Microfranquias: saiba como empreender com baixo investimento

  • 14 de fevereiro de 2017

Microfranquias: saiba como empreender com baixo investimento

14 de fevereiro de 2017   por Arthur Bataioli

O nome é autoexplicativo. Em linguagem simples, microfranquias são como se fossem unidades de franquias de tamanho menor. Para jovens empreendedores, ou pessoas que estão buscando por oportunidades simplificadas e de investimento mais baixo, a ideia pode parecer bastante atraente. De fato: uma pesquisa realizada em 2016 pela ABF demonstra que o número de redes que operam com microfranquias no Brasil aumentou 45% entre 2013 e 2016, passando de 384 para 557 marcas. A procura cresce cada vez mais.

Vantagens da microfranquia

Em tempos de instabilidade econômica, a opção vem ganhando cada vez mais destaque. A mesma pesquisa aborda o fato de que 36% das redes que operam com franquias no país estão interessadas no modelo de empreendimento. Muito se deve ao valor enxuto do investimento inicial considerado pela ABF, que a partir de janeiro de 2017, é de até R$90 mil. Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego, o conjunto das micro e pequenas empresas gera mais empregos no Brasil, do que o conjunto das empresas médias e de grande porte.

Entretanto, está precipitado quem pensa que as diferenças das microfranquias para as franquias normais vão muito além de questões econômicas e da questão de oportunidades de investimento. Assim como os modelos já conhecidos, elas também são replicadas pelo sistema de franchising e seguem as mesmas regras e condições estabelecidas pela lei n. 8.955/94 (Lei das Franquias Empresariais). Ou seja: tirando a questão do valor de financiamento, as microfranquias são iguais às franquias convencionais, possuindo os mesmos direitos, riscos, obrigações, desafios e até faturamentos semelhantes.

Mas então, excluindo o aspecto econômico, por que optar por este tipo mais compacto de empreendimento? Alguns fatores podem ser o diferencial no momento da escolha, e todos eles são descobertos depois de muita pesquisa e análise. Preste atenção nestas dicas, a fim de entender mais sobre o assunto antes de tomar qualquer decisão.

Qual o perfil principal do franqueado de uma microfranquia? O que ele deve saber?

A mesma pesquisa da ABF, citada anteriormente no texto, revela que o franqueado das unidades com investimento inicial de até R$80 mil é na maioria, o jovem de 26 a 35 anos de idade. Os dados comprovam que a microfranquia é realmente uma ideia bastante atraente a investidores que estão tendo suas primeiras aventuras no mercado. É aí que entra um ponto importantíssimo: os cuidados que devem ter tidos antes de que seja tomado o partido desse tipo de negócio.

As aparentes vantagens das microfranquias podem fazer com que muitos “marinheiros de primeira viagem” embarquem na ideia sem medir os possíveis riscos ou estudar os procedimentos necessários. É imprescindível que esse estudo seja feito, caso contrário, o barato pode sair caro. Além de frustrar o seu desejo de expansão de negócio, pode ainda lhe causar problemas judiciais com seus franqueados no futuro.

Além disso, antes de pensar em vender franquias, o fundador da marca deve compreender os conceitos de sazonalidade, nicho de oportunidade e saber enfrentar momentos de crise. Ao contrário do que muitos pensam, atuar no segmento de microfranquias exige os mesmos conhecimentos e habilidades da gestão de uma rede de franquias tradicional, já que a preocupação com todos os detalhes e complexidade que cercam esse tipo de negócio deve ser o mesmo. As recomendações são as mesmas aplicadas para a escolha de uma franquia: pesquise informações, visite lojas, converse com franqueadores e franqueados e esteja atento à Circular de Oferta de Franquias (COF). Não assine nenhum contrato por impulso e lembre-se: não é porque é uma microfranquia que o risco vai ser menor.

Como dica final, atente-se as variáveis do negócio. Ter conhecimento sobre gestão financeira, de estoque, consultoria de campo, padronização, transferência de know-how, treinamento e manuais é indispensável para o início de uma microfranquia bem-sucedida.

logo data-recalc-dims=

Baixe agora: o Checklist Gestão Estratégica para FRANQUEADORES

Um passo-a-passo Estratégico para o seu Negócio.

Aspectos mercadológicos e territoriais podem fazer a diferença

Alguns ramos de franquias apresentam ser mais vantajosos quando se diz respeito à implantação de microfranquias. É de análise que a maioria delas são do ramo de saúde e beleza. O crescimento no setor só aumenta, já que as microfranquias são uma opção mais econômica se comparadas às franquias tradicionais – e isso se demonstrou uma alternativa muito bem-sucedida nesses casos, muito porque os produtos e serviços oferecidos possibilitam a venda em lojas menores.

Além disso, recuperando os dados da pesquisa da ABF, foi analisado que as cidades de porte médio, com número de habitantes entre 100.001 e 300.000, são as que mais recebem unidades de microfranquias. Cidades do interior não têm a mesma demanda de cidades maiores. Por isso, lojas de pequeno porte acabam sendo bastante funcionais e atendem as necessidades dos clientes. Há diversos modelos possíveis que podem ser adotados por microfranquias, sendo os mais comuns foodtrucks, quiosques, corners (espaço dentro de outra loja) e os home based (atividades feitas em casa). Tudo vai depender da espécie de serviço oferecido e das vantagens de se ter uma sede.

Fatores determinantes ao investir em uma (micro)franquia

Uma das questões principais (e provavelmente mais polêmicas) envolvendo franquias é o controle de qualidade, muitas vezes prejudicado devido ao tamanho da rede. O franqueador que está interessado em manter o padrão de qualidade pode considerar a microfranquia como uma ótima saída. Além disso, não esqueça que plataformas como a Central do Franqueado e softwares de gestão e insumos (ex.: seguro empresarial) costumam ser adquiridos em fornecedores comuns ou parceiros, fazendo toda a diferença na administração da loja.

Outra vantagem é o valor de instalação, que é consideravelmente mais barato. Até porque ele envolve a compra de elementos para o espaço e a contratação de funcionários, por exemplo. Esses detalhes diminuem drasticamente o valor do investimento inicial em comparação com uma empreitada similar, como empreendedor independente. Mesmo porque, convenhamos, muitas vezes os empreendedores independentes gastam muito dinheiro para refazer coisas que deram errado.

Não podemos esquecer de outro aspecto importantíssimo: o investimento de risco é consideravelmente baixo (quando comparado a outros modelos). Com tanto conhecimento acumulado sobre o negócio, uma estrutura mais enxuta, parcerias já estabelecidas, vontade de realizar dos profissionais envolvidos, custos reduzidos, auxílio de experts e tantas vantagens, é possível entender muito melhor como levar seu negócio para o bom caminho da lucratividade. Mas, não se engane. Os riscos não são inexistentes. Porém, todas essas vantagens acabam se transformando em uma grande rede de segurança invisível para você que, muito dificilmente, será pego totalmente desprevenido caso siga todas as orientações do franqueador.

Baixe agora: o Checklist para Padronização de Franquias

Mais qualidade para sua rede.

logo data-recalc-dims=

Últimas – mas não menos importantes – dicas:

Lembre-se de que muitas empresas acabam encerrando suas atividades no Brasil por falta de planejamento. Então, não tenha pressa quando quiser investir. Procure conhecer bem a microfranquia que pretende adquirir: navegue pelo site, leia todos os detalhes possíveis, anote algumas dúvidas, entre em contato com o franqueador. Visite também feiras de franquias e converse com outros franqueados. Procure também escolher um ramo no qual sentirá prazer trabalhando.

Leve o capital de giro em consideração na hora de empreender, pois ele é importante em todos os momentos na vida de uma empresa. No começo, para “segurar as pontas” até que um número satisfatório de clientes seja alcançado e, ao longo dos anos, para minimizar os impactos de eventuais imprevistos e de sazonalidades possam aparecer.

Lembre-se que uma das vantagens da microfranquia é seu baixo investimento e, por ser um modelo enxuto, com uma despesa mensal baixa, proporciona um retorno do investimento mais rápido e uma lucratividade proporcional mais elevada do que em operações maiores! Entretanto, não acredite em milagres. Pode chegar o momento em que o operador de uma unidade deverá se tornar gestor de ao menos duas a fim de conseguir maior lucro.