Se vamos destrinchar os termos, nada melhor do que iniciar pelo principal, certo?

O que é: Um tipo de arranjo comercial no qual a franqueadora concede ao franqueado uma franquia do seu negócio, com o objetivo de replicar o sucesso anterior. O franchising “clona”, em diferentes locais, o mesmo tipo modelo de negócio aliado ao conceito da marca. Há uma enorme variedade de negócios e ramos de atividades neste sistema.

Como surgiu: O franchising, da forma que conhecemos hoje, surgiu nos Estados Unidos, por volta dos anos 1850. A Singer Sewing Machine Company (fabricante de máquinas de costura), sediada na região de New England, passou a outorgar licenças de uso da marca e seus métodos para comerciantes que estivessem interessados em revender seus produtos em outras regiões do país.

Alguns anos depois, em 1898, a General Motors iniciou a expansão de seus pontos de venda, criando o conceito de “concessionária de veículos”. No mesmo período, a Coca-Cola criou a primeira franquia de produção (ou fabricação), outorgando licenças para que empresários pudessem produzir e comercializar seus refrigerantes em outros locais. Já no Brasil, a primeira franquia surgiu em São Paulo, 1954, com a escola de idiomas Yázigi. Contamos mais sobre a história do franchising no Brasil nesse post do blog.

 




 

Como funciona: O franchising também pode ser entendido como o relacionamento constante entre franqueador e franqueado. Cada “clone” do negócio é gerido por um autônomo, que é o franqueado. Apesar da autonomia na implantação, operação e gerenciamento da sua atividade, este deve obedecer às normas e padrões da franquia. Já o franqueador é responsável por fornecer uma série de conhecimentos (marca, técnicas de produção e venda, marketing) aos seus franqueados.

Franquia: É um sistema de venda de licença concedido pelo franqueador ao franqueado. Numa linguagem mais simples, o detentor da marca cede para outra pessoa a autorização para explorar a marca, a infraestrutura, o modelo de negócio, o know-how, o direito de distribuição de produtos e serviços, entre outras questões.

Por que é importante: Para o franqueado, começar um modelo de negócio já experimentado e com marca prestigiada possibilita um início com menos riscos. Além disso, há troca de experiências constante entre parceiros; acesso a métodos profissionais de gestão e operação; marketing cooperado com a rede; indicação de fornecedores e equipamentos e este pode se concentrar mais na gestão do negócio. No outro lado, o franqueador também ganha com a expansão rápida aliada à menores investimentos. Os relacionamentos locais dos franqueados fortalecem cada vez a marca, descentraliza as gestões e potencializa a eficiência da operação.