Para entender melhor como funciona o franchising, é preciso entender bem seus principais termos relacionados, desde o início da negociação até o cotidiano da operação. Hoje vamos aprender mais sobre a Taxa de Franquia.

A taxa de franquia é um valor pago pelo franqueado logo após a assinatura do contrato. É um valor fixo e único, que corresponde à concessão de uso da marca. O valor faz parte do investimento inicial para abertura da franquia e deve estar devidamente discriminado na COF.

A principal função da cobrança é ajudar a cobrir os custos que a rede teve no processo de prospecção e seleção do candidato. O valor auxilia também a cobrir as despesas com treinamento, suporte e implantação da nova unidade.

De acordo com o grupo Cherto, as despesas com a divulgação do negócio em portais de franquia, revistas do segmento, eventos, anúncios etc. para iniciar a busca por candidatos até encontrar a pessoa com perfil e capital necessários para se tornar franqueado podem variar de R$ 10 mil a R$ 15 mil reais para cada novo franqueado. Estima-se que são necessários, principalmente para novas marcas, cerca de 90 cadastros para cada franqueado selecionado.

As despesas com o suporte e implantação variam de acordo com a natureza do segmento. Há também alternativas mais viáveis para atração de candidatos para a rede,

É comum também que o valor seja cobrado na renovação do contrato de franquia. A taxa de franquia é uma das duas formas comuns de pagamento do franqueador. A outra é o pagamento de royalties, que consiste em uma taxa mensal paga pelo franqueado ao longo do contrato.

Franquias que não cobram taxa

Há casos em que a rede opta por não cobrar a taxa de franquia. Isso acontece principalmente por um planejamento estratégico, na busca por uma expansão mais rápida da rede e por atrair mais candidatos a franqueados.

Mesmo sem a taxa, a rede ainda é obrigada a oferecer todo o suporte e transferência do conhecimento da marca para o franqueado.

Como calcular a taxa de franquia

Há alguns critérios comumente utilizados para definir o valor da taxa de franquia:

  • Cobrança dos concorrentes

Analisar os valores cobrados pelos concorrentes do mesmo setor é uma tática comum, para utilizar valores semelhantes ou até mesmo menores, de forma mais atrativa.

  • Número mágico

O “número mágico” refere-se à cobrança da taxa de franquia no total de 10% do investimento feito para abrir a unidade.

Mas há alguns aspectos a serem avaliados, como a demanda de trabalho para a implantação da loja. Uma obra grande que deve ser visitada exige mais custos. Já uma unidade menor, como uma microfranquia, pressupõe menos gastos.

  • Treinamento x taxa de franquia

Há a possibilidade da franqueadora cobrar o valor do treinamento inicial à parte da taxa de franquia. Isso permite que o valor seja melhor avaliado, de modo que o empresário analise o tempo, deslocamento e equipe necessários para o treinamento.

  • Valor da marca

É preciso considerar a fama da marca no mercado, o grau de consolidação da rede e o número de unidades existentes.

  • Tempo

Quanto mais longo o contrato, maior o valor a ser cobrado.

É preciso ter atenção também para os reajustes no valor. De tempos em tempos, o valor da taxa de franquia deve ser reavaliado, entendendo o momento da rede, a valorização da marca e o aumento nos custos.