente de captação de interesse. Os dados dos usuários de Internet no Brasil também demonstram o porquê da adoção da tática pelas empresas aqui no país. Mais de 90 milhões de brasileiros têm acesso à Internet e não bastasse isso, de acordo com uma pesquisa de 2016 da We Are Social, somos o povo que mais passa tempo conectado. A utilização de smartphones também é mais expressiva: o percentual de uso dos usuários adultos brasileiros que investem mais tempo no celular é de 53%, contra os 34% que utilizam o desktop com maior frequência.

Esses números são extremamente favoráveis ao uso do e-mail marketing, que adquire ainda maior valor de instantaneidade. Uma pesquisa feita pela Litmus, em 2016, a partir da análise de mais de 1 bilhão de e-mails, revela que 54% das aberturas de e-mails são feitas via dispositivos móveis. Então, levando tudo em consideração, a marca deve lembrar que uma parcela muito significativa de seus consumidores tem o celular como meio mais acessível, rápido e eficaz de contato.

E-mail no celular: “detalhes” que fazem a diferença

É essencial que o material enviado através de e-mail esteja otimizado para smartphones. Tanto o e-mail em si, quanto links que levam para novas páginas, devem ser de boa visualização e interação em aparelhos portáteis. Não somente, a escolha de palavras, bem como a quantidade de texto, devem ser observados.

O encurtamento de espaço no mobile é um aspecto que faz toda diferença na produção de conteúdo e na organização dos e-mails. A palavra-chave é otimizar! Otimize o nome de remetente de forma que o leitor o contextualize com a sua empresa assim que passar os olhos. A velocidade e a intuição do usuário são exploradas quando são utilizados cerca de 23 caracteres nas identificações do e-mail.

Como dito anteriormente no texto, o assunto deve chamar a atenção e, da mesma forma, ser curto! Até porque o limite de caracteres para leitura nos celulares é bem menor. Frases sucintas são mais impactantes, limpas e muito mais atraentes.

No corpo do e-mail, traga seu melhor conteúdo para o início. As primeiras palavras fazem toda a diferença e apontam para a relevância da informação. São como iscas, que se bem posicionadas, captam o tempo do leitor. Lembre-se que a tendência é a leitura rápida, então pegue leve na quantidade de conteúdo e aposte em informações de fácil e rápida interpretação.

Os botões de Call-to-Action, que funcionam através da interação do leitor, são botões de ação normalmente postos ao meio ou ao final do e-mail, que levam os leads a páginas de destino relacionadas ao assunto da mensagem. É importantíssima a sua inserção, independentemente do design ou tipo de conteúdo do material, pois eles são grandes responsáveis pelo lead nurturing. Por isso, não se esqueça de otimizar também as páginas de destino para o celular, a fim de que a experiência do usuário seja a mais agradável possível.

Algumas dicas gerais, mas não menos importantes, para relembrar:

  • Não hesite em jogar as informações na cara!
    Opte sempre pelas frases curtas de impacto no assunto do e-mail, como “Promoção até amanhã!” e afins. Seja direto e não enrole! Lembre-se sempre que quem realmente clica não tem tempo para ler com calma.
  • Evite anexos e conteúdos pesados.
    Não apenas em palavras, mas também em layout e ilustrações, faça e-mails leves! O tempo de carregamento também pode ser o tempo de desistência de leitura e interação.
  • Fique de olho nas páginas de destino!
    Adaptá-las para mobile é só mais um dos cuidados que você deve ter com as páginas geradas a partir dos botões de Call-to-Action. Determine um período para deixar a página no ar, caso não haja um prazo específico no e-mail, pois alguns clientes sempre podem querer acessá-la novamente.
  • Acompanhe relatórios de cliques e opt-outs
    A fim de ter a melhor lista de contatos possível, acompanhe em plataformas como o MailChimp o comportamento dos destinatários. É possível analisar o número de cliques, a intensidade de interações, os horários de acessos e também, quando a comunicação não deu certo, com os opt-outs. Isso pode otimizar seu público-alvo e ampliar seus resultados.
  • Faça o tracker de suas campanhas
    Importante parte para análise do sucesso da sua campanha é sempre trackear os links que estão dentro do seu email marketing, seja esse link um logo ou mesmo um link no rodapé. Para isso, o Google possui o URL builder ferramenta na qual você conseguirá rastrear os links da campanha, bem como, analisar depois no relatórios do Google Analytics ou qualquer outra ferramenta de dados que você utiliza.