Finanças para franquias: Qual a importância e como manter sua rede saudável

Planejamento das finanças é um forte aliado para a saúde da empresa

Ao pensar em investir em uma franquia, o profissional precisa ter em mente que mesmo com um baixo investimento, como é o caso da franquia digital Inoivando, é importante um planejamento prévio.

Ser dono do próprio negócio demanda uma série de responsabilidades que terão de ser controladas por uma única pessoa – sobretudo no início –, como as finanças, já que elas precisam estar em dia para o bem da saúde da empresa.

Um dos primeiros pontos a ser considerado é que nem todo mês a receita será a mesma. Daí a importância em fazer um fundo de reserva, pois as contas mensais a serem pagas continuarão chegando.

É interessante fazer um orçamento com todas as despesas fixas, aquelas que não podem deixar de ser pagas, como: água, luz, internet, telefone, impostos, entre outras. O que entrar de dinheiro a mais, ou seja, o que for lucro, pode ser guardado, seja em uma poupança ou algum outro tipo de aplicação. A facilidade de guardar em uma poupança em um banco onde já se tem conta corrente, por exemplo, é que em casos de emergência no negócio, o dinheiro pode ser sacado. Porém, a prioridade deste dinheiro é para pagar as contas básicas – aquelas elencadas no orçamento mensal – quando a receita do franqueado ficar aquém do plano de recebimento do mês. Desta forma, evita-se atrasar despesas que são necessárias para que o negócio continue fluindo com saúde e também resguarda da necessidade recorrer a empréstimos.

Além de a franquia precisar estar com a saúde em dia, é importante que o franqueado também esteja assegurado e com a sua saúde em dia. E para isso, a última preocupação que ele precisa ter é com dinheiro – ou melhor, com a falta dele.

Dessa forma, pagar aposentadoria – já que não será mais um colaborador CLT com recolhimento de INSS pela empresa – é imprescindível para garantir um futuro com menos dor de cabeça. Pagar o INSS deve ser um novo hábito do franqueado. De preferência, o recolhimento mensal deve estar contemplado no orçamento e no planejamento financeiro de seu negócio.

Outro hábito que deve mudar é o planejamento das férias. Quando se é colaborador de uma empresa, o direito do trabalhador garante 30 dias de férias a cada 12 meses trabalhados. Já quando se é dono de um negócio, existe a facilidade de poder se programar. Porém, no início, ao invés de escolher por 30 dias de férias, pode-se optar por 10 dias para que a franquia não fique sem os olhos “do dono” por perto. Desta forma é mais difícil as finanças saírem do planejado. O lado positivo é que, além de ter controle maior sobre as finanças da franquia, o franqueado consegue tirar férias em baixas temporadas, por exemplo, gastando menos e podendo poupar mais.