Cuidar da parte financeira de uma franquia não é tarefa fácil, principalmente se você não tiver muita experiência com gestão de empresas. Para lhe ajudar nessa tarefa, a Central do Franqueado separou dicas financeiras que vão garantir a saúde financeira do seu negócio. Vamos lá:

12 dicas financeiras para franquias


1- Tenha muito cuidado para não misturar as contas pessoais com as contas da empresa. É preciso organização financeira para que isso não aconteça e resulte em problemas.

2- Caso você não se sinta capacitado para cuidar da parte financeira da franquia, busque contratar alguém especializado. Se quiser arriscar, a principal dica é buscar conhecimento na área através de cursos online ou presenciais.

3- Planejamento é muito importante. Faça uma planilha elencando as próximas ações da empresa, quanto deve ser investido, qual o faturamento esperado etc. Atualize a planilha com frequência para que as informações não sejam perdidas. No final do mês, faça um balanço com o resumo do período.

4- Divida as despesas e receitas em grupos ou listas, pois isso facilita no lançamento e na análise de dados. Acompanhe as entradas e saídas de recursos, especifique os custos fixos (salários, energia elétrica, aluguel) e os variáveis (compras de produtos, comissões, impostos). Procure anotar tudo, mesmo os menores valores. Somados, ele podem fazer muita diferença nas contas.

5- Invista na comunicação da rede. Ofereça para sua rede um sistema que automatize os processos diários da franquia. Um software para gestão de franquias auxilia na produtividade dos franqueados e diminui o tempo desperdiçado em tarefas que podem ser otimizadas.

6- Os principais instrumentos de análise e planejamento das empresas são o fluxo de caixa, o demonstrativo de resultados do exercício (indica o volume de vendas, o custo das mercadorias vendidas, as despesas variáveis, as despesas fixas e apura o lucro líquido), o planejamento orçamentário, relatório de custos, balanço patrimonial (indica os valores do ativo, do passivo e apura o valor do patrimônio líquido da empresa) e precificação dos produtos e serviços. Procure se informar sobre cada um deles.

7- Utilize um software para integrar as diversas informações financeiras da sua empresa. Com um programa que automatize todos os dados, o empresário fica menos sujeito a erros e pode ter as informações que precisa no momento certo.

8- Elabore o planejamento financeiro da sua empresa, pois ele ajudará você a prever problemas e oportunidades. O planejamento básico deve conter a parte financeira e orçamentária. A primeira serve para planejar cenários de resultado, costuma ser de curto prazo (cerca de 12 meses) e deve incluir o faturamento esperado para o período, as despesas fixas e os custos previstos. Já o planejamento financeiro deve ser uma projeção de longo prazo (em torno de 5 anos). Nele deve-se incluir tudo que foi previsto no planejamento orçamentário, bem como o fluxo de caixa e o plano de investimentos. Não se esqueça de prever a atualização das lojas, reparos e expansões.

9- Acompanhe atentamente o fluxo de caixa da sua franquia para evitar problemas. A gestão do fluxo de caixa trata das entradas e saídas reais de dinheiro a cada dia, o que permite antecipar necessidades de recursos. Também é importante cuidar indicadores como liquidez, volume de vendas, disponibilidade de caixa e grau de endividamento.

10- Coloque em uma planilha o dinheiro necessário a curto e longo prazo, assim ficará claro o quanto você precisa agora, o que pode esperar e o que deve ser poupado. Em situações de emergência, você pode recorrer a “dinheiro caro”, como o cheque especial, mas apenas por poucos dias. Se você dispor de mais tempo, a dica é pesquisar um banco que ofereça a menor taxa de juros ou carência longa para o início do pagamento. Às vezes recorrer ao banco é melhor do que contar com investidores, que cobram retorno rápido, ou usar dinheiro próprio e ficar totalmente descapitalizado.

11- As contas mais sensíveis de uma franquia costumam ser o custo de ocupação, que são os valores gastos com aluguel, e os custos de mercadorias vendidas, que são os valores pagos aos fornecedores de produtos (se sua franquia trabalhar com produtos, é claro). Na hora de escolher o ponto comercial, vale fazer um esforço para obter um  bom preço. Em relação aos custos de mercadorias vendidas, o franqueado deve acompanhar de perto essa questão. Aqui vale fazer uma boa gestão de compras e orientar a equipe para focar os esforços de venda nos produtos com maior valor agregado e que gerem uma melhor margem de lucro.

12- Antes de investir em uma franquia o empresário deve ter em mente de quanto será o investimento inicial e qual o tempo previsto para que a empresa atinja o ponto de equilíbrio operacional. O franqueado também precisa de capital de giro e de uma reserva de capital para se sustentar enquanto não puder fazer retiradas da empresa sob o risco de descapitalizá-la.

 

O que acharam das nossas dicas? Possui alguma dúvida específica? Entre em contato com a Central do Franqueado que teremos prazer em lhe ajudar!

Tudo o que você precisa para sua rede de franquias!

Solicitar Demo
logo data-recalc-dims=