Que tal começar o próximo ano investindo em uma franquia? A equipe da Central do Franqueado elaborou uma lista com os setores de franquia mais promissores para o próximo ano e que merecem ser considerados caso você decida tornar-se um franqueado em 2017.

Para identificar esses setores, é importante estar atento às tendências no país, como o envelhecimento da população, a diminuição nos gastos com bens de consumo, aumento da preocupação com segurança, uso de dispositivos móveis, procura por uma alimentação e um estilo de vida mais saudável etc A partir dessas tendência, é possível vislumbrar muitas oportunidades de novos negócios.

Vamos lá?

Franquias de beleza e estética

O setor apresenta números positivos em meio à crise econômica do país. O Brasil está em 3º lugar no ranking de consumo de produtos estéticos, atrás de Estados Unidos e China. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o segmento teve um crescimento médio de 10% ao ano nas últimas duas décadas, chegando a faturar R$ 43,2 bilhões em 2014. Em relação à procura por serviços estéticos, a pesquisa apontou aumento de 32% de 2013 para 2014.

Há diversas áreas que podem ser exploradas, sendo as mais populares de estética facial, corporal, capilar e maquiagem. Franquias de cosméticos e perfumarias famosas e consagradas incluem O Boticário, que possui 3.562 unidades franqueadas e Quem disse, Berenice?, entre outras.

Um dos fatores que explica o crescimento do setor no país é a cultura da beleza cada vez mais forte por aqui, incluindo tanto mulheres quanto homens. Uma pesquisa realizada em 2016 mostrou que 83% das mulheres não vão conter gastos com produtos de higiene e beleza.

O público que procura por tratamentos estéticos de beleza está tornando-se cada vez mais jovens, o que amplia ainda mais as potencialidades de mercado.

Outra questão que também influenciou o crescimento do segmento foi uma mudança de hábito: a estética deixou de ser apenas questão de beleza e passou a representar saúde e bem-estar, tornando-se uma preocupação do brasileiro.

Setor de microfranquias

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor de Microfranquia registrou crescimento de 14,7% em 2014. Das 2.942 redes existentes no Brasil, 433 possuem modelo de negócio com investimento inicial reduzido, de até R$ 80 mil.

Em momentos de crise, as microfranquias se mostram vantajosas para quem não possui muito capital inicial para investir. Com a queda do emprego, esses negócios são uma oportunidade para empreendedores terem seu próprio negócio. O principal nesse setor é ter total envolvimento com o negócio, pois muitas vezes a estrutura e o número de funcionários são enxutos.

Microfranquias que têm ganhado destaque são aquelas na modalidade Food Truck, que funciona como uma espécie de cozinha móvel, vendendo comida de rua de ótima qualidade. Essa modalidade não depende de um ponto comercial fixo e o veículo pode ir aonde os clientes estiverem, tendo um horário de funcionamento bem mais flexível. Com os Food Trucks, o empreendedor deve estar atento à vigilância sanitária e as leis do município sobre estacionar em locais públicos. Há também as Food Bikes, que funcionam no mesmo modelo e podem ser levadas para dentro de espaços menores.

Outra área interessante de atuação das microfranquias são aquelas ligadas a serviços domésticos, de reparos, manutenção e reformas. Com a rotina corrida, cada vez mais as pessoas estão terceirizando essas funções ligadas à moradia, como parte elétrica, hidráulica, jardinagem, pintura etc. A demanda pode vir de condomínios, de administradoras e de síndicos.

Franquias do setor de Pet Shops

Esse é outro segmento que não foi afetado pela crise e promete crescer ainda mais no próximo ano. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (abinpet), o Brasil é o 4º país com mais animais de estimação e com o 3º maior mercado pet do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Mais dados que apontam crescimento para o setor: segundo pesquisa do IBGE divulgada em 2015, 44,3% dos lares brasileiros – cerca de 28,9 milhões – possuem pelo menos um cachorro. Também 17,7% dos domicílios contavam com ao menos um gato, cerca de 11,5 milhões de casas.

De acordo com a Abinpet, a maior fatia do faturamento de 2014 vem da área da venda de alimentos para os pets (67%). O segmento, entretanto, possui várias ramificações e as franquias de pets podem oferecer uma gama variada de serviços e produtos. Uma das dicas, aliás, para se manter em alta na área de pet shops é estar sempre inovando, oferecer diferenciais e procurar fidelizar os clientes.

Entre os serviços e produtos que podem ser oferecidos estão: petsitter (veterinária que ocupa o lugar de babá dos animais); dogwalker (profissionais que levam os animais para passear); serviço de banho, tosa e vacinas; venda de alimentos, medicamentos, acessórios e roupas; serviço veterinário; hotel e creche para pets; serviço de adestramento etc. Mesmo em tempos de crise, as pessoas não abrem mão de cuidar bem dos seus bichinhos de estimação.

Franquias de alimentação

O setor de alimentação é o que tradicionalmente mais cresce no Brasil – e no mundo inteiro. O desempenho de crescimento dos alimentos se repete desde 2009, quando o Índice Gerente de Compras, da consultoria britânica Markit, começou a ser calculado. Mesmo com a crise, comida é algo que as pessoas não deixam de consumir, apenas mudam algumas preferências. Muita gente diminui os gastos com lazer, mas acaba saindo para comer fora. Segundo dados do IBGE, o brasileiro gasta cerca de 25% da sua renda com alimentação fora do lar.

Apesar da resiliência do segmento em relação à crise, a concorrência costuma ser acirrada e o empreendedor precisa investir em produtos de qualidade, excelência no atendimento e preço justo. Sem esquecer, é claro, de investir em diferenciais para fidelizar os consumidores. As novidades no cardápio costumam atrair os clientes.

Uma boa área de atuação no segmento de alimentação é a de refeições prontas e mais baratas. O hábito de comer fora está mais desacelerado por conta da crise e muita gente vem investindo no delivery de marmitas.

Refeições mais saudáveis e negócios de bebidas funcionais (suco verde, suco detox etc.) também estão atraindo cada vez mais clientes. Outro nicho interessante e do qual já falamos são os Food Trucks – apesar de estarem saturados em algumas grandes cidades, há locais em que a febre dos carrinhos de comida ainda não chegou. Fique de olho!

Setor de Negócios Online

As franquias virtuais funcionam de acordo com as mesmas regras e diretrizes das franquias tradicionais, mas não precisam, necessariamente, de um estabelecimento físico ou de uma grande quantidade de colaboradores.

O investimento de baixo custo, portanto, torna-se atrativo em momentos de crise. Há muitas empresas, inclusive, que estão adotando diversas estratégias digitais para elevar a produtividade, reduzir custos e prevenir problemas operacionais.

Há diversas áreas em que a franquia pode atuar: provedor de internet, lojas virtuais, venda de softwares na nuvem, criação de aplicativos para celulares e dispositivos móveis, consultorias online, videoaulas, desenvolvimento de websites, marketing digital, big data etc.

As possibilidades são imensas e o setor tem tudo para continuar crescendo e se desenvolvendo muito nos próximos anos, atendendo, inclusive, o mercado externo.